Jogos de ação

NOTA tt
9.0

Review Infinity Blade 2

Infinity Blade II não revoluciona como o título anterior, mas melhora muito a experiência da saga medieval com toques de ficção científica da ChAIR. É o game definitivo não apenas para mostrar a grande capacidade gráfica dos aparelhos da Apple, mas para provar como é possível trazer uma experiência complexa em uma interface diferente como o touchscreen, utilizando os recursos específicos da plataforma. É o melhor jogo para iOS na App Store atualmente e vale cada centavo gasto nele. Não espere mais nem um minuto para baixá-lo.

Bruno do Amaral
por
em

Nome: Infinity Blade II
Gênero: Ação
Distribuidora: Epic Games/ChAIR
Plataformas: iOS (iPhone 4S, 4 e 3GS, iPod touch 3ª e 4ª geração e iPad 1 e 2) 

Infinity Blade 2 (Foto: Divulgação)Infinity Blade II (Foto: Divulgação)

Quando Infinity Blade foi lançado em dezembro de 2010, uma certa celeuma sobre o mercado de videogames foi criada. Até então, o iOS – que equipa o iPhone, iPod touch e iPad – era tido apenas como mais um sistema de celular para joguinhos do tipo Angry Birds para passar o tempo. Um ano depois, a plataforma da Apple já é tida como a maior entre os games portáteis, mas também oferecendo uma experiência muito mais profunda para os jogadores hardcore.

Isso aconteceu porque o título da produtora ChAIR desafiou não apenas o Nintendo DS e o PSP, mas mesmo consoles como Xbox 360 e PlayStation 3. Os gráficos avançados conseguidos graças ao motor gráfico Unreal Engine 3, o mesmo de Batman: Arkham Asylum e da série Gears of War, impressionam até hoje. Sem contar que, por US$ 6 (cerca de 10% do preço de um jogo em lojas), foi um dos best-sellers da App Store em 2011.

A chegada de Infinity Blade II então foi cercada de expectativas, impulsionada pela revolução trazida pela primeira versão do game. O aplicativo foi apresentado pela primeira vez junto com o lançamento do iPhone 4S (confira nosso teste), prometendo gráficos ainda mais avançados e algumas inovações no gameplay.

Será que a ChAIR conseguiu isso, ou apenas fizeram um clone do primeiro jogo? Confira no review abaixo ou baixe logo clicando aqui.

Infinity Blade II (Foto: Divulgação)Infinity Blade II (Foto: Divulgação)

Gráficos

Não há nada a negar, Infinity Blade II é uma maravilha técnica rodando em um aparelho tão pequeno quanto seu telefone. É impressionante ainda mais ao se levar em consideração que, não faz muito tempo, celulares só eram capazes de rodar “jogos de cobrinha”.

Mas há ressalvas. Primeiro, para poder ter todo o potencial gráfico, é preciso ter algum aparelho com o chip dual-core A5: ou o iPhone 4S, ou o iPad 2. No tablet, a performance é melhor por conta de 200 MHz a mais de processamento (total de 1 GHz), além da tela maior para apreciar os belos cenários e personagens do game. Ainda assim, Infinity Blade II é bonito em também no iPhone 4 e 3GS e no iPod touch e iPad 1.

InfinityBladeII02Infinity Blade II (Divulgação)

As texturas estão melhores, e o cenário está muito maior. Vários caminhos alternativos agora dão a sensação de grandeza e variedade de ambientes, muitas vezes explorando – como sempre – o jogo de luzes em vitrais, árvores e estátuas. Tudo de maneira muito realista, mesmo sendo renderizado em tempo real.

Aliás, os efeitos de luz ficam realmente impressionantes, interagindo com objetos de maneira realista. No entanto, depois de algumas partidas, o excesso de focos luminosos começa a ficar sem propósito, mas não dá para culpar a ChAIR de se orgulhar de seu produto – é realmente bonito.

Jogabilidade

InfinityBladeII01Infinity Blade II (Divulgação) 

Se os gráficos foram uma evolução, o gameplay também foi. Em essência, é a mesma forma de interagir do jogo anterior: risque a tela com o dedo em determinadas direções para aplicar golpes nos oponentes. A diferença é que, desta vez, há outros tipos de armas e, com elas, novas formas de atacar, defender e desviar.

Muito de Infinity Blade II é baseado nessa mecânica complexa que mistura reflexos rápidos com estratégia – não só saber a hora certa de atacar, mas escolher bem as armas, magias e defesas corretas para cada oponente, pensando ainda na oportunidade de evoluir cada um desses elementos após a luta. A ChAIR melhorou muito essa característica no game, trazendo mais profundidade ainda.

Uma grande adição foram as gemas preciosas: com elas, é possível adicionar outras atribuições aos itens, como mais poder de ataque, mais possibilidade de ganhar dinheiro após as lutas, entre outras. Mas não são tão fáceis e abundantes assim, e é preciso gastar algum tempo jogando para começar a reunir as pedras necessárias.

InfinityBladeII04Infinity Blade II (Divulgação) 

Mas o que mais modifica a mecânica é a possibilidade de utilizar armas pesadas ou duas espadas simultâneas, além do modelo tradicional. Isso muda a forma de defesa também, pois, sem escudos, é preciso se valer muito mais de desvios e parrys – os contra-ataques. Essas alternativas podem ser ainda mais úteis contra inimigos com ataques especiais, como veneno, magia e elementos naturais.

O importante é que, mesmo sem a liberdade de movimentação na exploração do cenário, Infinity Blade continua uma ótima experiência por ter sido pensado para a tela sensível ao toque desde o nascimento. Por isso mesmo, funciona melhor no iPad do que no iPhone e iPod touch – quanto mais espaço para a ação, melhor. E a sensação de satisfação ao derrotar um inimigo com os cortes é superior a do primeiro título.

História

InfinityBladeII03Infinity Blade II (Divulgação) 

Dessa vez, o enredo do game está um pouco mais palatável. No título anterior, havia repetição demais para contar como várias gerações de cavaleiros medievais lutam contra o déspota tirano GodKing, contando com uma interessante reviravolta. No entanto, essa mudança na história demorava demais para acontecer – a ponto de muitos terem desistido do jogo antes de descobrirem mais sobre ela.

Agora, com diálogos em inglês (legendados, mas no mesmo idioma), há uma maior atenção ao roteiro. Boa parte da jogabilidade passa a fazer mais sentido, dando o ar épico de transcendência e justificando mais a repetição da jogabilidade. Claro, há grandes reviravoltas na trama novamente.

Outras novidades ainda deverão vir, como o modo multiplayer e atualizações que deverão incrementar armas, inimigos e outros elementos. Aliás, a produtora já garantiu alguns updates para consertar bugs desde o lançamento, incluindo um erro irritante que ignorava os saves do jogador ou fazia a taxa de quadros cair demais em aparelhos mais antigos.

Infinity Blade II (Foto: Divulgação)Infinity Blade II (Foto: Divulgação)

Conclusão

Infinity Blade II não revoluciona como o título anterior, mas melhora muito a experiência da saga medieval com toques de ficção científica da ChAIR. É o game definitivo não apenas para mostrar a grande capacidade gráfica dos aparelhos da Apple, mas para provar como é possível trazer uma experiência complexa em uma interface diferente como o touchscreen, utilizando os recursos específicos da plataforma. É o melhor jogo para iOS na App Store atualmente e vale cada centavo gasto nele. Não espere mais nem um minuto para baixá-lo.

Nota TechTudo

NOTA tt
9.0
Gráficos
10
Jogabilidade
10
Diversão
10
Som
9

Prós

  • - Gráficos
  • - Jogabilidade evoluiu
  • - Roteiro aprimorado
  • - Cenário maior

Contras

  • - Pesado para dispositivos antigos
  • - Ainda traz repetições
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Júlio Filho
    2011-12-27T17:38:08

    Cada centavo gasto ou o tempo de download pelo Installous?