Jogos de ação

NOTA tt
10

Review BioShock Infinite

Trazendo uma proposta de mudança na ambientação da série e de evolução da jogabilidade, Infinite apresenta um enredo complexo e inteligente, gráficos incríveis e uma jogabilidade renovada.

Caio Malhano
por
em

BioShock Infinite é o terceiro título da franquia de sucesso da 2K Games. Trazendo uma proposta de mudança na ambientação da série e de evolução da experiência de jogo, Infinite apresenta um enredo complexo e inteligente, gráficos incríveis e uma jogabilidade renovada.

BioShock Infinite (Foto: Divulgação)BioShock Infinite (Foto: Divulgação)

Do fundo do mar ao topo das nuvens

A primeira cena de BioShock Infinite resume bem a postura do novo jogo em relação a seus dois antecessores. O novo protagonista, o agente Booker DeWitt, aparece em um pequeno barco no meio do mar e se dirige a uma espécie de capsula de lançamento, que o projeta às alturas, levando-o à Columbia, cidade flutuante. A metáfora de deixar o oceano e seguir para o céu é bastante clara e mostra tanto a disposição de mudar, quanto o respeito pelo que já foi feito em BioShock e BioShock 2.

Ao longo do jogo é possível notar que a atmosfera pesada dos corredores claustrofóbicos de Rapture foi deixada para trás, dando lugar à viva e iluminada Columbia. Aos poucos a curiosa cidade revela seus segredos ao jogador através dos olhos do personagem DeWitt, que representa outra mudança na série. Booker rompe o silêncio dos antigos protagonistas e participa ativamente dos diálogos do jogo, mostrando sua personalidade forte.

BioShock Infinite (Foto: Divulgação)BioShock Infinite (Foto: Divulgação)

Jogabilidade empolgante e refinada

Inicialmente a impressão é de que a jogabilidade está praticamente inalterada em BioShock Infinite. As armas de fogo, os poderes, os itens espalhados por todo canto, as mensagens de rádio, as barras de vida e energia, tudo está presente. Entretanto, com a chegada de Elizabeth na trama, as verdadeiras mudanças se apresentam, e agradam.

Pouco antes de encontrar Elizabeth, DeWitt cai em uma confusão e logo o jogador percebe que só poderá carregar duas armas de cada vez. A mudança pode parecer punitiva, mas na verdade acaba contribuindo para a dinâmica do jogo. Não será mais possível escolher suas três ou quatro armas prediletas e jogar do início ao fim com elas. Será preciso se adaptar aos diversos desafios do game e fazer escolhas inteligentes sobre que armas carregar consigo. Por exemplo, em uma parte da história com tiroteios à distância, não faz sentido ter uma escopeta e sim um lança-granadas ou um rifle para longas distâncias. A novidade força o jogador a ‘se virar’ com armamentos que ele não domina tão bem, necessitando improvisar para manter Booker vivo.

A belza Elizabeth em BioShock Infinite (Foto: Divulgação) (Foto: A belza Elizabeth em BioShock Infinite (Foto: Divulgação))A belza Elizabeth em BioShock Infinite (Foto: Divulgação)

As grandes inovações são apresentadas com a chegada de Elizabeth na trama. Felizmente a personagem não faz o tipo ‘donzela indefesa em perigo’ e não precisa ser salva a cada combate. Na verdade, é Elizabeth que ajuda o jogador nos momentos de aperto, seja procurando munição extra, avisando sobre a chegada de inimigos ou utilizando sua habilidade especial. Elizabeth consegue abrir portais que distorcem o tempo e o espaço e pode trazer objetos inteiros de outras realidades para dentro do campo de batalha, como um balão automatizado que atira em seus inimigos.

Outra ótima notícia para os fãs da série é a melhoria no sistema de morte/renascimento. Diferente dos outros BioShocks, nos quais o jogador renascia com o que havia restado de munição e energia (Eve), em Infinite você volta (mais uma vez com a ajuda de Elizabeth) com os recursos que possuía antes do último combate ter começado. Deste modo, é possível repensar sua estratégia e começar praticamente do zero, ao invés de simplesmente lutar com o que restou da última surra que você tomou no jogo.

Um fator que também merece ser citado é o sistema de trilhos, bastante explorado nos vídeos promocionais. Utilizando um gancho de mão (que serve também como arma) é possível viajar em alta velocidade pelos trilhos de Columbia, atingindo locais mais altos e surpreendendo inimigos pelo alto. O mecanismo adiciona bastante agilidade ao combate do jogo e serve como uma forma diferente de explorar o cenário, fugindo das longas caminhadas de BioShock e BioShock 2.

BioShock Infinite (Foto: Divulgação)BioShock Infinite (Foto: Divulgação)

As habilidades receberam alterações interessantes, como os poderosos corvos e o divertido poder de levitação de inimigos, e os equipamentos funcionam de forma automática, bastando ao jogador escolher os efeitos que mais o agradam. Além disso, saem de cena o Big Daddy e a Big Sister, e entram os Handymen, os Patriotas, os Incendiários, o gigantesco Songbird e outros. Para dificultar um pouco mais, a maioria deles é imune a alguma habilidade (os Incendiários não são afetados pelas bombas do Beijo do Diabo, por exemplo).

O aumento na variedade de mini-chefes força o jogador a priorizar melhor seus alvos durante os combates, abatendo primeiro os que o oferecem mais perigo, já que ao longo do jogo eles costumam aparecer em bandos.

Mundos paralelos e muitas perguntas a serem respondidas

A história de BioShock Infinite se passa antes dos acontecimento do primeiro BioShock. O enredo traz alguns elementos bastante conhecidos da franquia, como o protagonista inicialmente sem passado e a temática da distopia, representada pela decadência de uma sociedade repleta de seguidores fanáticos liderados por um tirano. Em Infinite a história gira em torno de três eixos, os passados de DeWitt e de Elizabeth e a história da misteriosa cidade, Columbia. Acrescente a isso o poder da donzela de alterar a realidade e o resultado é uma complexa rede que liga universos paralelos que convergem em uma trama principal.

BioShock Infinite (Foto: Divulgação) (Foto: BioShock Infinite (Foto: Divulgação))BioShock Infinite (Foto: Divulgação)

O patriarca Comstock representa o líder autoritário de Columbia e luta contra o grupo rebelde Vox Populi, liderado pela ativista Fitzroy. Ambos os lados possuem sua parcela de seguidores que combatem entre si, transformando Columbia em um campo de guerra flutuante. Porém, ao viajar entre as diferentes realidades através do poder de Elizabeth, é possível ver versões diferentes da história, nas quais os papéis se invertem. Sendo assim, não há um vilão e um mocinho, mas há sentido na trama, que vai se revelando aos poucos com as reviravoltas e descobertas dos personagens.

Sendo um pontos mais fortes de BioShock Infinite, a história é densa e bem trabalhada, com revelações bem distribuídas ao longo da campanha, o que mantém o interesse do jogador em alta durante as horas de jogo. Deste modo, Infinite irá agradar a quem busca mais do que apenas tiroteio em um game.

Columbia encanta em cada detalhe

Os gráficos e a parte sonora de BioShock Infinite são simplesmente impecáveis. A cidade de Columbia é deslumbrante em cada detalhe, seja a iluminação, a riqueza de objetos em cena ou a movimentação fluida dos personagens. Tudo demonstra grande dedicação e cuidado da equipe de desenvolvimento do jogo. Além disso, a cidade parece ter vida própria. Em uma praça, por exemplo, as pessoas andam e conversam em voz alta, e não apenas quando se aproxima e clica nos personagens. DeWitt e Elizabeth também são comunicativos e iniciam diálogos com outras pessoas de forma espontânea, sem a intervenção do jogador. Tudo isso ajuda na experiência de imersão proporcionada pelo game.

Bioshock Infinite (Foto: Divulgação) (Foto: Bioshock Infinite (Foto: Divulgação))Bioshock Infinite (Foto: Divulgação)

Falhas nas engrenagens de Columbia

Infelizmente nada é perfeito e BioShock Infinite também tem sua parcela de defeitos. O mais grave deles é a ocorrência de travamentos e quedas de frames. Toda a robustez gráfica cobra seu peso e prejudica o desempenho do jogo, que em diversos momentos não roda a 60 frames e sofre com congelamentos incômodos mesmo em máquinas que suportam títulos atuais sem problemas. Deste modo, muitos jogadores terão que se contentar em jogar Infinite em uma configuração reduzida, não podendo aproveitar todo o potencial gráfico do game.

Na versão de consoles, há uma opção para que o jogo rode sempre a 60 frames, porém a qualidade é prejudicada em certos momentos para manter o desempenho do game estável.

Conclusão

BioShock Infinite traz finalmente as inovações que os fãs queriam ter visto em BioShock 2 e surpreende ao elevar a franquia a um novo e mais alto patamar de qualidade. A presença da personagem Elizabeth é um dos grandes acertos do jogo, permitindo uma interação fluida com o protagonista tanto na complexa e inteligente história, quanto nos combates frenéticos. Os gráficos são outro trunfo de Infinite, com iluminação, níveis de detalhes e movimentação impecáveis. Infelizmente o desempenho é prejudicado com quedas de frames constantes e travamentos.

Nota TechTudo

NOTA tt
10
Gráficos
10
Jogabilidade
8
Diversão
10
Som
10

Prós

  • - Inovações na mecânica
  • - Enredo complexo e inteligente
  • - Gráficos incríveis
  • - Trilha sonora bem elaborada

Contras

  • - Travamentos
  • - Quedas de frames
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Diego Dutra
    2013-04-07T18:28:08  

    Depois dessa análise, vou incluir esse game na minha lista de desejos.

    recentes

    populares

    • Diego Dutra
      2013-04-07T18:28:08  

      E então, já comprou o game depois de 4 anos que você escreveu isso?

  • Vinicius Alves
    2013-05-06T16:55:33

    Ainda é cedo para dizer se será o jogo do ou não. Afinal, GTA V mal lançou e já é favorito para ''Game Of The Year'' na VGA.

  • Renato Cordeiro
    2013-04-09T16:40:05

    otimo jogo

  • Camila Miranda
    2013-04-08T01:05:23

    Jogo muito bom! Tem um review do QLag! muito legal no youtube! Procurem! Vale a pena!

  • Rafael Mesquita
    2013-04-07T22:33:04

    Uma franquia extremamente trabalhada, to zerando o 2 agora e vou passar pro Infinite, ao contrário de outros jogos eles não acabaram com a credibilidade lançando um novo todo ano(leia-se CoD e a Ubisoft ta fazendo o mesmo com AC)

  • Xilomeno
    2013-04-07T19:20:39

    Eu nao tenho muita paciencia para jogos deste estilo, mas Bioshock I e II sao maravilhosos, da uma do' danada quando chega ao fim pq queria que nunca acabasse!!

  • Jung Sun
    2013-04-07T19:14:49

    Esse game é uma obra-prima, incrivelmente estupendo, repleto de detalhes e visuais de impressionar, até o presente momento esse é o melhor game de 2013.

  • Jone Freitas
    2013-04-07T15:50:11

    Nunca esperei nenhuma inovação da franquia BioShock, porém se superaram dessa vez !! Espero que realmente seja bom !!

  • Elker Carmo
    2013-04-07T16:59:45  

    acabei de terminar o novo tomb raider e o gears of war judment esse sera minha proxima compra concerteza!!

    recentes

    populares

    • Elker Carmo
      2013-04-07T16:59:45  

      com certeza, estudar que é bom pra aprender a escrever não né?

    recentes

    populares

    • Elker Carmo
      2013-04-07T16:59:45  

      kkkkkkkkkkkkk

  • PATRICK ANTONIOLI
    2013-04-08T01:00:33  

    Difícil falar de jogo do ano se ainda estamos em abril. Este ainda ainda teremos além de Tomb Raider que já saiu, Beyond: Two Souls, The Last Guardian, Watch Dogs, Yakuza 5, Lost Planet 3, parece que um novo XCOM, Dead Island: Riptide, Company of Heroes 2, outro The Walking Dead, talvez um Batman Arkham, Rainbow Six Patriots, talvez Dragon Age 3, Splinter Cell Blacklist, Killzone Shadow Fall, Castlevania Lords of Shadow 2, Bayonetta 2, Saints Row IV, GTA V, Metro Last Night, Battlefield 4, Assassin's Creed 4, Dark Souls 2, The Last of Us. Um ano em tanto. Haja grana.

    recentes

    populares

    • PATRICK ANTONIOLI
      2013-04-08T01:00:33  

      Estou vendendo um rim meu pra poder jogar ao menos a metade desses jogos! brincadeiras a parte, será um grande ano para nós amantes de games!