Internet

23/03/2015 06h40 - Atualizado em 23/11/2017 19h57

Visa, PayPal e American Express são os maiores alvos de crimes virtuais

João Kurtz
por
Para o TechTudo

Um relatório da Kaspersky Lab revelou que Visa, PayPal e American Express são as empresas do ramo financeiro que mais foram alvos de ataques de phishing durante 2014. Os sistemas de pagamento entraram em evidência na lista após uma queda expressiva do número de golpes bancários, que havia aumentado consideravelmente nos últimos anos.

Falso vídeo de Dilma Rousseff debochando de protestos é vírus


Visa, PayPal e American Express

A lista é uma má notícia para a Visa, que responde por 31,02% dos ataques. Em 2013, a multinacional ocupava o quarto lugar, com 6,36%. O antigo campeão era o Paypal, que possuía 44,14% dos resultados em 2013, caindo para 30,03% no ano seguinte. A antiga segunda colocada era a American Express, que exibiu uma queda menos acentuada, passando de 26,26% em 2013 para 26,6% em 2014.

Os resultados foram divulgados em um estudo anual da fabricante de antivírus sobre segurança. O número de ataques de phishing caiu mais de 20% em 2014, um índice semelhante ao encontrado nos ataques específicos contra empresas do ramo, que inclui bancos, sistemas de pagamento e lojas.

São apontados três motivos para a queda deste número. O primeiro deles é a melhor atuação da lei para identificar e punir os responsáveis pelos ataques. Outro diz respeito a uma mudança de comportamento dos cibercriminosos, que deixaram de focar em usuários finais para dar mais atenção a companhias que lidam com dados financeiros, o que levou a um aumento do número de ataques a redes de hotelaria e restaurantes de fast food de mantém uma base de dados.

O último fator apontado é uma tendência dos atacantes de diminuir os golpes em massa e se voltar para um número menor de ataques a alvos específicos. Por exemplo, os criminosos pararam de enviar e-mails com links maliciosos falsos, preferindo se concentrar em usuários de bancos online.

O número de ataques específicos contra os bancos, entretanto, recuou para 16,27% em 2014. A baixa ocorre após um súbito aumento neste tipo de golpe registrado em 2013, quando eles respondiam por 22,2% do total de phishing detectado. Em 2012, entretanto, eles eram responsáveis por apenas 11,92% dos ataques.

Amazon, Apple e eBay

Em relação aos sites de comércio, a Amazon continua no topo da lista de mais atacadas, mas o número de golpes envolvendo a empresa caiu de 61,11% em 2013 para 31,7% em 2014. O segundo lugar é ocupado pela Apple, que passou de 12,89% em 2013 para 14,13% em 2014 e o terceiro, pela eBay, que caiu de 12% para 10,19%.

O phishing é um tipo de ataque usado para fazer com que os usuários forneçam dados financeiros a páginas falsas de compras ou bancos e a grande quantidade de golpes fez com que as empresas afetadas passassem a combater a prática.

“O aumento de phishing financeiro nos anos anteriores fez com que as marcas que eram utilizadas como isca tomassem medidas para acabar com o problema. Isto levou a redução dos níveis de phishing que usavam as maiores marcas”, aponta a analista web da Kaspersky Lab, Nadezhda Demidova.

Qual é o melhor antivírus grátis? Comente no Fórum do TechTudo.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares