Publicidade

Por Aline Batista; Por TechTudo

TechTudo

O Moto G5 é o celular intermediário da Motorola/Lenovo, que chegou ao Brasil em março de 2017, acompanhado do Moto G5 Plus. O smartphone faz parte da quinta geração da linha Moto G, uma das mais populares entre os brasileiros que buscam um aparelho com bom custo-benefício. O G5 desembarcou no país com o preço de R$ 999, mais barato do que o valor de lançamento do seu antecessor Moto G 4, e concorre com intermediários como LG K10 Novo, da LG, e o Galaxy J5 Metal, da Samsung. O TechTudo testou o Moto G5 durante uma semana e trouxe todas as impressões no review abaixo.

Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular

O Moto G5 tem design mais premium ao ser comparado com seus antecessores. O aparelho possui acabamento em alumínio de alta qualidade, que confere, além de beleza, maior durabilidade ao celular. Apesar de ser mais bonito do que o Moto G 4, a aparência não é um dos destaques do G5. O smartphone é grosso, com quase 1 cm de espessura, e tem uma "cara" um pouco bruta.

Na lateral direita, estão os botões físicos do Moto G5, responsáveis pelo bloqueio/desbloqueio da tela e por aumentar/diminuir o volume. Já na parte frontal, está localizado o leitor de impressões digitais. O botão permite utilizar a digital para desbloquear ou bloquear a tela de forma rápida e eficaz, dando maior segurança e privacidade ao dono do smartphone. Além disso, ele é inteligente e dispensa o uso dos botões capacitivos para realizar ações. O recurso funciona assim: ao ativar a função "Navegação em um toque", é possível utilizar o leitor de impressões digitais para voltar para a tela anterior, abrir os aplicativos recentes ou voltar para a tela inicial.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

Um dos problemas no design do Moto G5 é a dificuldade na remoção da tampa traseira. O celular possui bateria removível, além de ser necessário abri-lo para inserir os chips e o cartão de memória. No entanto, a Motorola não facilitou nesse quesito. É preciso o auxílio de algum objeto para remoção da tampa e isso pode acabar danificando algumas partes do smartphone. Além disso, você precisa utilizar uma pinça para retirar o chip.

O conector para fone de ouvido fica na parte de cima, e a entrada micro USB, que permite carregar o telefone, fica embaixo. Ao contrário de alguns aparelhos que possuem alto-falantes na parte frontal para chamadas e na parte traseira para a execução de áudio mais altos e potentes, o Moto G5 possui um único alto-falante na sua frente. Isso é bom quando o smartphone está apoiado em alguma superfície, assim, o som sai pela parte frontal.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

As medidas do Moto G5 são: 144,3 mm de altura e 73 mm de largura, com uma tela de 5 polegadas. Apesar de grande, o Moto G5 tem boa pegada, não escorrega das mãos e não suja com facilidade. O aparelho pode ser encontrado nas cores platinum e ouro.

O Moto G5 possui tela de 5 polegadas, com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels). Enquanto concorrentes, como Galaxy J5 Metal e o LG K10 Novo, possuem telas maiores com resolução inferior (HD de 1280 x 720 pixels), o G5 sai na frente nesse quesito. Como ele possui display menor e de maior resolução, apresenta maior densidade de pixels por polegada: 441 ppi. Esse número garante excelente visualização no Moto G5, oferecendo imagens com nitidez e contraste bem definido, sem o aspecto pixelado. O brilho da tela se adapta de acordo com a luz disponível no ambiente.

Na prática, o display do Moto é agradável para tarefas básicas, como navegar nas redes sociais, e até mesmo assistir a vídeos por períodos mais longos. Os usuários não devem ter problemas nesse aspecto.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

Outra vantagem é que a tela não reflete muito, o que torna possível usar o aparelho em ambientes externos sem dificuldades. Já o ponto negativo do display fica por conta do touch. Durante os testes, por diversas vezes, o celular não respondeu ao toque de forma eficaz e foi preciso tocar mais de uma vez para que ele entendesse o comando. Isso é especialmente ruim quando estamos digitando alguma mensagem, por exemplo.

Um ponto positivo é o nano-revestimento repelente à água. O recurso oferece mais segurança para o caso de algum líquido espirrar no smartphone. O display também se mostrou resistente a arranhões, apesar de não possuir proteção Gorilla Glass, como seu antecessor.

As fotos produzidas pelo Moto G5 não possuem qualidade excepcional, mas são agradáveis. O smartphone possui câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 5 MP. A câmera vale a pena principalmente por seus recursos. Um deles é a possibilidade de usar o modo profissional, que permite o controle manual de foco, balanço de branco e ISO, por exemplo.

A lente traseira tem abertura f/2.0 e a frontal tem f/2.2. As imagens produzidas com a câmera traseira são claras. Além disso, a estabilização é eficiente e as fotos não saem tremidas. O HDR ajuda a oferecer fotos mais bonitas, combinando o resultado de diferentes fotografias para a criação da imagem perfeita.

Foto tirada com a câmera do Moto G5 (Foto: Aline Batista/TechTudo) — Foto: TechTudo

Um recurso interessante é que basta girar o celular duas vezes para abrir a câmera ou para alternar entre as lentes traseira e frontal. A câmera ainda conta com função de leitor de códigos de barras e código QR. Um ponto que vale destacar é que, assim como os aparelhos Moto mais recentes, o Moto G5 não tem uma galeria de fotos nativa e o usuário deve usar o Google Fotos. Quem não está acostumado com o app do Google pode estranhar no início, mas a falta de galeria não chega a causar prejuízos.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

No geral, as câmeras oferecem bons resultados. Quando em condições adequadas de iluminação, o Moto G5 é capaz de produzir fotos agradáveis, ideais para compartilhar com os amigos em redes sociais. Os piores resultados acontecem com a gravação de vídeos em câmera lenta e nas fotos panorâmicas. Ambos os modos reduzem bastante a qualidade das imagens. A gravação de vídeos é em Full HD a 30 frames por segundo. As imagens possuem boa qualidade, mesmo quando visualizadas em telas maiores, como um computador. Um recurso interessante durante a captura dos vídeos é a possibilidade de clarear ou escurecer a imagens.

O Moto G possui processador Snapdragon 430 octa-core de até 1,4 GHz, que trabalha em conjunto com memória RAM de 2 GB. Vale ressaltar que, apesar de ter sido apresentado durante a MWC em versões com 2 GB ou 4 GB de RAM, apenas o modelo com número inferior desembarcou no Brasil.

O Moto G5 tem um ótimo desempenho, considerando seu hardware e a categoria de preço em que se enquadra. Durante os testes, o celular funcionou de forma fluida e apresentou um único travamento, em uma tentativa de abrir vários apps ao mesmo tempo. Apesar disso, o telefone executa as tarefas com velocidade e seu desempenho não decepciona. No entanto, vale ressaltar que o celular é ideal para quem faz um uso mais básico no dia a dia, como acesso a redes sociais e consumo de vídeo no YouTube. Se você procura um aparelho para jogos, por exemplo, o Moto G5 pode não apresentar uma melhor performance. Além disso, os smartphones tendem a ter uma queda no desempenho com o passar do tempo.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

Aliado ao hardware, o Moto G5 roda Android 7.0 Nougat, versão mais recente do sistema do Google. Além de trazer as vantagens da plataforma, como o modo multitarefas e a economia de dados, a Motorola utiliza em seus aparelhos um Android quase puro, com poucas modificações. O sistema não traz muitos aplicativos instalados de fábrica, nem mesmo os mais usados como Facebook e WhatsApp. Assim, fica por conta do usuário decidir o que vai baixar em seu aparelho. A versão pura da plataforma ajuda a oferecer um desempenho mais fluido, sem engasgos ao abrir e rodar apps.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

No que se refere à memória interna, o aparelho possui armazenamento de 32 GB, expansível em até 128 GB via microSD. O telefone teve uma boa evolução nesse quesito em relação ao seu antecessor, que só possuía 16 GB. Ou seja, espaço para armazenar arquivos e apps não deve ser problema para o dono do Moto G5. Vale ressaltar que o sistema operacional ocupa 7,41 GB da memória.

A bateria é um dos pontos fortes do Moto G5. O celular aguenta um dia inteiro de uso frequente, com conexão à internet, acesso a redes sociais, mensageiros e aplicativos de streaming de músicas e vídeos. O componente possui 2.800 mAh e ainda é capaz de chegar ao final do dia com alguma carga. Além disso, a bateria é removível, o que possibilita a troca em caso de problemas, e o smartphone possui carregamento rápido. Durante os testes, o aparelho precisou de aproximadamente uma hora e quarenta minutos para atingir 100% da carga.

Moto G5 (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) — Foto: TechTudo

Outros pontos que valem ser lembrados é que o aparelho possui entrada para dois chips e conexão 4G. Durante os testes, o celular apresentou dificuldade para reconhecer o chip. Às vezes, ele parava de identificar o SIM, aparentemente, sem motivo algum. A Motorola, dessa vez, deixou o recurso de TV digital apenas para o Moto G5 Plus.

A linha Moto G sempre agradou aos brasileiros por apresentar um conjunto eficiente e com o Moto G5 não é diferente. O aparelho não possui nenhum grande destaque, mas tem uma boa relação custo-benefício. Seu preço oficial é de R$ 999, porém o smartphone pode ser adquirido por cerca de R$ 930 para pagamentos à vista. Esse preço inclui tela, câmera, desempenho e bateria que agradam, além de espaço para armazenamento e leitor de impressões digitais.

Se formos observar os outros modelos da linha Moto G, o Moto G5 parece ser um meio termo entre o Moto G 4 e o Moto G 4 Play. Considerando que o G 4 ainda é vendido por R$ 1.199 e a versão Plus do Moto G5 – que não possui muitas diferenças em relação ao modelo "comum" – custa R$ 1.499, o Moto G5 pode ser visto como um celular de preço justo.

Além disso, o telefone se destaca em relação aos concorrentes. Por exemplo, o Galaxy J5 Metal possui menor quantidade de memória interna e sistema operacional mais antigo. Já o LG K10 Novo tem algumas semelhanças, mas perde em qualidade de tela e bateria. Outro ponto importante é que os dois não contam com leitor de impressões digitais. Se você procura por um smartphone com um bom conjunto de especificações, mas não tem nenhum requisito específico, vale dar uma olhada no Moto G5.

Tabela de especificações técnicas do Moto G5 (Foto: Arte/TechTudo) — Foto: TechTudo

8.2

Design
8
Desempenho
9
Tela
8
Câmera
8
Custo-benefí­cio
8

Prós

  • Bateria que dura o dia todo
  • Câmera com recursos manuais
  • Leitor de impressões digitais

Contras

  • Touch ruim
  • Design pouco atraente

Mais do TechTudo