Celular

NOTA tt
8.6

Review Moto Z

Novo celular da Motorola tem ótimo desempenho, mas seu destaque são os Moto Snaps; veja se a compra vale a pena.

Aline Batista
por
em

O Moto Z é o celular top de linha da Motorola/Lenovo que tem como diferencial o design modular. O smartphone foi anunciado durante o Lenovo Tech World, em junho de 2016, e desembarcou no Brasil em setembro deste ano, acompanhado do Moto Z Play, seu irmão mais barato.

Moto Z, Z Play e Z Force: conheça as diferenças entre os tops da Lenovo

O modelo tem 4 GB de memória RAM, 64 GB de armazenamento interno, processador Snapdragon 820 quad-core de até 1,8 GHz, além de outras configurações poderosas. O grande concorrente do Moto Z é o LG G5 SE, afinal, os dois são os únicos smartphones modulares vendidos no Brasil.

O aparelho também disputa a preferência do consumidor com smartphones poderosos, como Galaxy S7, Galaxy S7 Edge, iPhone 6S e iPhone 6S Plus, enquanto o iPhone 7 não chega ao Brasil. O TechTudo testou o smartphone modular da Motorola, que está sendo vendido por a partir de R$ 3.199. Confira nossas impressões neste review.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Moto Z chegou ao Brasil em setembro junto com o Moto Z Play (Foto: Aline Batista/TechTudo)









Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular

Design

O Moto Z tem belíssimo design, feito em alumínio e aço inoxidável. O celular está disponível nas cores preto com grafite e branco com dourado. Ele mede 75,3 mm de largura por 153, 3 mm de altura e 5,19 mm de profundidade e pesa apenas 136 gramas. Segundo a fabricante, esse é o smartphone premium mais fino do mundo. A espessura e a leveza do aparelho, no entanto, têm uma explicação: os Moto Snaps. Como o aparelho é modular e os snaps são acoplados na parte traseira do celular, o smartphone não poderia ser muito grosso pois ficaria ainda mais espesso quando acessório fosse acrescentado. Assim, o transporte no bolso ficaria mais difícil, por exemplo. Durante os testes, ele foi bem fiel ao que se propôs e não mostrou dificuldades na portabilidade, apesar de seu tamanho grande. 

Testamos o Moto Z e o Moto Z Force durante o Lenovo Tech World; veja nossas impressões.










Na parte traseira, um detalhe que chama atenção é o “calombo” formado pela câmera. Apesar disso, o celular vem com uma capa extra, a Moto Style Shell, que pode ser de madeira, couro ou tecido e que deixa a câmera sobressaliente menos visível, já que iguala a parte de trás.

Na parte da frente, o Moto Z lembra bastante o Moto G 4 Plus, com leitor de impressões digitais, que serve tanto para bloquear, como para desbloquear a tela. Durante os testes, o reconhecimento da digital se mostrou muito rápido e ainda foi possível cadastrar vários dedos.

Na lateral direita, estão os botões de aumentar e diminuir o volume e o de bloqueio/desbloqueio da tela (que também liga/desliga o telefone). Se você optar por cadastrar a digital, quase não irá usar o botão lateral. Já que o telefone tem sensor de proximidade, que acende a tela sempre que a mão se aproxima. A posição dos botões facilita na hora de tirar print de tela, pressionando ao mesmo tempo os botões de diminuir o volume e de bloqueio de tela.

Moto Z não tem entrada para fone de ouvido (Foto: Aline Batista/TechTudo)Moto Z não tem entrada para fone de ouvido (Foto: Aline Batista/TechTudo)












Um ponto negativo do design do Moto Z é a falta de entrada padrão para fones de ouvido. Por ser fino demais, o celular não tem espessura para possuir a entrada de 3,5 mm. Por isso, ele tem apenas uma entrada do tipo USB-C, que torna o carregamento mais rápido e facilita na hora de colocar o cabo, que é simétrico.

No entanto, a opção por ter somente esse tipo de conexão no Moto Z trouxe duas desvantagens para o celular. A primeira é que não é possível carregar o celular e ouvir música no fone ao mesmo tempo. A segunda é que a Motorola coloca na caixa do smartphone um fone com entrada padrão de 3,5 mm e um adaptador. Isso significa que sempre que o usuário quiser ouvir algo pelo fone terá que usar o adaptador. Ao contrário do que a Apple fez com o iPhone 7, por exemplo, que ganhou um fone com entrada Lightning, a Motorola só complicou ao vida do consumidor ao exigir o adaptador para o uso de fone.

Tela

A tela do Moto Z tem 5,5 polegadas e resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels), com densidade de 535 pixels por polegada (ppi). Graças à boa densidade, as imagens que aparecem no display têm ótima qualidade e não ficam com aquele aspecto pixelado, ou seja, não é possível enxergar aqueles "quadradinhos".

A tecnologia AMOLED presente na tela proporciona mais nitidez e brilho, com cores vivas e bem definidas, ou seja, o preto é preto e o branco é branco. Apesar de ser feita de vidro, o que pode causar alguns reflexos, visualizar a tela no sol não será um problema para os usuários. O touch do telefone também é satisfatório. Ele respondeu aos comandos bem e, durante os testes, não foi preciso tocar mais de uma vez para que o celular executasse alguma ação.

Outro aspecto que vale ressaltar é que a tela tem proteção Gorilla Glass 4 contra arranhões. Graças à essa característica, o usuário pode levar tranquilamente o smartphone na bolsa ou no bolso, em contato com outros objetos, como chaves, sem que seu aparelho seja danificado. Apesar disso, o celular não tem proteção contra água e poeira, garantida pela certificação IP 68. Por isso, é bom ter cuidado.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Celular da Motorola tem leitor de impressões digitais (Foto: Aline Batista/TechTudo)


Desempenho

O Moto Z tem ótimo desempenho, digno de um celular top de linha. O processador é um Snapdragon 820 com CPU quad-core de até 1,8 GHz e GPU Adreno 530, que fica completo com 4 GB de memória RAM. O celular roda com facilidade os aplicativos e não trava mesmo com várias aplicações abertas simultaneamente. Inclusive, durante os testes o celular rodou bem o jogo Pokémon Go, que é pesado e exige bastante do smartphone.

Apesar da polêmica em torno do processador, que é mais potente no Moto Z dos Estados Unidos (com 2,2 GHz de frequência), a versão brasileira do celular não deixa a desejar. Essa discrepância entre os processadores só deve fazer diferença após muito tempo de uso, quando o celular já tem vários apps instalados e começa a ficar lento. Assim, quanto melhores forem as especificações, melhor será o desempenho.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Módulo adiciona bateria ao Moto Z (Foto: Aline Batista/TechTudo)


Para completar, o smartphone tem memória interna de 64 GB e ainda aceita cartão microSD de até 2 TB. Ou seja, o Moto Z oferece espaço de sobra para armazenar mídias e aplicativos.

O aparelho conta ainda com conexão 4G, Wi-Fi, Bluetooth, NFC e GPS. Apesar de ser dual-chip, o modelo não comporta dois chips e um cartão de memória ao mesmo tempo. Assim como os celulares mais recentes, o usuário deve optar por usar dois SIMs ou o cartão de memória. Como o smartphone tem excelente quantidade de memória interna, isso não deve ser um problema.

Sistema Operacional

O Moto Z vem com Android 6.0 Marshmallow instalado. O sistema operacional não sofre modificações da fabricante, como a Samsung costuma fazer. A vantagem é um sistema puro e mais fluido, com menos travamentos. No entanto, ele tem uma interface mais sóbria e menos personalizada.

Moto Z (Foto: Aline Batista/TechTudo)Moto Z receberá atualização para Android 7.0 Nougat (Foto: Aline Batista/TechTudo)

A fabricante promete atualização para a versão mais recente do S.O. do Google, o Android 7.0 Nougat, que tem novo sistema de economia de bateria, emojis mais humanos, respostas rápidas nas notificações e modo multi-janelas. No entanto, ainda não foi divulgada uma data para o update.

Câmera

Outro ponto positivo do Moto Z é a câmera. Apesar de não ser nada excepcional, o celular proporciona ótimas fotos. O sensor traseiro tem 13 megapixels, número que pode parecer pouco se considerarmos que o intermediário da marca, Moto G 4, também possui essa especificação. No entanto, a qualidade das fotos é satisfatória, até porque a quantidade de megapixels não é o único fator importante na câmera de um smartphone. Já na câmera frontal, ele tem 8 MP, quantidade suficiente para produzir ótimas selfies.

Ambas câmeras possuem flash para ajudar a fotografar em ambientes mais escuros. No entanto, o recurso de flash deve ser usado com moderação, pois costuma deixar as fotos "estouradas", com aspecto embranquecido.

O modo HDR é outra vantagem da câmera, que equilibra zonas claras e escuras da imagem. Além disso, o celular tem um modo profissional que permite controlar ISO, balanço de branco e abertura da câmera, além de contar com autofoco a laser e estabilização óptica de imagem (OIS) para fotos mais nítidas. Este recurso, além de prático, é útil principalmente para fotos noturnas, já que consegue aproveitar melhor a câmera em lugares com pouca luz. Ele ainda garante maior autonomia do uso da câmera, e não deixa os usuários reféns de características automáticas.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Câmera traseira tem 13 MP e frontal, 8 MP (Foto: Aline Batista/TechTudo)

O celular ainda produz vídeos em 4K a 30 frames por segundo e em Full HD (1080p) a 60 fps. Esse recurso não é nenhuma vantagem, visto que já se tornou um padrão nos celulares top de linha, mas garante filmagens com alta qualidade. Além disso, na hora de assistir aos vídeos, é possível perceber que eles fluem bem, com transições suaves entre os planos.

O Moto Z conta também com o modo de filmagem em câmera lenta, mas que tem a qualidade bastante reduzida, produzindo imagens bem "pixeladas". 

Para melhorar ainda mais a câmera do smartphone da Motorola, em outubro, o celular vai receber um módulo de câmera, que promete uma experiência fotográfica superior.

Bateria

Apesar de não ter a bateria mais potente da família, já que o Moto Z Play oferece até 50 horas longe do carregador, segundo a fabricante, a bateria do Moto Z é boa e dura o dia todo com tranquilidade para usuários moderados. Com 2.600 mAh de bateria, a Motorola promete duração de um dia inteiro de uso misto. Outra vantagem é que o Moto Z tem carregador Turbo Power, que oferece “até sete horas de bateria em quinze minutos na tomada”. Na prática, isso significa que a bateria do Moto Z carrega completamente em cerca de uma hora.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Moto Z vem com carregador Turbo Power (Foto: Aline Batista/TechTudo)


A bateria não deve ser um problema para os donos do Moto Z. Além de ter boa duração e carregamento rápido, o celular tem um módulo de bateria para aumentar ainda mais sua potência. Ele oferece mais 2.220 mAh e promete aumentar a autonomia do celular em até 20 horas. O usuário pode sair com o módulo já conectado ao celular e ter a garantia de que não ficará sem bateria enquanto estiver na rua.

Moto Snap

Os Moto Snaps são o grande destaque do Moto Z. Eles fazem a compra valer a pena e são uma das inovações mais recentes no mercado de celulares. O Moto Z acompanha módulos, que são como capinhas e adicionam funções extras ao celular. A tecnologia funciona por meio de magnetismo, ou seja, os módulos são acoplados graças a ímãs que os conectam ao aparelho (uns pinos dourados na parte traseira).

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Módulos encaixam por meio de magnetismo (Foto: Aline Batista/TechTudo)

A instalação é muito fácil e intuitiva. Basta encaixar o módulo no celular, que ele reconhece automaticamente. Apenas no primeiro uso é exigida uma configuração. Os Snaps não se desgrudam com facilidade, mas para retirar algum do celular, é só puxar com um pouco mais de força.

Como já mencionado acima, o Incipio offGRID Power Pack acrescenta 2.220 mAh de bateria ao Moto Z. O acessório é uma ótima forma de manter o celular sempre carregado, além de ser fácil de transportar.

O módulo de som da JBS promete transformar o celular em uma potente caixa de som e, de fato, cumpre. O Sound Boost possui dois alto-falantes de 3 W para melhorar a qualidade das músicas reproduzidas poie seu smartphone para deixar vídeos e música mais envolventes.

Módulo de som da JBL pode ser adquirido por R$ 698,99 (Foto: Aline Batista/TechTudo)Módulo de som da JBL pode ser adquirido por R$ 698,99 (Foto: Aline Batista/TechTudo)












Já o Insta-Share Projector é o módulo que transforma o Moto Z em um projetor de até 70 polegadas (de acordo com a distância entre o módulo e a superfície). Basta plugar o Snap no celular, que ele vai projetar o conteúdo do display em outra superfície. A qualidade da imagem formada é surpreendente, visto que o acessório é tão pequeno e pode ser levado para qualquer lugar, para ver fotos ou assistir filmes.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Insta-Share Projector projeta uma tela de até 70 polegads (Foto: Aline Batista/TechTudo)

A possibilidade de projetar a tela do celular não é novidade trazida pelo Moto Z. O Galaxy Bean, lançado há quatro anos, já trouxe essa inovação. Ainda assim, é um recurso que impressiona os usuários. Só é uma pena não ser possível usar dois módulos juntos. A combinação entre os snaps projetor e de som seria perfeita.

A capa Moto Style Shell também é um dos módulos do Moto Z. Ela não adiciona nenhuma função ao celular, mas é acoplada pelos ímãs e permite personalizar a aparência do smartphone, com diferentes cores e texturas.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Capa Moto Style Shell custa R$ 99 (Foto: Aline Batista/TechTudo)

O único módulo que não foi testado pelo TechTudo foi o Hasselblad True Zoom, voltado para fotos, que promete deixar a câmera do celular com qualidade profissional. Esse acessório só estará disponível para compra a partir do final de outubro, segundo a fabricante. 

Vale ressaltar que todos os módulos aumentam a bateria do aparelho (para que o celular aguente por mais tempo) e que são recarregados facilmente por meio de um cabo USB-C, assim como o celular. Basta conectar os Snaps à tomada que eles começarão a carregar. O único que não carrega sozinho é o módulo de bateria. Ou seja, ele precisa estar conectado ao celular para carregar.

Moto Z (Foto: Aline Batista/TechTudo) Parte traseira do Moto Z (Foto: Aline Batista/TechTudo)

Diferentemente do LG G5 (e de sua versão especial, o LG G5 SE), os acessórios do Moto Z levam vantagem porque têm formato de case. No modelo concorrente, é preciso desligar o celular para conectar os acessórios internamente.

Outra informação importante é que a Motorola diz estar trabalhando em parceria com outras empresas para expandir o número de Snaps e que todos serão compatíveis com as próximas gerações do Moto Z.

Custo-benefício

O Moto Z por si só já é um celular atraente, com boas especificações, câmera de qualidade e bateria duradoura. No entanto, as qualidades do aparelho não justificam o preço de R$ 3.199. Por valores menores é possível comprar smartphones que prometem desempenho tão bom quanto o da Motorola, como o Galaxy S7 e o iPhone 6, que podem ser encontrados no varejo nacional por menos de R$ 3.000.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Segundo a fabricante, Moto Z é o celular premium mais fino do mundo (Foto: Aline Batista/TechTudo)

Apesar disso, a compra do Moto Z vale a pena pelos Moto Snaps, o grande diferencial do aparelho. São eles que justificam o preço mais salgado do smartphone e que o fazem sair na frente de qualquer concorrente.

O JBL SoundBoost pode ser comprado na loja oficial da Motorola por R$ 698,99, enquanto o Incipio offGRID Power Pack custa R$ 399,00. O Moto Insta-Share Projector custa R$ 1.499,00 e por esse mesmo preço será possível adquirir o Hasselblad True Zoom. Ainda é possível comprar as capas Moto Style Shell por R$ 99,00 cada uma. Com tantos acessórios, o usuário terá que desembolsar uma boa quantia para ter um Moto Z completo. É aí que está a vantagem de comprar o kit.

Moto Z  (Foto: Aline Batista/TechTudo)Compra do Moto Z vale a pena em kits vendidos pela Motorola (Foto: Aline Batista/TechTudo)

O Moto Z acompanhado do Snap Incípio offGRID Power Pack e de uma capa Moto Style Shell sai por R$ 3.199,01. Se você adicionar o Snap JBL Sound Boost Preto, o valor vai para R$ 3.499,00. Se optar por levar o Moto Z, a capa, o módulo de bateria e o Insta-Share Projector ou o Hasselblad True Zoom, o valor vai para R$ 3.999. É por isso que a vantagem de comprar o Moto Z está no kit. Assim, o usuário adquire os acessórios por um preço mais em conta.

O Moto Z é uma agradável surpresa. Os usuários não vão se arrepender do investimento, principalmente se a Motorola levar a sério a continuação dos Snaps e trouxer mais novidades para potencializar o smartphone.

Moto Z ou Google Pixel comprados nos EUA funcionam no Brasil? Comente no Fórum do TechTudo.

Nota TechTudo

NOTA tt
8.6
Design
9
Desempenho
9
Tela
9
Câmera
8
Custo-benefí­cio
8

Prós

  • Moto Snaps
  • Bom desempenho
  • Muito espaço para armazenamento

Contras

  • Sem entrada para fone de ouvido
  • Preço alto
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Bruno Araujo
    2016-10-25T16:35:49  

    Sou mais o meu ASUS zen 2, 32gb, 4gb Ram, 2,3ghz. Custa menos da metade.

    recentes

    populares

    • Bruno Araujo
      2016-10-25T16:35:49  

      Comprei um moto z é um s8 a diferença de preço é gritante e amo muito mais o meu moto z a bateria demora muito para acabar e o do s8 acaba muito rápido e demora muito a carregar

  • Flavio Markowicz
    2017-04-06T16:39:54

    Quanto tempo vocês ficaram com ele? Foi atualizado para o Nougat? Comprei um e a primeira coisa que fiz foi fazer a atualização. Depois disso foi só dissabor. Em um determinado momento, fui habilitar o modo "Não perturbe" e ele começou a esquentar e bebeu a bateria em duas horas. Em outro momento ele parou de travar a tela com senha.

  • Peter Schoel
    2016-10-25T14:31:45  

    Capado e posicionado extremamente caro. Por R$1899,00 estava mais que bem pago. O melhor custo x benefício entre os Moto Z é a versão Play.

    recentes

    populares

    • Peter Schoel
      2016-10-25T14:31:45  

      asus vai lançar hoje o zenfone 3, vai arrebentar com a motorola, só a Xiaomi vai conseguir fazer concorrencia (se vier pro Brasil - acho que nao vem)

    recentes

    populares

    • Peter Schoel
      2016-10-25T14:31:45  

      Xiaomi se entrasse pra valer iria arrebentar mesmo. O modelo Mi Mix é muito top!

  • Jorge Paes
    2016-10-26T09:39:42

    Só louco em pagar 3 mil reais num smartphone pra usar wahtsapp e ver facebook.

  • Victor Corrêa
    2016-10-26T08:57:38

    Zenfone 3 vai destruir esse aí....

  • Áttila Uggeri
    2016-10-25T20:13:27

    Paguei R$1.180,00 numa promoção em meu Asus Zenfone 2 com processador quad core de 2.3 GHz de 64 bits, 4GB de RAM, memória interna de 32 GB... tela de 5,5", carregamento turbo, dual chip, 4G. O povo tem que parar de ser preconceituoso, pois esse preconceito com marcas menos famosas, faz o cidadão pagar o dobro do valor em um produto que tem o mesmo desempenho de um que custa a metade.