Notebook Gamer
Publicidade

Por Luiza M. Martins, da Redação


O Avell C65 HYB é um notebook gamer voltado para o alto desempenho, que chegou oficialmente às lojas em maio de 2022. A linha C65 conta com seis opções com configurações distintas, além do modo "à la carte", no qual o usuário pode montar o PC de acordo com suas próprias preferências. No modelo mais básico, o computador conta com processador Intel Core i7 de 12ª geração, memória RAM de 16 GB do tipo DDR5, SSD de 512GB e a placa de vídeo GeForce RTX 3080, da Nvidia. Há, ainda, a possibilidade de arrematar as versões mais potentes, com processadores Core i9 de 12ª geração, RAM de 32 GB, mais armazenamento interno e placa RTX 3080 Ti.

Todo esse poder, no entanto, tem um custo bem alto: os preços das máquinas variam entre R$ 24 mil e 34 mil, o que torna esses computadores restritos em termos de público. O TechTudo testou a versão mais básica do C65 HYB. Confira, a seguir, nossa análise completa sobre o notebook de "entrada" da linha.

Avell C65 HYB é o novo notebook gamer de alta performance da marca brasileira Avell — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

O design sofisticado

O C65 HYB certamente não é um notebook pequeno, principalmente para quem está acostumado com modelos ultraleves como o MacBook Air ou mesmo o Galaxy Book Pro. Contudo, o modelo, que tem tela de 17,3 polegadas e pesa pouco mais de 2 kg, está longe de ser desconfortável, principalmente considerando a proposta e a categoria — o computador, por exemplo, pode ser usado no colo sem grandes problemas.

É impressionante que um PC considerado high end, ou seja, com peças que garantem sofisticação e alto desempenho, consiga reunir um conjunto tão potente em um espaço tão pequeno. Ponto positivo para a engenharia da máquina, que ainda oferece um espaço extra para inserir mais um slot de memória.

PC da Avell conta com um design sóbrio e materiais nobres em sua composição — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

Em termos de acabamento e design, a sofisticação também está presente na escolha de materiais. O C65 HYB tem carcaça de alumínio, além de um largo touchpad de vidro, o que ajuda a tornar a sensibilidade responsiva e agradável. O visual é bem sóbrio, e pouca coisa em termos de aparência lembram o fato de que se trata de um PC gamer — o que pode ser bom ou ruim, dependendo das preferências de cada usuário. As saídas de ar largas que cercam a máquina são um desses lembretes.

Outro fator do design que lembra a estética gamer é o teclado RGB retroiluminado. Vale ressaltar, no entanto, que é possível mudar a cor das luzes para torná-las mais discretas ou mesmo desligá-las, caso o usuário não goste. Na parte da frente do notebook, há uma "franja" por onde as luzes também vazam, o que garante um efeito bem bonito. Digitar no computador também é uma experiência agradável, uma vez que as teclas são mais pesadas, embora um pouco barulhentas.

O teclado retroiluminado do Avell C65 HYB é bonito e confortável de digitar — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

Em termos de conectividade, o notebook também é bem completo. Ao todo, são três portas USB, sendo duas 3.2 de segunda geração e uma 3.2 de primeira geração, além de uma porta USB-C com Thunderbolt 4. Há ainda entradas P2 separadas para microfone e fone de ouvido, HDMI 2.1, entrada para cartão de memória microSD e até mesmo uma porta padrão RJ-45 para quem deseja usar o PC conectado à internet via cabo, o que já não é tão comum em notebooks mais recentes. Quem tiver mais afinidade com o modo sem fios não precisa ficar preocupado, no entanto: o C65 HYB também conta com o sistema Wi-Fi AX201 e Bluetooth 5.2.

Sistema de som e tela

A potência dos alto-falantes dos notebooks da Avell nunca foi um forte da marca brasileira e, mesmo em sua linha de alta performance (e investimento), o sistema de som continua a deixar a desejar. São apenas duas saídas de áudio, ambas localizadas na lateral inferior da máquina. Mesmo no volume máximo, o som ainda é baixo, além de não apresentar nenhum atrativo em termos de equalização.

É válido ressaltar, no entanto, que essa não é bem a proposta do notebook, muito focado em oferecer uma experiência satisfatória em games e, consequentemente, com fones de ouvido. Já quanto a essa premissa, não há do que reclamar. Em Days Gone, por exemplo, um dos games que usamos em nossos testes, a experiência com fones era suficientemente boa para ouvir os sons dos infectados ao longe, bem como identificar de onde eles vinham.

Som não é um forte do Avell C65 HYB, mas tela Quad HD e com padrão WMA compensa — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

A tela, por outro lado, é um ponto forte do notebook. São 17,3 polegadas com resolução Quad HD, ou seja, 2560 x 1440 pixels, e painel WVA. Além disso, a taxa de atualização é de 240 Hz, o dobro do que é visto em TVs OLED como a LG C1, por exemplo. Essa especificação garante muita fluidez, tanto nas tarefas mais simples quanto, evidentemente, na hora de jogar.

Em nossos testes, também utilizamos o jogo Doom Eternal para observar o desempenho do PC quanto ao frame rate em um game de ritmo mais intenso e com muitas coisas acontecendo em simultâneo. Além de o jogo ter ficado ainda mais bonito do que em sua versão de consoles, a alta taxa de atualização da tela ajudou a tornar a experiência ainda mais orgânica e imersiva.

Outro fator a destacar são as cores, muito bonitas, mesmo que o notebook não seja o ideal para comprar se a prioridade for a fidelidade sRGB. A tecnologia de WVA (Wide View Angle) garante, por exemplo, que elas não fiquem distorcidas quando vistas de lado. Nos games, isso é o suficiente para ter uma experiência visual memorável. Todavia, se o intuito for comprar um C65 HYB para trabalhar com design, por exemplo, talvez seja necessário ter um monitor para garantir a reprodução fiel das cores.

Cores na tela do C65 HYB são bem diferentes das vistas no Asus Vivobook, que não tem padrão WMA — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

Desempenho e experiência in-game

Como é de se esperar de uma máquina com as configurações do C65, o desempenho é digno de uma verdadeira obra de arte tecnológica. No momento de iniciar o PC, isso já fica bem evidente — a máquina demora poucos segundos até estar pronta para o uso. O prazo, no entanto, pode ficar um pouco maior por conta do reconhecimento facial do Windows Hello, que pode ser um tanto confuso, mas nada que comprometa a agilidade do notebook.

Avell C65 HYB oferece uma experiência sofisticada em games — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

Em nossos testes, usamos GTA 5, Days Gone e Doom Eternal para avaliar como o computador se comportaria com games de diferentes propostas. Em todos os casos, o C65 rodou muito bem, apesar da necessidade pontual de alguns ajustes, principalmente na resolução. No game da Rockstar, a única alteração que fizemos foi reduzi-la para Full HD, o permitiu que o jogo rodasse acima dos 60 FPS sem que o computador nem mesmo sentisse o baque. Além disso, a RTX 3080 ajuda a criar uma versão visualmente deslumbrante, com o Ray Tracing brilhando nos reflexos e na iluminação.

GTA 5 não parece ser um jogo de 10 anos de mercado nas configurações máximas — Foto: Reprodução/Luiza M. Martins

Caso semelhante foi o de Days Gone, que também exigiu a redução para 1920 x 1080 para rodar com bom frame rate. Com os gráficos no ultra, o jogo ficou um pouco abaixo dos 60 FPS e se manteve estável o tempo inteiro, inclusive em combates contra as hordas de infectados e durante o uso da moto. O jogo da Bend Studio, que já é um verdadeiro deleite para os olhos, conseguiu ficar ainda mais impressionante com as texturas detalhadas, principalmente na vegetação, e sombras bem feitas. Nas configurações máximas, o jogo ficou ainda mais bonito do que em sua versão nativa de PlayStation rodando no PS5.

Days Gone ficou ainda mais bonito do que em sua versão nativa de PlayStation — Foto: Reprodução/Luiza M. Martins

A única questão é que, com todo esse poder, o computador esquenta — e esquenta rápido. A função de "fan boost", que pode ser acionada com o simples apertar do botão ao lado do power, alivia um pouco, mas não sem fazer parecer que o PC da Avell vá levantar voo. Para os mais exigentes, esse pode ser um ponto negativo. Contudo, vale ressaltar que, durante os nossos testes, a temperatura não foi um empecilho para rodar programas ou games.

Bateria e carregamento

Como acontece com outros notebooks focados em oferecer uma experiência gamer, para extrair a máxima potência do C65 HYB, uma medida é necessária: manter o PC sempre conectado à fonte, principalmente durante as jogatinas. Isso porque, em virtude do alto poder de processamento, é comum que essas máquinas tenham também um alto consumo energético e precisem de alimentação constante. No caso desse computador em especial, essa necessidade fica evidente até mesmo no tamanho da fonte — o equipamento tem 280 W e pesa quase 1 kg, o que pode causar desconforto na hora de transportar o PC.

Fonte do C65 HYB tem 280 W de potência e pesa quase 1 kg — Foto: Luiza M. Martins/TechTudo

Nos testes, tentamos rodar os jogos sem que a máquina estivesse conectada à energia e, como era de se esperar, o desempenho caiu bruscamente. A bateria também deixou bem claro que essa não era a sua função — a autonomia, nesse caso, não chegou às três horas de duração. Para tarefas mais leves e rotineiras, no entanto, o computador conseguiu manter a carga por cerca de seis horas.

Preço e concorrência

A concorrência direta do C65 HYB é bem escassa no mercado brasileiro. Em sua versão com as configurações mais potentes, o principal concorrente é o notebook gamer premium da Dell, o Alienware x17 R2. Entre esses dois, a principal diferença é a tela, que tem 360 Hz de taxa de atualização na máquina norte-americana, para além de algumas tecnologias mais aprimoradas.

No C65 HYB, entretanto, a resolução é maior: Quad HD de 2560 x 1440 contra Full HD 1920 x 1080. Vale ressaltar que, em ambos os casos, o desempenho é garantido, mas não sem um alto custo de investimento — tanto o C65 HYB quanto o Alienware não são para qualquer bolso e, talvez, esse seja o principal "defeito" de ambas as máquinas.

O Alienware x17 R2 é o único concorrente direto do C65 HYB no mercado brasileiro — Foto: Divulgação/Dell

Na versão mais básica, o C65 HYB custa R$ 24.222 no site da Avell. O valor, que já é bem alto, ainda chega aos R$ 34.677, caso o usuário deseje a máquina com as configurações mais avançadas. Evidentemente, a proposta central desse computador não é atender a todos os públicos, e sim oferecer a melhor experiência gamer possível dentro da tecnologia atual. Nesse ponto, o triunfo é incontestável, mas isso não altera o fato de que seria mais interessante ver o computador com valores mais acessíveis e levando essa experiência a públicos mais diversificados.

No vídeo abaixo, veja dicas para vender um notebook usado

Vai vender notebook usado? Veja dicas para evitar problemas

Vai vender notebook usado? Veja dicas para evitar problemas

Mais do TechTudo