Publicidade

Por Bruno de Blasi; Por TechTudo

TechTudo

O Moto E5 Play é o primeiro celular da Motorola com Android Go no Brasil. Com a versão mais leve do sistema do Google e ficha técnica intermediária – processador quad core, câmera de 8 megapixels, memória RAM de 1 GB e armazenamento de 16 GB –, o smartphone desembarca com preço baixo (R$ 699) e duas opções de cor (preto e dourado). Semanas de análise depois, podemos dizer que o Moto E5 Play é bom para tarefas mais simples e vale a pena para quem não exige muito de um smartphone. Confira o review completo do telefone da Motorola nas linhas a seguir.

O celular Motorola participa do programa Android Go, com direito a uma versão mais leve do Android 8.1 (Oreo). Isto significa que, apesar da ficha técnica modesta, o smartphone é otimizado para realizar as tarefas do dia a dia sem dificuldades. O desempenho sagrou-se satisfatório mesmo com processador Snapdragon 425 (4 núcleos + 1,4 GHz) e memória RAM de apenas 1 GB.

Durante os testes, o Moto E5 Play não apresentou travamentos que exigissem reiniciá-lo. Também foi necessário realizar poucas vezes o procedimento de forçar o encerramento de apps. Ainda assim, é preciso ter paciência por conta da demora para realizar algumas ações. Por isso, versões mais leves de aplicativos – muito agradáveis, por sinal –, como o Facebook Lite, Gmail Go, entre outros, são recomendadas, caso busque uma experiência mais fluida.

O maior problema do Moto E5 Play está na reprodução de música. Mesmo o levíssimo Spotify Lite foi encerrado diversas vezes ao abrir o Gmail, WhatsApp e, principalmente, o Chrome e o Firefox. Ou seja, experiência indesejada para quem vive com os fones de ouvido e quer usar o smartphone ao mesmo tempo.

O Instagram também passou por apuros: vez ou outra, o app simplesmente congelou quando a parte de Stories era utilizada. O envio de vídeos para a rede social também é um pouco mais lento que o normal – ainda que aceitável.

O armazenamento é outro divisor de águas. Com apenas 16 GB, o celular tem 12 GB livres, o que pode ser muito pouco para quem gosta de guardar muitas fotos, vídeos, entre outros. Felizmente, o Moto E5 Play suporta cartão de memória microSD de até 256 GB, caso precise de mais espaço.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

A câmera de 8 megapixels faz um trabalho razoável. As cores são um pouco chapadas ou frias para quem busca vivacidade. À noite, a abertura de f/2.2 não ajuda tanto, mesmo com flash, já que a perda de detalhes é evidente.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

O Moto E5 Play repete o mesmo problema do Moto G6: a câmera demora um bocado para abrir. Também é lenta para fotografar, pois inúmeras vezes as cenas foram capturadas com um certo atraso incômodo. Apesar do atalho para abri-la ao pressionar o botão de liga/desliga duas vezes, como nos smartphones da Samsung, eu não recomendo o celular Motorola para momentos únicos e rápidos.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

As selfies repetem os resultados da câmera traseira. O sensor de 5 megapixels (f/2.2) é acompanhado por um flash LED que auxilia bastante à noite ou quando está em uma festa e quer tirar uma foto com os amigos.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

O Moto E5 Play é um celular capaz de aguentar um dia inteiro longe da tomada? Sim e não. Depende do perfil do usuário. Durante a nossa análise, o celular foi retirado da tomada às 6h30 e descarregou por completo às 21h40, com 2h40 de música via Spotify Lite, uso intenso de redes sociais, telefonema por 20 minutos e apps de produtividade.

O resultado é agradável para um componente de 2.100 mAh, especialmente quando, com uso moderado, o smartphone aguentou até meia-noite sem dificuldades. Continua sendo importante andar com o carregador na bolsa ou mochila.

E por falar em carregador, diferentemente dos atuais lançamentos da marca, o Moto E5 Play não vem com o já tradicional TurboPower, que promete 8 horas de uso em 15 minutos de carga. Sendo assim, foram necessárias 2 horas para completar a bateria do celular.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

Agora vamos falar do Calcanhar de Aquiles do Moto E5 Play: a tela. O display de 5,3 polegadas tem brilho fraco e perde pontos quando se trata da angulação. Ou seja, qualquer viradinha deixa o painel escuro ou esbranquiçado, o que atrapalha bastante o uso em ônibus, carros, entre outras situações de movimento.

Além disso, a resolução é de 960 x 480 pixels – inferior até que o HD –, o que afeta negativamente a nitidez do Moto E5 Play e é outro ponto crítico do celular. A título de comparação, o Quantum You 2, smartphone também com Android Go, tem display HD+ (1440x720 pixels) e está na mesma faixa de preço.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

O ponto positivo fica com o design, com bordas reduzidas e formato 18:9, características que migraram dos smartphones premium para os intermediários em 2018. Além disso, o corpo de plástico tem boa pegada, com tampa removível, o que permite trocar os chips sem a necessidade de acessórios extras e a bateria sem depender de assistência técnica.

O celular já vem com Android 8.1 (Oreo) com poucas personalizações da Motorola. O Android 9 (Pie), no entanto, não estará disponível futuramente aos usuários do smartphone. Ao contrário, serão liberadas apenas atualizações de segurança.

Além de consumir menos recursos, o sistema em edição Go ocupa pouco espaço se comparado com as versões completas do Android. Não há muitos recursos extras, especialmente por se tratar de um celular de baixo custo. O destaque vai para o leitor de impressões digitais na traseira, funcional e bem posicionado.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

O Moto E5 Play tem especificações modestas e o objetivo de atingir um público que busca smartphones simples e baratos. Se você está neste grupo, este pode ser o seu próximo celular. Agora, se você é fã de jogos e fotografia, é melhor avaliar bem a aquisição do produto.

Tome como exemplo a tela de baixa qualidade. É bem verdade que a Motorola precisava escolher os componentes mais básicos do mercado, mas a falta de detalhes ao assistir a um simples vídeo no YouTube é decepcionante. Ao menos a bateria mostrou-se uma positiva surpresa, enquanto o desempenho faz jus ao preço do telefone.

O smartphone chegou ao mercado por R$ 799. Meses depois, é encontrado por R$ 699 na loja oficial da marca. Aqueles consumidores com disposição para gastar um pouco mais – até R$ 1.000, ainda que parcelando no cartão de crédito – encontram opções com ficha técnica superior, como no caso do Galaxy J5 Pro e Moto G5S. Podem ser escolhas melhores a médio e longo prazo.

Moto E5 Play (Foto: Bruno De Blasi/TechTudo) — Foto: TechTudo

– Tamanho da tela: 5,3 polegadas
– Resolução da tela: 960 x 480 pixels
– Painel da tela: IPS
– Formato: 18:9
– Câmera principal: 8 megapixels (f/2.2)
– Câmera frontal (selfie): 5 megapixels (f/2.2)
– Sistema: Android 8.1 (Oreo) – Go Edition
– Processador: Snapdragon 425 (quad-core de até 1,4 GHz)
– Memória RAM: 1 GB
– Armazenamento (memória interna): 16 GB
– Cartão de memória: microSD de até 256 GB
– Capacidade da bateria: 2.100 mAh
– Dual SIM: sim
– Peso: 145 g
– Cores: dourado e preto
– Início das vendas no Brasil: julho de 2018

7

Design
8
Desempenho
6
Tela
5
Câmera
6
Custo-benefí­cio
10

Prós

  • Bateria com boa duração
  • Preço em conta
  • Desempenho agradável

Contras

  • Tela de baixa qualidade
  • Sem atualização para o Android P
  • Câmera lenta

Mais do TechTudo