Internet

28/04/2015 12h01 - Atualizado em 28/04/2015 13h48

Estudo revela que internautas venderiam informações pessoais por US$ 20

Raquel Freire
por
Para o TechTudo

Um estudo global com internautas de 17 países revelou que a maior parte dos consumidores online está disposta a vender informações pessoais a empresas de e-commerce. Realizado pelo Ponemon Institute e encomendado pela Trend Micro, empresa de segurança, o resultado podem soar como polêmico. Embora existam diferenças regionais sobre preços, o valor médio pensado pelos entrevistados é de US$ 19,60. Dependendo do tipo de dado, as quantias variam entre US$ 2,90 e US$ 75,80.

Como saber se alguém entrou no seu Facebook

Estudo global revelou que privacidade  tem preço para maioria dos consumidores (Foto: Pond5)Estudo global revelou que privacidade tem preço para maioria dos consumidores (Foto: Pond5)

As informações menos valiosas são sexo (US$ 2,90), nome (US$ 3,90) e telefone (US$ 5,90). Entre as mais caras estão hábitos de compra (US$ 20,60), histórico de crédito (US$ 29,20), detalhes de pagamento (US$ 36), condições de saúde (US$ 59,80) e, pasmem, até as suas senhas (US$ 75,80).

Gráfico mostra preço médio de informações estipulada por consumidores (Foto: Divulgação/Trend Micro)Gráfico mostra preço médio de informações estipulada por consumidores (Foto: Divulgação/Trend Micro)

Sentimento de impotência

A capacidade de precificar as informações surpreendeu os pesquisadores. “Simultaneamente, a maioria dos que se identificam como ‘sensíveis à privacidade’ não têm a intenção de mudar suas práticas de comportamento ou compartilhamento de informações, mesmo no caso de experimentarem uma situação de violação de dados. Isso poderia ser atribuído a um sentimento de impotência ou a uma total falta de consciência”, disse Raimund Genes, chefe de tecnologia da Trend Micro.

App PrivacyFix calcula o quanto seu perfil vale para o Twitter; faça o teste

Quanto vale o meu perfil no Facebook?

PrivacyFix: saiba o quanto seus dados valem para Google e Facebook

De fato, 75% das pessoas que responderam ao estudo acreditam não ter qualquer controle sobre suas informações pessoais. A pesquisa aponta ainda que a maioria das pessoas acredita que os benefícios da Internet das Coisas são superiores às preocupações com privacidade. Chamado “Privacidade e Segurança em uma Vida Conectada: Um estudo dos consumidores americanos, europeus e japoneses”, o relatório concluiu que os consumidores querem privacidade, mas nem sempre estão dispostos a mudar suas ações para se proteger do rastreamento online.

A pesquisa foi encomendada pela Trend Micro, desenvolvedora de soluções de segurança para conteúdo na Internet, e abrangeu 17 países. A lista compreende Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Holanda, Polônia, Rússia, Eslovênia, Espanha, Suíça, Suécia, Inglaterra e Estados Unidos. E você, venderia suas informações?

Existe algum receio ao fazer compras online? Comente no Fórum do TechTudo! 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Gabriel Faria
    2015-04-28T14:25:04

    A gente dá quase todas as informações pro Facebook, então não sei o problema em vender.