Por Luciana Maline; Por TechTudo

TechTudo

A GoPro Hero 2018 chegou ao Brasil há poucos meses e chama a atenção por ser a câmera mais barata da fabricante. O modelo pode ser encontrado por até R$ 900 no varejo e já reduziu em R$ 600 o valor de lançamento, que era de R$ 1.499. Quando o assunto passa para ficha técnica, os dados não impressionam muito: a resolução máxima para vídeos se restringe ao Full HD e, para foto, são apenas 10 megapixels.

Quer comprar uma GoPro barata? Encontre os melhores preços no Compare TechTudo

No interior, a câmera roda os mesmos componentes da Hero5 Session, lançada em 2016, deixando de lado as inovações técnicas trazidas aos modelos de 2017, como a Hero6 Black e a Fusion. O TechTudo carregou a câmera na bolsa por alguns meses e conta detalhes na análise a seguir:

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Se você estiver disposto a colocar na balança modelos como a Hero6 Black ou a Hero5 Black, o visual da Hero 2018 não vai ser um ponto de destaque. Os três modelos dividem os conjuntos de medidas, com os mesmos 99 mm de altura, 221 mm de largura e 69 mm de profundidade, além do peso de 400 gramas.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Inegavelmente, um conjunto agradável para transporte, ainda somado a um revestimento "emborrachado", que soma resistência a um visual agradável. Ainda nesse campo, ela aguenta igualmente os 10 metros de profundidade embaixo d'água, o que é uma vitória dos modelos mais recentes.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

A organização dos botões e visores também auxiliam o melhor uso. A tela de status permanece ao lado direito da lente, assim como as demais, e os dois botões seguem localizados na parte de cima (disparo) e no canto esquerdo da tela (menu). Com essa disponibilidade, os dedos ficam posicionados de melhor a garantir o uso intuitivo.

Assim, você pode acessar o botão de menu com o dedo indicador enquanto escolhe as opções no monitor com o indicador, por exemplo. Em relação às entradas e saídas também não houve surpresas: micro HDMI, USB-C e slot para microSD.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Por outro lado, se no outro lado da balança estiver a Hero5 Session, que divide uma série de especificações com o modelo em questão, o design da Hero 2018 ganha um destaque considerável. Isto porque a Hero5 Session tem como proposta um formato quadrado com medidas reduzidas, o que deixa a câmera com medidas semelhantes a uma chaveiro.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Mas, para isso, ela perdeu o monitor de LCD, que foi um recurso muito comemorado pelos usuários de GoPro deste que ele surgiu no modelo Hero4 Silver. Além disso, a escolha pelo formato retangular da Hero 2018, com proporções mais robustas, facilita a pegada e diminui as imagens tremidas.

A presença do monitor IPS LCD touchsreen de 2 polegadas é um ponto a favor da Hero (2018) diante da concorrência na categoria. O display é realmente sensível ao toque e, durante os testes, não necessitou de mais de um comando para realizar uma ação.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Apesar de a resolução HVGA (320 x 480), a experiência de uso foi satisfatória na maior parte das vezes, apresentando uma composição coerente ao resultado final e cores mais próximas das vistas no momento do clique. Inegavelmente, ainda não temos as cores fiéis à realidade, o contraste e a nitidez que se espera para uma câmera no preço e qualidade de imagem oferecida pela GoPro, mas já é um avanço diante dos primeiros modelos.

A única questão, que também é comum às GoPros, é a capacidade reflexiva do monitor sob alta luminosidade. Como resultado, se você pretende usá-lo em ambiente aberto e cenários de aventura ao ar livre, poderá ter problemas em identificar os ícones de comando.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Para começo de conversa, a GoPro Hero 2018 pode decepcionar os usuários que buscam as tecnologias mais recentes trazidas pela fabricante. Primeiro, no quesito fotografia, o modelo permite somente 10 megapixels, enquanto os modelos mais recentes fazem imagens em até 12 megapixels.

Sabemos que a quantidade de megapixels não determina sozinha a qualidade de uma imagem e é mais um agente para garantir detalhes, mais cores, brilho e contraste. Porém, um papel importante da especificação em fotografia digital é a maior definição na hora fazer novos cortes na edição da imagem, deixando os pixels em evidência. Assim, se você quiser tirar uma foto com ela e depois cortar um trecho para divulgar em seu Instagram, saiba que imagem vai ao ar pixelada, além dos problemas de nitidez e contraste.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

O investimento restrito em qualidade de fotografia não para por aí. A ficha técnica da Hero 2018 não conta com a possibilidade de fotografar em RAW, conquista da Hero5 Black que permaneceu nos modelos posteriores. O formato, traduzido como "cru", tem como vantagem a produção de imagens com mais definição, nuances de cor e intensidade de luz, do que o já conhecido JPEG.

Isto até pode ser justificado pelo conjunto interno mais modesto com o fim de fazer uma máquina mais barata para o usuário, mas não podemos deixar de falar que isso é um ponto contra para quem busca uma imagem de qualidade. Vale lembrar também que a GoPro Hero5 Session, que divide boa parte da ficha técnica com a Hero 2018, já fotografa em RAW e conta com o mesmo sistema de processamento.

GoPro Hero 2018 11 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Por dentro, é possível perceber a simplificação diante também nos modos de configuração. A Hero 2018 conta com três tipos de enquadramento, que simulam diferentes lentes. São eles: estreito, médio e amplo.

Entre eles, o que sofreu mais impacto com a redução da quantidade de megapixels é o "modo estreito" que, ao dar o zoom para aproximar o objeto, fica com nitidez e contornos prejudicados. Além disso, a câmera faz leitura diferente de balanço de branco em cada um dos modos, mesmo mantendo o objeto fotografado e a posição do fotografado.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Quando o assunto é fotografia noturna ou em ambientes nublados, os resultados vistos durante os testes não são os melhores. A imagem possui até uma boa iluminação, mas há prejuízo em contornos, nitidez e foco. Isto porque a nova Hero 2018 manteve os dados de alcance dinâmico da GoPro Hero5 Black, enquanto as novas GoPro Hero6 Black e GoPro Fusion contam com aumento no alcance dinâmico, o que facilita a produção de imagens mais claras e com maior gama de tons.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Para quem quer comprar uma GoPro para fazer vídeos, a Hero 2018 oferece a opção de filmar em 1080p (Full HD) a 30 ou a 60 frames por segundo, ou a 1440p (Quad HD), também a 30 ou 60 fps. Durante os testes, a câmera respondeu bem operando em resoluções máximas, sem esquentar em excesso mesmo em tempos mais longos. Porém, é importante destacar que a tendência do mercado para câmeras de ação é a resolução 4K e é possível encontrar máquinas na mesma faixa de preço da Hero 2018 que tenham este dado na ficha técnica, como é o caso da próxima Hero5 Session.

Quer conferir a qualidade dos vídeos da Hero6 Black? Confira o vídeo abaixo:

Então, se você é um usuário mais exigente, esse fator auxilia não só na qualidade final da imagem, mas dá maior liberdade na hora da pós-produção. Com isso, é possível fazer cortes e consertos de cor com mais facilidade, sem danificar muito as imagens capturadas.

Estabilização

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

A presença do estabilizador eletrônico (EIS) de até três eixos é mais um ponto a favor da Hero 2018. O recurso, que foi refinado com a chegada da Hero 6 Black, promete reconhecer movimentos sutis e, a grosso modo, tentar consertá-lo por meio de software. No geral, o resultado foi positivo. Os movimentos ficam suaves e pouco artificiais desde que suas ações sigam as rotas previstas, como um caminhar em linha reta, diagonal ou circular. Quando as curvas foram mais surpreendentes ou o "sacudir" foi uma pouco mais intenso, o resultado ficou robótico e pouco natural.

Comando de voz

O comando de voz em português é uma conquista recente da GoPro e a Hero 2018, enfim, herdou bem o recurso. No total, são 10 idiomas e a a função é bem útil para gravar ou fotografar a si mesmo à distância ou capturar ângulos em que você não possa estar perto da câmera.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo



São 12 comandos, entre eles: "GoPro comece a gravar", "GoPro tire uma foto" e "GoPro desligue". Sobre seu desempenho com o processador Ambarella, não há o que reclamar. Durante os testes um lugar sem grande circulação de pessoas e fatores ambientais, como cômodos de apartamentos, as respostas aos comandos foram rápidas e a identificação ao idioma foi bem precisa. Vale lembrar que a possibilidade de comandar remotamente por voz em português chegou junto à GoPro Hero6 Black, em 2017. Antes, o recurso já estava presente na Hero5 Black, mas era restrito ao inglês.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Bateria

Quando o assunto é bateria, não há o que reclamar. A Hero 2018 vem com uma bateria de lithium-ion, com 1.220 mAh, 4.40V, mesma dos modelos mais recentes. Durante o teste, ela durou mais de um dia com uso moderado e cerca de 55 minutos em uso intenso, gravando a 1080p com 60fps.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

A vantagem é que a câmera conta com um conjunto interno mais humilde do que as versões Hero6 Black e Hero5 Black, além de resoluções de foto e vídeo menores, o que também reduz o consumo de bateria. Por dentro, a máquina traz um o processador Ambarella e não com o GP1, que é o modelo mais recente da marca e está presente na Hero6 Black, o que faz com que o consumo de energia seja menor.

A GoPro Hero 2018 chegou ao mercado nacional em maio deste ano por R$ 1,5 mil. Atualmente, é possível encontrar a câmera por até R$ 900 no varejo, o que faz dela a GoPro mais barata disponível no mercado. Antes, o modelo a alcançar o posto era a Hero5 Session, que desembarcou por aqui por R$ 1,9 mil, mas já pode ser encontrada por R$ 1,3 mil.

Com o formato quadrado, a Session conta com as vantagens de portabilidade e resistência de uma câmera de ação, mas peca em experiência de uso, ao remover o monitor de seu design. Já a Hero 2018 adiciona o tão pedido display LCD, além da promessa de imagens mais estáveis por medidas mais robustas.

GoPro Hero 2018 (Foto: Luciana Maline/TechTudo) — Foto: TechTudo

Diante do preço mais em conta e ficha técnica mais modesta, o modelo surge, sem dúvidas, como uma possibilidade para quem deseja ingressar no universo das GoPros. Ela traz a resistência e portabilidade típicas da fabricante, além da prática transferência de dados para o celular, pelo app da GoPro. Assim, fica bem mais rápido compartilhar o material com amigos ou postar em redes sociais.

Mas, se você já tem uma GoPro, usa todos os seus recursos, e quer dar um upgrade em qualidade de imagem e autonomia para fotos e vídeo, talvez seja o caso de esperar um pouco mais e investir em uma outra versão da máquina. Um bom exemplo é a GoPro Hero5 Black, que foi lançada em 2016, e hoje custa R$ 1,5 mil em lojas de varejo. Com configurações mais avançadas, ela grava em 4K e ainda oferece sensor de 12 megapixels.

Qual a melhor concorrente da GoPro? Comente no Fórum do TechTudo

8

Qualidade da Imagem
7
Peso/Tamanho
9
Funcionalidades
7
Custo-benefício
9

Prós

  • Design idêntico aos modelos mais recentes
  • Bateria
  • Comando de voz
  • Preço baixo

Contras

  • Só grava em até Full HD
  • Sensor com (só) 10 megapixels
  • Funções mais restritas

Mais do TechTudo