12/07/2015 13h44 - Atualizado em 13/07/2015 10h28

FISL 16: 'Bengala smart' para cegos ganha campeonato de robótica

Giordano Tronco
por
Da FISL 16

Uma bengala eletrônica e smart foi a invenção vencedora do campeonato Hackaton Robótica Livre da 16ª edição do Fórum Internacional Software Livre (FISL), evento que ocorreu de 8 a 11 de julho, em Porto Alegre. O acessório apita quando o usuário deficiente visual se aproximar de obstáculos.

Como assistir as palestras do FISL 16 online

Bengala eletrônica com recursos smart ajuda deficientes visuals com sensor e Arduíno (Foto: Giordano Tronco/TechTudo)Bengala eletrônica com recursos smart ajuda deficientes visuals com sensor e Arduíno (Foto: Giordano Tronco/TechTudo)


O guia inteligente para pessoas com deficiência visual – nome pelo qual é chamado pelos criadores – é composto de uma placa Arduino (microcontrolador eletrônico de hardware livre) e dois conjuntos de sensores, um deles para identificar objetos à frente e outro em ângulo oblíquo para identificar obstáculos mais à altura dos joelhos e cintura. O corpo da bengala é feito de lixo eletrônico reciclado.

No espírito da tecnologia livre, o projeto que mostra como montar e programar a invenção vai ser disponibilizado em breve no portal Robótica Livre (portal.roboticalivre.org).

Guia em ação (Foto: Divulgação/FISL 16)Guia em ação (Foto: Divulgação/FISL 16)

Veja vídeo da invenção em funcionamento:


Desenvolvido em apenas dois dias

O guia inteligente apresentado no FISL é um protótipo desenvolvido em dois dias. A equipe de seis estudantes responsável pelo invento quer agora buscar financiamento para produzir um modelo comercial. Já há novas ideias para a versão 2.0. Entre elas, substituir o bipe por um alarme que vibra.

“A ideia final seria colocar os sensores não em bengalas, mas em dispositivos que o deficiente visual usaria no cinto e na altura dos joelhos”, explica Ezequiel Rinco, técnico em redes e um dos desenvolvedores da tecnologia.

“O alerta de proximidade seria então enviado via bluetooth para o celular ou para uma pulseira, e seria uma vibração e não um barulho de ‘bipe’", encerra.

Quem quiser replicar o invento em casa, ou até aperfeiçoá-lo, pode baixar o projeto sem maiores complicações. Como é uma tecnologia livre, a intenção é espalhá-la para o maior número de interessados possível. 

O sistema não exige grandes custos, como lembra Daniel Kock, estudante de Sistemas da Informação e membro da equipe. “É possível comprar o Arduino na Internet. Por R$ 100 você faz um projeto desses", conta.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Patrick Ramos
    2015-07-14T11:18:50

    Melhor vibrar mesmo.