Jogos de RPG

NOTA tt
7.3

Review Lightning Returns: Final Fantasy 13

Lightning Returns: Final Fantasy 13 finaliza o arco de histórias da trilogia com os velhos problemas de narrativa e personagens sem carisma, mas com um sistema de batalha totalmente reformulado e divertido. Confira o review.

Silas Tailer
por
em

Lightning Returns: Final Fantasy 13 é o terceiro e último capítulo da série, desenvolvido e distribuído pela Square Enix para Xbox 360 e Playstation 3, lançado em Fevereiro de 2014. Em Lightning Returns finalmente temos a conclusão do arco de histórias de Final Fantasy 13, mas será que o game consegue recuperar a fórmula mágica que a franquia conquistou ao longo dos anos e que vem sendo criticada em seus últimos títulos? Veja nossa análise completa a seguir.

Lightning Returns: Final Fantasy 13: veja os segredos escondidos no game

Lightning Return: Final Fantasy XIII (Foto: Divulgação).Lightning Return: Final Fantasy XIII (Foto: Divulgação).


Enredo

Lightning Returns se passa cronologicamente 500 anos após o final de Final Fantasy 13-2 e cerca de 1300 anos após Final Fantasy 13. Lightning, a protagonista do primeiro jogo, é acordada após um longo período de sono pelo Deus da Luz, Bhunivelze. Ela deve salvar o maior número de almas possível, pois o ciclo de vida do mundo foi quebrado e já não há mais mortes nem renascimentos, apenas um mundo estagnado em seu próprio tempo que apenas aguarda o apocalipse.

Com apenas 13 dias para coletar um número suficiente de Eradia, a energia das almas, nossa heroína corre contra o tempo para satisfazer o desejo das almas e trazer-lhes a felicidade e paz para que possam ser salvas e enviadas ao novo mundo.

Mas não se engane, apesar de ser uma continuação direta dos acontecimentos retratados nos jogos anteriores, não há a necessidade de tê-los jogado para que haja o entendimento do que está ocorrendo no mundo. É verdade que algumas sutilezas nos diálogos e eventos passados podem não ser entendidas e deixar um ponto de interrogação na cabeça do jogador. Mas a urgência que o jogo traz, faz com que o foco do jogo seja maior no mundo do que em ligações passadas entre os personagens.

Cenas marcantes são alguns dos pontos altos da narrativa em Lightning Returns. (Foto: Reprodução)Cenas marcantes são pontos altos de Lightning Returns. (Foto: Reprodução)

Como sua missão é percorrer o mundo em busca de salvar o maior número de almas possíveis, o jogador irá percorrer as quatro regiões de Nova Chrysalia. Cada região possui além de sua missão principal, diversas missões paralelos (sidequests). Contudo, uma vez que estamos em uma corrida contra o tempo para realizar o maior número de eventos, mesmo os menores, são imprescindíveis, pois, é a partir deles que as habilidades de Lightning são melhoradas.

Apesar de Lightning Returns trazer essa urgência de acontecimentos, assim como em Final Fantasy 13-2, o jogo também trás consigo um enredo confuso, superficial e por vezes contraditório. Uma das melhores adições ao enredo que temos é a personagem recém-introduzida Lumina, uma vilã alegre e desdenhosa. Outro destaque é o próprio mundo e as missões secundárias disponíveis.

Há dezenas delas, e apesar da maioria delas serem composta de típicas matanças de monstros e busca por determinados itens, algumas destas histórias valem a pena serem conferidas. Pois, a ideia de um mundo estagnado há 500 anos traz consigo reflexões de existência, temos por exemplo, mentes adultas frustradas por estarem presas em seus corpos de crianças, pessoas castigadas pela perda e luto que carregam consigo cicatrizes profundas. Portanto, há muitas histórias para descobrir e encontrá-las. Isso é, de longe, a parte mais agradável do enredo.

Jogabilidade apurada

Em Lightning Returns os corredores infinitos e tutoriais prolongados foram substituídos por áreas enormes e uma progressão de jogo aberta. Apesar de ter uma escala linear de dificuldade progressiva o game encoraja os jogadores a seguirem a ordem natural das missões. O conteúdo restante é composto completamente por missões secundárias, sendo elas as únicas formas de evolução do personagem, além de equipamentos. Os desenvolvedores da Square Enix decidiram fugir do sistema de evolução baseada em níveis que eles mesmos consolidaram ao longo dos anos uma vez que a protagonista já é uma semideusa e não necessita evoluir.

A customização de schemas é um dos pontos altos em Ligthning Returns. (Foto: Reprodução)A customização de schemas é excelente. (Foto: Reprodução)

A principal característica de jogabilidade que Lightning Returns traz consigo é o sistema de batalha. O sistema de batalha baseado em tempo ativo (ATB) chegou ao ápice de sua evolução em 13 e 13-2, e a partir dele os desenvolvedores surgiram com um paradigma de combate intensivamente baseado em ações em tempo real que requerem do jogador reflexos aguçados para bloquear, desviar e atacar efetivamente. Durante o game, Lightning pode trocar instantaneamente até entre três “schemas“, um conjunto de equipamento e habilidades totalmente customizáveis, a qualquer momento. O ponto chave para o sucesso neste sistema é conseguir balancear o tempo de espera entre as varias habilidades configuradas. A destreza manual e o timing também se mostram essenciais para que um bloqueio seja capaz de reduzir consideravelmente danos recebidos e aumentar a capacidade de sobrevivência entre as diversas lutas do jogo.

As batalhas em Lightning Returns são dinâmicas e exigem destreza. (Foto: Reprodução)As batalhas são dinâmicas e exigem destreza. (Foto: Reprodução)

Apesar do sistema de combate exigir uma curva de aprendizado um pouco maior que o normal, ele recompensa sendo consistente, divertido e viciante. As alterações estratégicas que podem ser testadas imediatamente e permitem que ajustes possam ser realizados para cada tipo de jogador. Por fim, Lightning Returns pode ser surpreendentemente difícil alguma vezes, e diferentemente de seus predecessores, derrotas são severamente punidas, portanto esteja sempre preparado e não esqueça de levar poções consigo!

Gráficos piores do que anteriores

A franquia Final Fantasy se tornou notável por diversos elementos ao longo dos anos, mas inegavelmente, um dos mais importantes eram as cenas pré-renderizadas. A cada lançamento de um título da série, a pressão por um jogo esteticamente mais bonito só aumenta e nesse aspecto o jogo não decepciona. Contudo, esse é de longe o jogo com a pior qualidade gráfica da trilogia.

Não me entendam mal, a cenas são maravilhosas e de um esmero impressionante e os personagens principais são muito bem detalhados, mas o restante do mundo não recebeu a mesma atenção. Os designers fizeram um ótimo trabalho ao criar um mundo vasto, cheio de construções bem ornamentadas, o problema é que não se deve aproximar muito a câmera desses elementos, pois as texturas de baixa qualidade e as arestas mal acabadas estarão lá. Portanto, o jogo é visualmente agradável, mas peca pela falta de polimento em alguns elementos secundários.

As texturas de baixa qualidade acabam sendo visíveis quando aproximamos a câmera para o personagem. (Foto: Reprodução)A baixa qualidade aparece ao aproximamos a câmera (Foto: Reprodução)


Som agradável e diversificado

Existem poucos jogos que capturam minha atenção na parte sonora, contudo, quando o assunto se trata de Final Fantasy, temos um carinho especial. Os temas de Vitória e Chocobo além das desenvolvidas especialmente para personagens clássicos fazem com que a avaliação seja mais rigorosa, principalmente após Final Fantasy 13 que não trouxe nenhuma inovação nesse sentido. Algo que foi corrigido posteriormente em 13-2 quando a trilha sonora foi deixada a cargo de três equipes diferentes trazendo assim um jogo com uma diversidade musical muito agradável e divertida. Em Lightning Returns os aspectos musicais positivos foram mantidos e temos ainda mais diversidade que em seus antecessores, principalmente as peças orquestradas de alguns momentos específicos do jogo.

Conclusão

Lightning Returns: Final Fantasy 13 é mais uma tentativa da Square Enix para achar uma fórmula que restabeleça o sucesso da franquia. Em Lightning Returns os problemas de narrativa e enredo de seus antecessores permanecem. Apesar disso, o novo sistema de batalha criado para este jogo é desafiante, inovador e mescla bem os conceitos de MMORPGS. O novo formato de um mundo totalmente aberto e explorável é outro fator que agrada e retira um pouco da má impressão que ficou dos jogos anteriores. Portanto, Lightning Returns pode não ser o jogo que desejamos da franquia, mas com certeza possui aspectos positivos que podem ser levados a diante nos futuros títulos da série.


Qual jogo você recomenda Final Fantasy 13 ou Resonance of Fate?
Opine no Fórum do TechTudo.

Nota TechTudo

NOTA tt
7.3
Gráficos
7
Jogabilidade
7
Diversão
6
Som
9

Prós

  • - Sistema de combate divertido e desafiador
  • - Mundo aberto rico em detalhes
  • - Trilha sonora excelente

Contras

  • - Algumas texturas de baixa resolução
  • - Enredo superficial e confuso
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Wagner Andrade
    2018-10-28T01:18:32

    Que bosta.

  • Roniel Oliveira
    2014-07-10T08:43:22

    Eu pessoalmente, gostei muito do Final Fantasy XIII-3: Lightning Returns, ele me agradou em todos aspectos, eu sem duvida recomendo para todos