Jogos de ação

NOTA tt
6.3

Review Assassin's Creed Chronicles: Russia

Série de spin-offs da popular franquia é encerrada em seu capítulo mais fraco, mas que ainda consegue divertir os fãs. Entenda no review

Thomas Schulze
por
em

Assassin's Creed Chronicles: Russia é o capítulo final da trilogia de spin-offs lançada pela Ubisoft e desenvolvida pela Climax Studios para PS4, Xbox One e PC. Como Assassin's Creed Chronicles: China e India, o jogo abandona a tradicional exploração de mundos sandbox e aposta em desafiadoras mecânicas de plataforma stealth, mas alguns tropeços tornam Russia o game mais fraco da série. Confira a análise completa:

Assassin’s Creed Chronicles é a nova trilogia da série da Ubisoft

Da Rússia com amor

Como de costume na série Chronicles, este capítulo de Assassin’s Creed apresenta um cenário inédito nos jogos principais da saga. A bola da vez é a Rússia de 1918, um país que vivia a instabilidade política da Revolução Bolchevique, quando Lenin liderou um golpe de estado e iniciou sua revolução comunista marxista.

Assassins Creed Chronicles Russia retrata bem a Rússia de 1918 (Foto: Divulgação/Ubisoft)Assassin's Creed Chronicles Russia retrata bem a Rússia de 1918 (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Apesar de ser um prato cheio para os historiadores de plantão, o tema, tal qual aconteceu nos capítulos anteriores da série Chronicles, é retratado apenas superficialmente. O que interessa para o jogo é que Nikolai Orelov, um assassino velho, frustrado e cansado, aceita uma última missão da Ordem e deve roubar um artefato antigo dos templários antes de se aposentar e fugir para a América.

Camaradas

Nikolai não está sozinho em sua missão, pois a duquesa Anastasia Romanova logo o acompanha nas missões, o que gera alguns dos melhores momentos do jogo. Nas raras ocasiões em que a dupla trabalha junta para resolver enigmas e superar obstáculos, Chronicles Russia mostra todo seu brilho.

Assassins Creed Chronicles Russia é o fim da trilogia (Foto: Divulgação/Ubisoft)Assassin's Creed Chronicles: Russia é o fim da trilogia (Foto: Divulgação/Ubisoft)

É uma pena, então, que a maior parte do jogo se limite e repetir os mesmos equívocos vistos em China e India, com todas as suas missões de tentativa e erro, lutas desbalanceadas e falhas automáticas de objetivo ao ser avistado por inimigos. Um desperdício da excelente engine criada para Chronicles, que não aproveita os poderes e habilidades dos heróis em troca de um desafio forçado.

Dessa vez o problema é ainda mais sério já que a curva de aprendizado é brutal. Em diversas ocasiões o jogador é obrigado a atuar com perfeição, sem cometer um deslize sequer. Por melhores que sejam seus reflexos, é quase impossível superar as fases sem falhar várias vezes. Este design deve irritar os jogadores casuais, mas pode ser gratificante para os mais hardcore.

Assassins Creed Chronicles Russia é bem desafiador (Foto: Divulgação/Ubisoft)Assassin's Creed Chronicles Russia é bem desafiador (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

“Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante…”

O elemento mais interessante de Assassin’s Creed Chronicles Russia é sua direção artística. Tanto as cenas de corte (que seguem o modelo de painéis estáticos da série) como os níveis em si reproduzem o estilo dos cartazes de propaganda comunista, o que confere uma identidade única ao game.

Assassins Creed Chronicles Russia faz bom uso dos tons de vermelho (Foto: Divulgação/Ubisoft)Assassin's Creed Chronicles: Russia faz bom uso dos tons de vermelho (Foto: Divulgação/Ubisoft)

As cores também foram muito bem utilizadas, e as fases possuem uma estética um pouco parecida com o filme A Lista de Schindler. Ou seja, a maioria dos objetos são retratados em preto e branco, destacando apenas a cor vermelha. Essa escolha ajuda a jogabilidade do game, já que os pontos de interesse saltam aos olhos, como postes e superfícies vermelhas prontas para serem escaladas.

Conclusão

Apesar de ser o capítulo mais fraco da trilogia, Assassin’s Creed Chronicles Russia é um desfecho digno para a ousada série de spin-offs da Ubisoft, que se consagra como um sopro de ar fresco para a desgastada e manjada fórmula dos títulos principais da série. O jogador que procura espionagem e ação 2D pode encontrar várias opções melhores no mercado, mas os fãs de Assassin’s Creed ficarão satisfeitos.

Assassins Creed Chronicles Russia vale a pena para os fãs da série (Foto: Divulgação/Ubisoft)Assassin's Creed Chronicles Russia vale a pena para os fãs da série (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Qual é o melhor Assassin’s Creed de todos os tempos? Comente no fórum do TechTudo.

Nota TechTudo

NOTA tt
6.3
Gráficos
9
Jogabilidade
6
Diversão
5
Som
5

Prós

  • Alta dificuldade (para quem curte um desafio hardcore)
  • Contexto histórico interessante
  • Boa direção artística
  • Legendas e textos em português

Contras

  • Alta dificuldade (para quem busca diversão casual)
  • Níveis desequilibrados e desafios injustos
  • Parceria pouco explorada entre os heróis
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Douglas Araujo
    2016-02-12T13:07:54  

    É, essa série é bem isso mesmo. Acho que entre nota 5 e 7, nada demais, nada de menos. Totalmente esquecível. Prefiro os jogos normais de Assassins Creed. Boa análise

    recentes

    populares

    • Douglas Araujo
      2016-02-12T13:07:54  

      Preferiria que voltassem os jogos de Prince of Persia. Acho muito melhor que Assassins Creed.

    recentes

    populares

    • Douglas Araujo
      2016-02-12T13:07:54  

      Prince of Persia fica muito limitado ao Oriente Médio....Esse é o problema.

  • Marcio Britto
    2016-02-12T20:28:18

    Outro??? Parece que lançam um por semestre.

  • Marcio Britto
    2016-02-12T20:27:47

    Outro??? Parece que lançam um por semestre.