Celular

NOTA tt
8.2

Review Moto G4

Testamos a quarta geração do Moto G, que chega por R$ 1.299 com Android puro e update garantido, mas o mesmo jogo de câmeras do G 3. Saiba se o custo-benefício compensa.

Luciana Maline
por
em

O Moto G 4, conhecido até pouco tempo atrás como “o baratinho da Motorola"(hoje, da Lenovo), dessa vez não chegou ao Brasil pelo preço esperado pelos fãs da marca. A versão mais em conta, com 16 GB, desembarcou por aqui por R$ 1.299, com um conjunto de câmeras igualzinho ao antecessor e sem resistência à água, conquista do modelo anterior, o Moto G 3.

Veja ofertas e promoções do Moto G 4  na Amazon.com.br

Por outro lado, ele traz o Android 6.0 Marshmallow e tem update garantido para a versão 7.0 Nougat. A bateria dura mais de um dia, sem susto, mesmo com reprodução de vídeos ou uso da câmera. No geral, uma ficha técnica bem digna para um intermediário, que duela pela preferência do público com o Galaxy J7, da Samsung (R$ 1.100), e o Xperia M4 Aqua, da Sony (R$ 1.800). Quer saber se o custo-benefício compensa? Veja nossa análise completa.

Moto G 4: veja a evolução do celular com bom preço e ficha técnica

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)Testamos o Moto G 4 (foto), intermediário da Motorola famoso por ser "bom e barato". Será que faz jus à fama? (Foto: Ana Marques/TechTudo)

Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular

Design

O Moto G 4 não é bonito e nem elegante, como os modelos da Sony ou até os iPhones. A traseira não tem grande brilho, mesmo com a oferta de capas coloridas. Ela é composta por um material que lembra borracha e conta com textura leve, que faz atrito e evita quedas fáceis. Não só em quedas, mas o corpo como um todo traz maior sensação de resistência quanto a colisões, sem aquela cara de sujo e arranhado.

Ainda no visual, um ponto que vale respeito é o caráter clean do design; a frente é discreta, sem a presença da logo acima do display, como acontece com modelos da Samsung, e nem de botões. Há só uma discreta câmera frontal. Vale lembrar, inclusive, que a versão convencional não conta com o leitor de digitais presente no G 4 Plus

Durante o uso, o destaque ficou por conta das bordas curvadas, que se encaixam bem na palma da mão, tanto para digitar quanto para segurar o celular na orelha. Além disso, a opção da Motorola por fazer uma traseira totalmente plana, o que não aconteceu nas gerações anteriores do G, corroborou para uma pegada mais confortável, já que estamos falando de um tela de 5,5 polegadas. 

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)O Moto G 4 (foto) se encaixa bem na mão e gera uma boa experiência na "pegada" (Foto: Ana Marques/TechTudo)

Por falar em medidas, ele está mais alto do que os produtos anteriores da linha – o G 3, G 2 e G 1 –, com 156 milímetros de altura (mais de 10 mm a mais do modelo anterior) e 76 milímetros de largura. Mesmo assim, o aparelho tem o mesmo peso da segunda e terceira gerações, o que gera a sensação de ser mais leve, de fato, além de ser visivelmente mais fino que os demais produtos da linha. Os botões da lateral esquerda também são alongados, para combinar com a espessura delicada. Acima, há o de Liga/Desliga e, na sequência, o de Volume.

Entre as opções de cor nativas do aparelho, não há muita criatividade: apenas a versão em preto. Porém, é possível personalizar o design do G 4 por capinhas à venda na loja Moto Maker

Tela

A tela é um dos pontos altos do Moto G 4. Primeiro, a resolução é de 1920 x 1080 (Full HD), com densidade 401 pixels por polegada (ppi), o que, a grosso modo, garante contornos melhores e muito imagens pouco granuladas, quando comparadas às do Galaxy J7 e até o iPhone SE. A experiência, porém, fica prejudicada porque este Moto não apresenta contrastes tão precisos quanto o esperado. Sobre cores, ela conta com 16 M, que têm um resultado bem positivo junto ao painel LCD IPS.

No geral, temos brancos mais fieis e nada amarelados, e cores mais vivas, sem tons “desbotados". O resultado é agradável aos olhos e as cores não chegam a ser artificiais, como muitas vezes acontece em telas Amoled. Outra vantagem é o amplo ângulo de visão. Durante os testes, conseguimos visualizar o conteúdo na tela mesmo quando visto de lado ou de cima, sem grandes problemas.

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)A tela do Moto G 4 (foto), com 5,5 polegadas, mostrou-se bastante resistente (Foto: Ana Marques/TechTudo)



O display é, de fato, resistente. Ele vem com a tecnologia de proteção de tela Corning Gorilla Glass 3, o que justifica ela ser bem resistente a colisões e arranhões, como os de chaves (quando o smartphone está dentro da mesma bolsa ou mochila). Vale lembrar que, com 5,5 polegadas, ela não cabe em qualquer bolso sem chamar a atenção. 

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)Mesmo fino e resistente, o Moto G 4 (foto) possui medidas que não favorecem tanto o transporte (Foto: Ana Marques/TechTudo)


Outro detalhe é que o touchscreen não é muito sensível e, em conjunto com o processador mediano, não percebe os comandos na tela da forma esperada. Foi preciso tocar duas ou três vezes para a mesma ação quase sempre, inclusive para navegar pela tela inicial do Android.

Desempenho

Se a opção por trazer uma traseira reta resultou em benefícios para o design, não teve o mesmo sucesso no desempenho. O uso dos dois microfones, tanto para ligações quanto para gravação de áudio para envio no WhatsApp,ficava irregular devido à má posição. Mas, se por um lado, a experiência com o microfone não é das melhores, o uso do alto-falante impressiona. A Motorola optou por colocar apenas um alto-falante na parte superior do telefone e trouxe como resultado melhor volume e clareza no som. Um sistema de som estéreo, porém, ainda seria muito bem-vindo.

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)O Moto G 4 (foto) não encaixa bem no rosto, o que prejudica na hora de falar ao telefone ou gravar áudio para o WhatsApp (Foto: Ana Marques/TechTudo)


No interior, a Lenovo teve soluções bem felizes para garantir o desempenho além do esperado para um intermediário. Por dentro, ele ainda conta com um processador Snapdragon 617 octa-core com velocidade de até 1,5 GHz – enquanto a concorrência costuma se limitar ao quad-core –, além de um GPU Adreno 405 de 550 MHz. Para somar ao conjunto, ele tem memória RAM de 2 GB e chega com Android 6.0 Marshmallow de fábrica, mas tem atualização garantida para 7.0. 

Não podemos esquecer que a Motorola trabalha com uma versão do Android que passa por poucas modificações, o que ajuda na fluidez, além de vir com aplicativos instalados de fábrica, entre eles o Gmail, YouTube, Google Drive. Resultado dessa composição: o smartphone não teve qualquer travamento durante os testes, mesmo rodando jogos pesados, como Pokémon Go, enquanto outros apps funcionavam em segundo plano.

A má notícia é que o aplicativo de câmera demora para abrir, o que incomoda durante o uso. Justamente naquelas horas em que você precisa de agilidade para retratar um momento, o telefone te deixa na mão.

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)O Moto G 4 (foto), assim como os demais celulares da Motorola, roda Android puro (Foto: Ana Marques/TechTudo)


No quesito bateria, o Moto G 4 surge uma opção para quem não quer correr para a tomada toda vez que assistir à mais vídeos ou jogar. Durante os testes, ela durou 15 horas com uso mais intenso, com gravação de áudio e filmagem, além do uso de apps de streaming, como Netflix e Globo Play . O desempenho foi ainda melhor com uso moderado: o telefone ficou um dia e meio longe da tomada.

A potência da bateria é de 3.000 mAh e, para facilitar a vida do usuário, ainda conta com uma tecnologia de carregamento rápido 15 minutos, 6 horas de autonomia. O resultado que vimos foi bem positivo: ele demorou quinze minutos para carregar 60% do total.

No mais, memória interna que não é traz dados muito sedutores. Só há a versão de 16 GB, mas há espaço para microSD de até 128 GB. 

Um fator presente no Moto G 4 que também pode puxar um pouco mais da bateria é a TV Digital. Testamos o recurso com o fone de ouvido oferecido pela Motorola/Lenovo e o resultado foi bem positivo. Ela oferece todos os canais convencionais da TV aberta – como Globo, Record e Band, entre outros – em versões digitais e em HD, que conta com uma imagem surpreendentemente boa. 

Câmera

A câmera traseira tem 13 megapixels de resolução e zoom digital de até quatro vezes. Apesar de outros celulares apresentarem possibilidades de aproximação mais potentes, a opção de zoom máximo ainda é excessiva em ambiente noturno ou com pouca luz, com redução de qualidade e imagens pixeladas. Em condições de iluminação ideal, entretanto, a câmera surpreende positivamente e gera resultados positivos, ao dar destaque a cores vivas, em especial o vermelho e o amarelo.

Vale lembrar que com a câmera principal é possível fotografar apenas na proporção 4:3, aquele formato mais “quadradrão”. Quem quiser fotografar em wide, por exemplo, e colocar uma área maior em cena, terá disponível apenas 9,7 megaoixels, o que gera uma redução de precisão nos contornos e nitidez.

[original] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)A câmera do Moto G 4 (foto) tem um desempenho bem regular(Foto: Ana Marques/TechTudo)


Para driblar os ambientes de pouca iluminação, o app nativo da da câmera possibilita alguma autonomia no modo manual. É possível regular a abertura de diafragma, obturador e ISO, além da profundidade de campo (para quem deseja controle de nitidez) e balanço de branco (para correção um pouco mais precisa de cor). Como recursos externos, ainda há o Flash de LED, na traseira, e a possibilidade de fotografar em HDR.

Em modo totalmente automático, no entanto, o usuário fica um pouco refém de algumas leituras de ambiente feitas pelo processador mediano. Um exemplo é o balanço de branco e intensidade de luz, demorado e impreciso.

O resultado é mais prejudicial na captação de vídeos que necessitam de uma mudança de ambiente um pouco mais abrupta. Uma vantagem de estabilizador para imagens em movimento, que funcionou dentro do previsto quando exposto a movimentos bruscos ou subida de escadas.

Entre as opções de resolução, é possível extrair imagens em até 1080p (Full HD), com 30 frames por segundo, o que garante vídeos com melhor nitidez e contorno mesmo em TVs, tablets ou celulares com telas maiores, além de dar mais autonomia na hora de editar, com crop na imagem ou zoom. Para os usuários que não precisam de resoluções tão altas, além de gastar menos bateria e esquentar mais o celular, ainda há opções em HD (720 p/30 fps) ou VGA (480p/ 30 fps)

[marca] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)Opções de resolução de imagem e vídeo do Moto G 4 (foto) (Foto: Ana Marques/TechTudo)

Um ponto que vale destaque é a praticidade na troca de câmeras. É possível alternar entre a traseira e a frontal sem usar as mãos, só com um movimento de giro no corpo do telefone (como se o estivesse sacudindo, assim como em outros produtos da Motorola). O recurso funciona bem, sem precisar repetir mil vezes, apenas duas, como se propõe, e faz uma agradável diferença no uso cotidiano. Aliás, durante o uso da câmera, mesmo mais intenso, como captura de vídeos em alta ou fotos no modo manual, ela não travou em momento algum. 

Preço e custo-benefício

Sabemos que o Moto G 4 chegou por R$ 1.299, o que não é tão barato quanto esperado. Mas, comparado com os celulares similares no mercado, ele ainda surge com uma forte alternativa. Vale lembrar que o Moto G 4 não veio com certificação IP67, que deixa o smartphone resistente à água.

Dentro da categoria de smartphones intermediários é possível encontrar o Xperia M4 Aqua, que sai por R$ 1.800, em média. O telefone conta com o mesmo conjunto de câmeras (13 MP e 5 MP) do G 4, um processador também octa-core com 1,5 GHz e os mesmos 2 GB de RAM. 

[original] Moto G 4 (Foto: Ana Marques/TechTudo)O Moto G 4 (foto) não é resistente à água (Foto: Ana Marques/TechTudo)


No quesito preço, a título de comparação, ainda há o Galaxy J7, que custa R$ 1.500 e conta com hardware bem parecido: processador octa-core de 1,5 GHz e 16 GB de memória para armazenamento de arquivos.

No geral, para quem vai à loja em busca de um celular mais simples do que um top de linha, mas com uma vida útil promissora e preço ainda mais em conta do que a concorrência, o Moto G 4 continua sendo uma boa opção. 

E você, o que achou do Moto G 4? Deixe sua opinião no Fórum do TechTudo

 

Nota TechTudo

NOTA tt
8.2
Design
7
Desempenho
9
Tela
9
Câmera
7
Custo-benefí­cio
9

Prós

  • Desempenho superior à concorrência
  • Boa tela
  • Visual clean

Contras

  • Conjunto de câmeras
  • Não é resistente à água
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Carlos Oliveira
    2016-11-07T10:23:15

    "Não podemos esquecer que a Motorola trabalha com uma versão do Android que passa por poucas modificações, o que ajuda na fluidez" não foi isso que vi e presenciei no seus antecessores. G1-G2 e G3 são umas porcarias.

  • Ricardo Guaragni
    2016-11-01T18:38:52  

    Comprei meu g4 plus faz 1 semana. Paguei 1225 na internet. Discordo da parte que diz q a tela não responde bem e ao contrário do post achei bem rápido para acionar a câmera, função possível apenas com um movimento. Mesmo o aparelho bloqueado ele ativa a câmera. Muito na frente do meu ex galaxy s4 que travava com frequência. Nunca tive iPhone e não tenho interesse na sony pra fazer um comparativo. Só digo que até agora ele vem me servindo mto bem.

    recentes

    populares

    • Ricardo Guaragni
      2016-11-01T18:38:52  

      tive moto 1 foi bom ,tenho moto g 2 otimo quero moto g4 para ficar melhor

    recentes

    populares

    • Ricardo Guaragni
      2016-11-01T18:38:52  

      nao troco meu moto g por sansung

  • Carlos Oliveira
    2016-11-07T10:23:54

    Melhor Android do mercado 'Hoje": Sony-----------Samsung.

  • Juliana Silveira
    2016-11-03T22:08:24

    Eu amooo o meuuu, vendi um Iphone 5 , até parece que quero uma tela mixuruca, sem graça.

  • Gilson Souza
    2016-11-01T14:00:01

    mais uma da série de pesquisas e matérias pagas pela Motorola

  • Rovane Costa
    2016-11-02T08:15:42

    Comprei o moto g4 só tinha modelo Samsung valeu a compra não mé arrependi. a TV muito boa a imagem

  • Agnaldo Ferreira
    2016-11-01T16:45:41

    Gosto muito do meu moto g4, a tela é linda, roda jogos sem engasgo, travar, muito mas muito raro msm, câmera boa, tv em full hd e tbm em 1 seg, pra mim o mais completo estou muito feliz, o único contra é em uso contínuo por muito tempo ele esquenta, mas somente isso. Aconselho a compra do mesmo, tem mais a favor do que contra.

  • Ivonei Souza
    2016-11-01T16:30:06

    Resumindo, uma porcaria e o preço então........

  • Hélio Alvarenga
    2016-11-01T12:36:58

    Motorola nunca mais depois da palhaçada que fizeram com a não atualização dos MotoG3