Tablet

26/04/2016 07h00 - Atualizado em 26/04/2016 07h00

iPad Pro: cinco razões para o tablet substituir seu PC e cinco de que não

Elson de Souza
por
Para o TechTudo

O iPad Pro foi apresentado pela Apple com uma proposta nada modesta: ser o tablet capaz de substituir seu notebook. Tanto a versão de 12,3 polegadas, como a de 9,7" - o iPad Pro 9.7" - tiveram um lançamento com diversas alfinetadas ao Windows, da Microsoft. Será que o dispositivo é mais útil que um PC mesmo?

Dicas de como usar o iPad e aproveitar o tablet

Com tela de resolução poderosa e preço salgado (a partir de R$ 7.299, na versão de 32 GB de espaço interno), comprar o iPad Pro traz vantagens e desvantagens. O TechTudo, com isso, lista cinco razões pelas quais os tablets com iOS podem ou não substituir o seu computador.

iPad Pro 9.7'' (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)iPad Pro tem versões de 12,9 e 9,7 polegadas e acessórios para substituir PC (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Motivos favoráveis

1 – Configurações potentes

Diversos usuários ainda precisam do PC para fazer trabalhos pesados, como edição de vídeos, imagens, entre outros. No entanto, o iPad Pro promete oferecer uma performance comparável a laptops, graças ao processador A9X. Segundo a Apple, o chip é 1,8 vezes mais poderoso que o antecessor e tem o dobro de processamento gráfico do iPad Air 2, capaz de editar vídeos em resolução 4K facilmente.

Vale ressaltar que há diferenças entre os modelos de iPad Pro, e o usuário deve prestar atenção quando for comprar. A versão maior, de 12,9", tem processador com 2,26 GHz de velocidade e memória RAM de 4 GB. Enquanto isso, o tablet de 9,7" conta com chip de 2,16 GHz e 2 GB de memória RAM. Nenhum dos dois modelos têm suporte a cartão de memória.

2 – É fácil de transportar

Quem precisa carregar o notebook sabe o quanto isso pode ser pouco prático, afinal, um computador portátil tem peso médio entre 1 e 2 kg. Fora isso, dependendo do tamanho da tela e do design, é preciso uma mochila ou bolsa bem grande para guardar o dispositivo.

iPad Pro 9.7'' (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)iPad Pro de 9,7 polegadas é bastante leve e compacto para carregar (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

No caso do iPad Pro, o peso do aparelho é de 713 gramas, na versão maior, e 437 g, no gadget menor. Sem os acessórios, o tablet bem mais fino, com 6,9 mm para o iPad Pro 12,9" e 6,1 mm para o modelo de 9,7". Ou seja, caso você não precise um componente específico de notebook, vale a pena investir em um tablet.

3 – Possui bateria de longa duração

A Apple promete que tablets são capazes de durar até 10 horas de uso ininterrupto com um único carregamento, o que é uma duração considerável, mas que tende a variar de acordo com a tarefa desempenhada. Ainda assim, é um valor considerável na comparação com laptops convencionais, que aguentam apenas algumas horas longe da tomada. Confira algumas dicas de como estender a autonomia do seu notebook.

4 – App Store tem bons aplicativos de produtividade

Durante muito tempo, pessoas resistiram a migrar para tablets por causa da ausência dos mesmos programas presentes no PC. No entanto, a App Store já conta com diversas ferramentas conhecidas. É o caso do pacote Office, da Microsoft, que permite editar documentos do Word, PowerPoint e Excel gratuitamente no iPad Pro.

iPad Pro conta com diversos aplicativos de produtividade (Foto: Divulgação/Apple)iPad Pro conta com diversos aplicativos de produtividade (Foto: Divulgação/Apple)

Outros programas presentes no dispositivo da Apple são o AutoCAD 360, para criação de desenhos em duas dimensões ou modelagem tridimensional, além de um conjunto variado de apps de edição da Adobe, como Photoshop e Lightroom. Ou seja, as chances de encontrar os principais programas no iPad são bem grandes.

5 – Pode ser usado com teclado físico e caneta

Digitar em telas de tablets sempre foi uma tarefa considerada difícil, principalmente para longos textos. Por causa disso, a Apple lançou o iPad Pro com um acessório batizado de Smart Keyboard. Trata-se de uma capa com teclado embutido para conseguir rápida digitação em teclas físicas e também atalhos de computadores para copiar, colar, entre outras coisas.

Outros acessórios de computador que poderão ser substituídos no tablet são as mesas digitalizadoras. Para atender designers e outros profissionais da indústria criativa, a Apple lançou a Pencil, uma caneta digital com diversos pontos de sensibilidade para oferecer uma boa experiência de escrita no dispositivo.

Motivos contrários

1 – Menos produtividade

O iOS 9 trouxe a função de multitarefas para os tablets da Apple. No entanto, o recurso ainda depende de desenvolvedores e está consideravelmente longe do encontrado no PC. Em primeiro lugar, os usuários estão limitados a trabalhar com dois aplicativos em tela. Enquanto isso, com o Windows 10, a função Snap oferece até quatro apps simultaneamente no modo desktop.

iPad Pro pode tem multitarefas ainda inferior aos de computadores (Foto: Reprodução/Apple)iPad Pro pode tem multitarefas ainda inferior aos de computadores (Foto: Reprodução/Apple)

Outra característica importante é que o tablet não suporta o mouse, o que pode fazer falta às pessoas acostumadas com o acessório. O iOS continua a ser um sistema com limitações e mais voltado para uma experiência móvel do que híbrida com computadores.

2 – O reparo é mais difícil

Se um notebook quebra ou tem algum defeito, o usuário pode levá-lo à assistência técnica para fazer o serviço rapidamente ou até fazê-lo em casa, caso seja mais experiente. No caso do iPad, a construção do aparelho dificulta reparos mais simples.

Outra questão relevante é que problemas como trincamento de tela podem inutilizar o iPad Pro. Em laptops, são mais raros os casos de falhas que interrompem completamente o uso.

3 – Podem ficar defasados em três ou quatro anos

Ao apresentar o iPad Pro de 9,7 polegadas, a Apple provocou a Microsoft ao dizer que ainda há 600 milhões de PCs Windows com cinco ou mais anos de idade. Isso, no entanto, não é necessariamente um problema, já que essas máquinas ainda podem oferecer desempenho satisfatório. Além disso, notebooks com lançamento a partir de 2009, com Windows 7 ou Windows 8, podem ser atualizados gratuitamente para a versão 10 do sistema.

Laptops Windows mais antigos que iPad 1 continuam sendo atualizados ao contrário do tablet (Foto: Divulgação/Apple)Laptops Windows mais antigos que iPad 1 continuam sendo atualizados ao contrário do tablet (Foto: Divulgação/Apple)

Isso revela um problema na linha dos iPads. A primeira versão, lançada em 2010, parou de ser atualizada na versão 5.1.1 do iOS, de 2012. Atualmente, a empresa costuma atualizar os produtos por três ou quatro anos, prazo relativamente inferior ao que a Microsoft tem praticado na transição do Windows 7 para o sistema operacional mais recente.

4 – O hardware não é tão flexível

Um das principais críticas ao iPad Pro é o fato do hardware do modelo ser tão fechado em relação aos notebooks. Por exemplo, o tablet conta apenas com uma entrada lightining, que é incompatível com a maioria dos pendrives, discos externos e acessórios do mercado. Para usar uma porta USB, por exemplo, é preciso comprar um adaptador, assim como para saídas HDMI e slots para cartão de memória.

iPad Pro 9.7'' (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)iPad Pro 9.7'' (foto) tem as mesmas entradas que o iPad Pro (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)

Qual é o melhor tablet atualmente? Comente no Fórum do TechTudo.

Como não tem design modular, o tablet da Apple não oferece possibilidade de expansão como notebooks. Ou seja, quem compra um dispositivo com 32 GB de armazenamento interno vai ter que lidar com essa capacidade permanentemente, contanto apenas com a ajuda de serviços na nuvem, como Google Drive e Dropbox. Já em laptops, é possível trocar o HD, memória RAM, entre outros componentes.

5 – O iPad é caro e seus acessórios são vendidos separadamente

O iPad Pro tem preços que vão de R$ 7.299 (32 GB + Wi-Fi) até impressionantes R$ 10.999 (256 GB + 4G). Os dois valores são para a versão de 12,9 polegadas, já que a Apple não revelou quanto a versão menor custará no Brasil. Para completar, é preciso comprar os acessórios para ter a experiência completa: o Smart Keyboard custa R$ 1.299 e a Apple Pencil sai a R$ 849.

iPad Pro tem preço maior que kits com computadores, tablets e smartphones (Foto: Arte/Elson de Souza)iPad Pro tem preço maior que kits com computadores, tablets e smartphones (Foto: Arte/Elson de Souza)

Não é preciso fazer muitos cálculos para descobrir que é possível encontrar um bom notebook profissional por preços mais baixos. O TechTudo, aliás, tem uma lista com kit tecnológicos que podem ser comprados pelo preço do iPad Pro. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Ailton
    2016-07-04T22:51:51

    Mesmo considerando o câmbio, as taxas de importação e os impostos. Não explicam o elevado valor que o fabricante está precificando para o Ipad pro no mercado Brasileiro. E mesmo sendo um lançamento, na minha opinião, se no mercado internacional, está US$880,00, e aqui R$7.500,00 (9.7" 4G 129 GB), a única explicação que encontro, seria o de abuso.

  • Isaias Freitas
    2016-04-29T12:29:01

    Tem muito mais do 5 motivos contra essa tranqueira. Só sendo rico abestado mesmo.

  • Sirzechs Gremory
    2016-04-28T10:28:57

    OS preços são absurdos. Mesmo que seja um produto de qualidade, o preço me faz optar por um PC Gamer ou Workstation básico ou mesmo um Notebook caso eu realmente precise da mobilidade.

  • Philipe Sales
    2016-04-26T15:19:05

    Nossa!!! Esses preços são ridículos e impraticáveis. É impossível consolidar esse produto no mercado Brasileiro dessa forma. Lógico que qualidade deve custar mais, no entanto, a proporcionalidade dos valores aqui comparado com o exterior é abissal. Enquanto não mudar a tributação, a estrutura do comércio e o incentivo à produção seremos explorados e o custo-benefício será sempre baixo. Triste essa situação!