Publicidade

Por Dário Coutinho; Por TechTudo

TechTudo

Angry Birds Transformers é um game de tiro em terceira pessoa com foco casual e jogabilidade repetitiva, mas que cativa pelos gráficos e upgrade dos personagens. Bastante popular por sua parceria com a franquia Star Wars, desta vez, Angry Birds aposta em outro sucesso dos anos 80, Transformers para Android e iOS. Confira a análise completa!

Testando o novo jogo de Angry Birds, diretamente de Cybertron (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) — Foto: TechTudo

Angry Birds Transformers é uma bela homenagem a primeira geração dos Transformers, que fez bastante barulho entre as crianças nos anos 80. Os robôs apresentados podem ser irreconhecíveis para a crianças de hoje, mas para os mais velhos, que acompanhavam os Transformers na TV, o jogo é pura nostalgia.

O game começa com uma divertida animação inspirada na primeira animação dos Transformers. Nela, vemos os Angry Birds como Autobots e os Porcos como Decepcticons. Tudo parece caminhar pro velho clichê. Mas em Angry Birds Transformers, ambos as facções têm um inimigo em comum, os ovos.

Segundo a história do jogo, o EggSpark transformou os ovos em robôs malucos que estão destruindo a ilha e esgotando o estoque de Energon. Por isso, os Angry Birds terão que unir forças com os Porcos. Isso permite ao jogador jogar com ambos, Autobots e Decepcticons.

Angry Birds Transformers é um jogo de tiro em terceira pessoa “sob trilhos”, onde o jogador não controla totalmente o personagem. Um dos robôs irá passear por um cenário com várias estruturas com porcos ao fundo. Cabe ao jogador destruir todos os porcos para poder habilitar novas áreas.

O visual do jogo lembra bastante outro “Spin-off” de Angry Birds, Angry Birds Go! Porém, seu visual é um pouco mais pesado de detalhado. Em nossos testes, o jogo apresentou quedas na taxa de quadros em aparelhos como iPad 2, Mini e iPhone 4S.

Angry Birds Transformers é um shooter on rails (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) — Foto: TechTudo

A jogabilidade é bastante simples. O jogo captura a ideia do Angry Birds original mas com uma nova abordagem. Dessa vez, os pássaros, que agora são robôs, podem atirar diretamente nos porcos. Contudo, é mais fácil destruir as estruturas onde os porcos estão.

Os robôs chegam na fase e passeiam por ela detonando tudo que aparece pela frente. Em alguns momentos, pedras gigantes irão cair sobre o caminho e o jogador deve tocar em um botão na parte direita da tela para que seu robô se transforme em um veículo e avance rapidamente.

Derrotando os porcos e destruindo as estruturas o jogador coleta porcos e moedas douradas. As moedas douradas são usadas para desbloquear novos cenários e fazer upgrade nos personagens. Já os porcos são utilizados para descongelar novos Autobots e Decepticons que são encontrados pelo caminho.

Por ser um jogo Free-to-play, a repetição das fases já era algo esperado. Mas em Angry Birds, a repetição de ideias é um pouco exaustiva. As fases têm conceitos muito parecidos, tanto nos cenários como nas estruturas onde os porcos estão. Para agravar a situação, as fases mais avançadas são mais rápidas, o que impede que o jogador acompanhe “o que mudou” de uma fase para outra.

Fases quase idênticas é um dos problemas do jogo (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) — Foto: TechTudo

Para amenizar um pouco as partes mais difíceis, o jogador pode evoluir os seus personagens. A evolução funciona no mesmo estilo de vários jogos free-to-play, onde a mesma demora para ser concluída, e o jogador tem a opção de gastar cristais para acelerar o processo.

Um dos destaques de Angry Birds Transformers é a possibilidade de pedir ajuda a outros jogadores. Não se trata de um multiplayer online, pois o personagem do outro jogador será controlado pelo jogo. Ao chegar no campo de batalha, seu novo companheiro de combates causa uma grande explosão, detonando tudo que aparece pela frente. Na versão atual, a ajuda pode ser usada sem custos. Porém, o robô que irá ajudar fica presente na fase apenas durante alguns segundos.

O conceito de Angry Birds Transformers é diferente e há poucos jogos nesse gênero na Google Play e App Store. O jogo mistura um “shooter on rails” com administração de recursos, pois o jogador deve liberar as áreas dos ovos para poder coletar ouro frequentemente.

Upgrade permite ganhar novos golpes e armas melhores (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) — Foto: TechTudo

A possibilidade de fazer upgrade nos personagens é muito bem-vinda. Conforme o jogador avança na aventura, e evolui seus personagens, eles vão ganhando novos golpes. Porém, a evolução é lenta e a repetição das mesmas fases, torna a aventura enjoativa.

Como é de costume, nos jogos de Angry Birds, você pode comprar bonecos e “tele transportá-los” para dentro do jogo. Chamados de “Telepods”, esses bonecos geralmente são muito mais fortes que os personagens habilitados para jogar de graça.

É possível pedir ajuda a amigos, mas não se trata de um multiplayer (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) — Foto: TechTudo

Também de forma similar a outros jogos da Rovio, Angry Birds Transformers exige conexão constante com a internet. Algo que pode não agradar, mas que já é uma prática comum em diversos jogos de outras empresas também. E como o jogo é gratuito para baixar e jogar, essa “feature” já não é vista com algo muito negativo.

Angry Birds Transformers possui ideias interessantes, porém tiroteios mais divertidos e batalhas contra chefes gigantes cairiam muito bem na jogabilidade proposta e acabaram fiacndo de fora. A versão Transformers de Angry Birds é divertida, mas bastante repetitiva, o que acaba tornando a aventura ideal apenas para quem quer colecionar todos os personagens ou ver as versões robóticas dos pássaros e porcos.

7.8

Gráficos
9
Jogabilidade
8
Diversão
7
Som
7

Prós

  • Bons Gráficos
  • Fácil de jogar

Contras

  • Precisa de conexão com a internet
  • Fases pouco criativas

Mais do TechTudo