Jogos de esporte

18/06/2015 00h18 - Atualizado em 18/06/2015 11h29

Fifa 16: testamos as seleções femininas e a nova jogabilidade do game

Felipe Vinha
por
da E3 2015

Fifa 16 é um dos jogos mais aguardados do ano e está disponível para testes na E3 2015, maior feira de games do mundo, em Los Angeles. Depois de muita dificuldade e horas de espera, finalmente pudemos conferir uma versão que contava com a presença das seleções femininas - a grande novidade desta nova edição. Além, é claro, de gráficos ainda mais belos e uma jogabilidade apurada.

Confira abaixo o vídeo da partida entre seleções femininas


Acompanhe o Tempo Real da E3 2015 no TechTudo

Para testar o game, fomos até o stand na hora marcada. Mas após duas horas - e dezenas de emails trocados com a EA -, derrota na estreia: nada de demo exclusiva. Então, no melhor espírito de "prorrogação" e "golden gol", só havia uma solução: encarar a fila do público geral. Mas depois de mais de duas horas aquecendo, finalmente entramos em campo e tivemos a chance de jogar uma partida com o aguardado modo de futebol feminino. Mesmo com toda marcação e torcida contra, golaço do futebol-raça da equipe TechTudo.

Fifa 16 (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)Fifa 16 traz gráficos ainda mais belos e uma jogabilidade apurada (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)

Alemanha e Estados Unidos com suas musas em campo

A demonstração disponível na estação de testes da EA permitia jogar uma partida completa com uma equipe de futebol feminino. Apenas duas seleções estavam disponíveis: Estados Unidos e Alemanha, ambas com escalações bem próximas das últimas partidas que envolveram essas seleções - incluindo Hope Solo no gol norte-americano e Célia Šašić, centro-avante alemã.

Jogamos com outro participante do evento, que controlou o time dos Estados Unidos contra nós, no comando das alemães. O que impressiona, logo de cara, são os gráficos. Esperava-se algo com qualidade, mas não tanta:  cabelos grandes e ainda amarrados, algo presente no jogo, são difíceis de programar.


A EA conseguiu tornar a tarefa parecer fácil e produzir um jogo que não apenas é bonito, mas fluido. As mulheres estão muito bem representadas e com boas animações, bem suaves e naturais, representando um grande avanço se comparado ao FIFA do ano passado, ainda que naquele não houvesse a presença feminina.

Fifa 16: Christine Sinclair é uma das craques presente no game (Foto: Divulgação/EA) (Foto: Fifa 16: Christine Sinclair é uma das craques presente no game (Foto: Divulgação/EA))Fifa 16: Christine Sinclair é uma das craques presente no game (Foto: Divulgação/EA)

Jogo bonito

O mote de FIFA 16, como disse o Pelé no vídeo de divulgação, é “futebol bonito”. Não apenas pelas belas fintas, dribles e jogadas que vimos nos vídeos e costumamos ver em um bom futebol, mas principalmente pela inclusão das mulheres.

Mas isso não está relacionado à sua aparência física, e sim em ter as jogadores femininas bem representadas em um game deste porte. O que importa é que finalmente existe essa opção em um jogo considerado líder de mercado por muitos, mostrando que a representatividade é relevante.

Os gráficos bonitos vieram acompanhados de uma jogabilidade bem equilibrada e consideravelmente melhorada em relação à versão anterior. Os comandos seguem com fácil aprendizado, mesmo para quem nunca jogou FIFA na vida. O game está ainda mais fluido, natural e realista.

fifa 16  (Foto: Divulgação/EA)Fifa 16 tem jogadoras muito bem representadas (Foto: Divulgação/EA)

Com dribles fáceis e chutes a gol ou passes aperfeiçoados, o FIFA 16 surpreende com melhorias nos comandos. Os botões básicos seguem os mesmos de sempre, mas eles respondem e funcionam melhor. Isso vem casado com boas animações e uma inteligência artificial mais aprimorada, como jogadores de seu time que desviam realmente da bola, quando ela não é direcionada para eles.

E por falar em inteligência, os goleiros também estão ótimos, com boas defesas e lances mais espontâneos. Foi difícil fazer gol, principalmente em momentos quando Hope Solo se esticou para pegar uma bola que certamente ia no ângulo. Além disso, todos os jogadores trabalham bem em sintonia, ainda que o talento da inteligência artificial dependa do talento do jogador, ou jogadora, na vida real. Não adianta esperar uma performance incrível de alguém que tenha atributos realmente fracos.

Fifa 16 (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)Testamos o Fifa 16: confira as nossas impressões do game (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)

Mais natural

O FIFA 16 está mais natural, e a bola rola mais constantemente no campo. Os cortes para escanteio, impedimento ou lateral estão mais rápidos e os dois times disputam bem a bola, mesmo em relação aos jogadores que não estão ativos naquele momento. O que importa é realmente a redonda e eles sabem disso.

Além disso, há uma experiência mais completa de futebol, que realmente empolga até mesmo quem não está por dentro do que rola no campo. Com controles fáceis, passes naturais e a inclusão dos times femininos, FIFA 16 se tornou um produto que a EA pode conseguir vender até mesmo para quem nunca jogou antes.

Fifa 16 (Foto: Divulgação/EA)Fifa 16 impressiona com gráficos realistas (Foto: Divulgação/EA)

A demonstração vista na E3 fez valer a pena a espera, já que estamos diante de um game ainda melhor que o anterior e com novidades tão relevantes. Mesmo com horas de espera, sem apoio da EA, com fome e cansados, a missão foi cumprida. Usando todos os poderes da força, nosso time conseguiu erguer a taça. Tudo para que o leitor do TechTudo faça a festa!

Quais são as suas apostas para a E3 2015? Opine no Fórum do TechTudo