Publicidade

Por Felipe Vinha; Por TechTudo

TechTudo

Guitar Hero Live chegou ao PlayStation 3, PS4, Xbox One, Xbox 360, Nintendo Wii U e iOS, mas veio de uma maneira diferente de como estávamos acostumados com a série. Sim, ele traz novamente o controle em forma de guitarra, mas desta vez a jogabilidade está distinta quando comparada a do concorrente Rock Band. Confira a análise completa e descubra mais sobre o título musical:

Guitar Hero Live resolveu mudar e, para isso, jogou fora tudo que os fãs já conheciam da franquia desde o primeiro game e retornou com uma espécie de “reboot”. Esqueça a banda completa: aqui só tocamos guitarra e, no máximo, é possível usar um microfone para cantar. O foco agora é outro e a diversão foi elevada a outro nível. 

Guitar Hero Live vem com novo controle (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

Para começar, a principal novidade é a guitarra. O game não é compatível com nenhum instrumento anterior, e por isso é necessário comprar um pacote com o novo controle. Ele é totalmente preto com detalhes dourados. A maior diferença está nos comandos nos quais o jogador toca as músicas: agora são seis, em vez de cinco. E eles estão posicionados em duas fileiras com três botões cada, uma em cima e outra embaixo.

Ambas as fileiras de três botões são divididas nas cores preta e branca. Isso se reflete também na jogabilidade: em vez dos clássicos comandos coloridos, agora há apenas os pretos e os brancos. O restante segue fórmula bem similar a de títulos anteriores, em que é necessário seguir a música e pressionar os botões corretos, no ritmo certo.

Guitar Hero Live usa filmagens de shows (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

Apesar das mudanças, a essência de Guitar Hero ainda está presente, pois é preciso fazer as notas corretas para somar pontos e ter uma boa performance na música, somar estrelas para subir no ranking e, claro, curtir o som quando o show está “perfeito”. Mas há mais novidades no horizonte e que vão além da guitarra inédita.

Podemos dizer que o novo Guitar Hero contém dois jogos em um: a porção Live e o modo TV. Vamos explicá-los, mas primeiro o foco fica com a parte Live. Esta nada mais é que o modo de jogo, o qual pode ser aproveitado offline e está contido em disco. Há um setlist fixo com pouco mais de 40 músicas, além de shows ao vivo que acompanham cada canção. 

Se o público estiver insatisfeito em Guitar Hero Live, jogador vai saber (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

Os gráficos e personagens 3D foram deixados de lado e substituídos por shows reais, gravados com banda e público. O mais divertido é que as apresentações são dinâmicas. Se o guitarrista, que vê tudo em primeira pessoa, tem performance ruim, a imagem transita e mostra a plateia insatisfeita. Mas o contrário a isso também é possível, os fãs aparecem felizes e pulam ao som da música.

Guitar Hero Live, o modo principal, é bem divertido e simula grande programação de shows ao longo de enormes turnês realizadas nos Estados Unidos e Reino Unido. É estranho tocar músicas famosas com bandas desconhecidas, mas não é algo que vá prejudicar a experiência.

A nova guitarra de Guitar Hero (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

O modo Live tem o grande problema de ser muito limitado. Além das poucas músicas contidas no setlist, e muitas delas nada inspiradoras, quando acabamos os shows não sobra muita opção, a não ser tocá-las de novo na opção “Jogo rápido”, sem muito objetivo. É aí que entra em cena o Guitar Hero TV.

O Guitar Hero TV é o “pulo do gato” do novo game da série. Ele não tem DLC, isto é, músicas extras vendidas por download, mas é possível aproveitar tudo pelo streaming do serviço online. O modo “TV” funciona apenas com uma conexão à Internet.

Guitar Hero TV é o modo online com clipes jogáveis (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

No Guitar Hero TV o jogador tem acesso a dois canais, “GH1” e “GH2”, que possuem programação fixa e, a todo o momento, passam clipes musicais das mais diversas bandas e artistas. O que o usuário faz é acessar um destes canais e tocar o que estiver passando ali, sem escolher a música. Isso soma pontos ao seu nível e também lhe coloca no ranking mundial das canções de Guitar Hero como um todo. São mais de 200 faixas, com outras que serão disponibilizadas em atualizações futuras.

A ideia pode parecer estranha e o fato de exigir conexão com a Internet torna as coisas ainda mais esquisitas. Mas não se preocupe, pois tudo funciona muito e, mesmo em redes bastante lentas, é possível aproveitar o serviço de streaming. Vale o registro: tudo é de graça, inclusive jogar as músicas dos clipes, mas o jogador também tem a opção de gastar dinheiro para comprar créditos.

É possível jogar GH TV sem pagar nada (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

Os créditos permitem várias ações: personalizar a guitarra dentro do game, criar cartão de jogador, tocar qualquer música sem necessariamente esperar que ela seja exibida na programação de um dos canais e mais. Porém, também é possível conseguir os mesmos créditos apenas jogando, por meio de moedas virtuais concedidas ao usuário no final de cada canção – de acordo com sua performance.

O sistema funciona incrivelmente bem e lhe permite aproveitar o game sem grandes problemas. Durante nossos testes, chegamos ao nível 10 – no total de 20 –, e não gastamos um centavo sequer em dinheiro real. Tudo que compramos foi com as moedinhas virtuais, obtidas ao longo do jogo, apenas tocando as músicas.

O modo GH TV é sempre atualizado (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

É verdade que esse tipo de solução online apresenta dois problemas: o primeiro envolve as desconexões que encontramos em alguns momentos. Não foi raro cair no meio de uma música ou enquanto estávamos no menu do GH TV, e sermos levados de volta à interface inicial. Além disso, há sempre o risco de, eventualmente, a produtora Activision desligar os servidores do serviço, e assim ficarmos somente com as 44 faixas contidas em disco.

Ainda assim, são temores que não atrapalham a experiência. Mesmo que o jogo perca sua popularidade um dia, é preciso pensar no momento em que compramos e no tempo que aproveitamos ao longo de sua vida útil. Neste sentido, e por enquanto, a Activision fez um belo trabalho.

Personalizações são o forte de GH TV (Foto: Divulgação/Activision) — Foto: TechTudo

Vale lembrar que Guitar Hero Live não apresenta outros instrumentos, mas tem modo multiplayer, o que permite duas guitarras tocarem as mesmas notas em disputa de pontos. Há também a possibilidade de um terceiro jogador participar da música cantando – por meio de um microfone USB ou aplicativo próprio e criado para o jogo. No entanto, não há modo para tocar baixo, por exemplo.

Guitar Hero Live inova ao apresentar um modo de jogo realmente diferente do concorrente, soprando vida nova ao gênero de games musicais. Há praticamente dois títulos em um, com grande destaque para Guitar Hero TV, espécie de “emissora musical” dentro do game, e que lhe permite tocar mais de 200 músicas sem gastar nada. Sem dúvida alguma vale a conferida, principalmente se você estava cansado do mesmo esquema que Guitar Hero e Rock Band seguiam há anos.

Qual é o melhor jogo rítmico de todos os tempos? Comente no Fórum do TechTudo.

9

Gráficos
9
Jogabilidade
9
Diversão
9
Som
9

Prós

  • Guitar Hero TV inovador
  • Guitar Hero no modo Live divertido
  • Criativo uso de filmagens reais
  • Muitas músicas no modo online
  • Possível tocar músicas extras sem gastar dinheiro

Contras

  • Desconexões no modo GH TV

Mais do TechTudo