Internet

16/03/2015 11h16 - Atualizado em 17/08/2015 14h28

YouTube segue Vimeo e planeja serviço de assinatura de vídeo on-demand

João Kurtz
por
Para o TechTudo

Serviços de video on demand estão se tornando cada vez mais comuns na Internet e o YouTube estaria planejando a sua própria forma de oferecer este tipo de conteúdo. A informação foi divulgada por um executivo de uma produtora de vídeos para o site na Variety e publicada na última semana.

YouTube agora suporta vídeos em 360 graus; veja como funciona

No inicio do ano ensinamos como baixar vídeos do YouTube sem instalar programas (Foto: Pond5) (Foto: No inicio do ano ensinamos como baixar vídeos do YouTube sem instalar programas (Foto: Pond5))Serviço de assinatura do YouTube deve ser baseado no Music Key (Foto: Pond5)

O artigo tratava do aniversário de 10 anos do YouTube e dos desafios encontrados pelo site. Um deles seria a competição crescente com outras plataformas de vídeo, que estaria ameaçando a permanência dos criadores de conteúdo no serviço do Google por oferecer melhores condições e plataforma.

Semelhante ao do Netflix

Video on demand é um serviço semelhante ao usado pelo Netflix, que permite que os usuários paguem uma taxa fixa mensal e tenham acesso a uma grande quantidade de conteúdo, como séries e filmes, para assistir como e onde quiserem - daí o termo sob demanda, em português.

O modelo têm funcionado bem o suficiente para que outras empresas tenham investido em soluções semelhantes. O Vimeo e o Hulu, por exemplo, possuem serviços desse tipo, enquanto o novato Vessel investe em comprar os direitos de criadores para exibir conteúdo exclusivo por tempo limitado.

Ainda não se sabe como o serviço do YouTube vai funcionar ou mesmo quando estará disponível para os usuários. Segundo a Variety, “...Um executivo de uma das empresas parceiras se reuniu com representantes do Google em 2014 para tratar de um acordo de licenciamento. A oferta veio com um aviso: se o parceiro não concordar com o serviço de assinatura, ele seria excluído de qualquer receita de publicidade futura”.

Esta tática de intimidação não é nova para o YouTube. Em novembro de 2014, a empresa lançou o Music Key, um serviço de assinatura de vídeos de clipes musicais – que também seria a base do novo serviço de vídeos. Na época, várias gravadoras independentes se recusaram a aceitar os termos do site, o que levou à remoção de suas músicas da plataforma.

Via The Next Web e Variety

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares