Jogos de ação

NOTA tt
7.0

Review The Bureau: XCOM Declassified

Novo jogo da série adota tiro em terceira pessoa mas mantém elementos de estratégia. Leia a análise

Murilo Molina
por
em

The Bureau: XCOM Declassified é o novo jogo da clássica série Sci-Fi, agora nas mãos da 2K Games. Misturando os velhos elementos de estratégia com ação e tiroteio em terceira pessoa, o game apresenta uma trama envolvente mas falha na falta de opções mais profundas e de jogabilidade. Confira:

The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação) (Foto: The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação))The Bureau: XCOM Declassified  (Foto: Divulgação)

Mistura perigosa

The Bureau: XCOM Declassified é o fruto de um casamento explosivo entre os elementos estratégicos que fizeram o nome da série XCOM e um shooter em terceira pessoa à la Gears of War. O resultado passa longe de ser ruim, mas também deixa algumas lacunas durante o curto progresso da campanha principal.

O game é protagonizado por Willian Carter, típico agente norte-americano disposto a dar a vida pelo seu país. O personagem, pivô de uma invasão alienígena, junta-se a um grupo de outros agentes na difícil tarefa de proteger a terra dos inimigos forasteiros.

A historia é sempre interessante e envolvente, mas pouco pode fazer pela jogabilidade repetitiva e sem sal. Os comandos até funcionam bem, mas a fórmula repetida incessantemente durante o jogo tende a cansar.

Apesar de levar o nome da série de estratégia da 2K, The Bureau é sustentado e apresentado como um shooter em terceira pessoa. Sistema de cobertura, recargas rápidas e saltos acrobáticos são constantes durante a ação, que remete um pouco à série Mass Effect.

Dê ordens aos aliados enquanto detona os inimigos em The Bureau (Foto: Reprodução)Dê ordens aos aliados enquanto detona os inimigos em The Bureau (Foto: Reprodução)

Estratégia de salvação

As missões são bastante lineares e não costumando pedir mais do que uma viagem até um ponto do mapa. Claro, entre o percurso será preciso enfrentar uma série de inimigos. Para isso, Carter pode escalar até dois agentes para ajudá-lo nos confrontos.

Aí entram os elementos de estratégia. Além de só observar os personagens controlados pelo computador tentando ajudar nas batalhas, é possível parar o tempo e gritar ordens aos agentes, que as cumprem imediatamente e incondicionalmente.

Logo de início, é possível solicitar que eles se movam para outros pontos do mapa e atirem em inimigos específicos. O avanço na campanha desbloqueia novas ordens, incluindo o posicionamento de metralhadores, tiros certeiros e até bombardeios em locais específicos.

Todos os elementos de um bom shooter fazem parte de The Bureau (Foto: Reprodução)Todos os elementos de um bom shooter fazem parte de The Bureau (Foto: Reprodução)

A evolução dos personagens, por níveis, também garante novas habilidades, além de aumentar consideravelmente a barra de vida de cada um deles. A cada evolução, é possível escolher uma nova habilidade, que ensina algo novo ou aperfeiçoa um movimento do personagem.

Além das missões principais, também é possível cumprir tarefas de menor importância, exibidas no mapa junto das outras. Os agentes controlados pela máquina também podem ser enviados para missões sozinhos, onde adquirem experiência.

The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação)The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação)

Trabalho limpo

Tecnicamente falando, a 2K fez um bom trabalho em The Bureau. Rodando no velho Unreal Engine 3, o jogo tem gráficos bonitos, se destacando pela ambientação, muito bem trabalhada e convincente.

Os modelos de personagens, incluindo os inimigos, não são incríveis, mas têm um bom nível de detalhamento e boas animações, com destaque especial para o protagonista Carter. As expressões faciais são um pouco exageradas, mas também não fazem feio.

O áudio é neutro, não comprometendo o game em momento algum. As dublagens são boas para alguns personagens e não tanto para outros. O clima é mantido com as clássicas músicas dos anos 60, que tocam por todos os lados.

Outro pecado de The Bureau fica pela falta de motivos para jogar outra vez. Totalmente ausente de outro modo de jogo, o game não faz muito para manter o jogador interessado. Depois de completar a campanha, a única opção é terminar as fáceis side quests, ou começar do zero.

The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação)The Bureau: XCOM Declassified une a estratégia ao tiroteio (Foto: Divulgação)

Conclusão

The Bureau: XCOM Declassified é uma boa opção aos fãs da série que apreciam um bom jogo de ação. Com boa história e jogabilidade estável, o game só desliza mesmo na falta de variedade da campanha, que pode ser contornada com o uso das divertidas habilidades em equipe.


Opine no fórum: qual será o melhor game de estratégia?

Nota TechTudo

NOTA tt
7.0
Gráficos
8
Jogabilidade
7
Diversão
7
Som
6

Prós

  • - História interessante
  • - Toques de estratégia

Contras

  • - Falta de variedade na campanha
  • - Só um modo de jogo
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Hugo Fraga
    2013-09-12T16:06:45

    Essa Analise não foi muito boa, prefiro o Zangado no Youtube!!

  • Patricio Pereira
    2013-09-12T10:46:54

    UFA!!! ainda bem que a opinião de vcs não vale nada!