Jogos de ação

NOTA tt
6.0

Review Operation Flashpoint: Red River

Se você pensa que a maioria dos jogos em primeira pessoa possuem a simples mecânica de “andar e atirar” é melhor rever seus conceitos. Um grande exemplo é a franquia Operation Flashpoint. A nova versão do game, Red River, foi lançada na semana passada e o TechTudo trás o review completo do game, confira:

Diego Borges
por
em

Nome: Operation Flashpoint: Red River 
Gênero: Ação
Distribuidora: Codemaster
Plataformas: PS3 / Xbox 360 / PC

Operation flashpoint red river (Foto: Divulgação)Operation flashpoint red river (Foto: Divulgação)

Se você pensa que a maioria dos jogos em primeira pessoa possuem a simples mecânica de “andar e atirar” é melhor rever seus conceitos. Um grande exemplo é a franquia Operation Flashpoint. A nova versão do game, Red River, foi lançada na semana passada e o TechTudo trás o review completo do game, confira: 

Mais estratégia menos ação 

Para os novatos, é preciso saber que Operation Flashpoint: Red River não é um simples FP de ação tradicional como Call of Duty e Battlefield, pelo contrário, o jogo deixa a "pura ação" de lado apresentando a estratégia em primeiro plano a todo momento.  

O enredo do jogo consiste em mostrar o dia a dia na pele como é ser um Marine (soldado da marinha americana) durante um fictício ano de 2013 em diversas missões ao redor do mundo, como Tajiquistão e Paquistão (não, você não terá que capturar Bin Laden). Isso envolve inúmeras missões corriqueiras da vida de um soldado americano, como proteger sua localidade, eliminar inimigos de um determinado local e até mesmo preparar emboscadas.

 Engana-se quem acha que bancar o herói solitário irá lhe ajudar a avançar nas missões, pois como foi dito mais acima, o jogo é focado na estratégia em grupo. Primeiramente é preciso ficar atentos todas as instruções enviadas e as situações em que seu grupo se encontra. A partir daí é hora de traçar um plano para alcançar seus objetivos que variam desde eliminar os inimigos a sua volta ou até mesmo sobreviver a uma emboscada.

Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)

 

Jogar sozinho não vale a pena 

Se você prefere encarar uma aventura em primeira pessoa sozinho é melhor mudar de idéia. A começar pela inteligência artificial de seus aliados, já que por mais que eles obedeçam as ordens, ainda sim cometem pequenos deslizes como em momentos que devem seguir você e simplesmente “empacam” dentro de alguma casa ou até mesmo atrás de um muro.  

Porém, quando seus amigos entram na brincadeira tudo muda. O jogo fica muito mais interessante no modo cooperativo e as missões fluem com mais facilidade. E se mesmo assim eles não cooperarem, você pode optar por insistir nas instruções com os mesmos comandos de ordem para seus aliados "mecânicos".

Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)

Controle preso  

A jogabilidade de Operation Flash Point: Red River é o primeiro ponto negativo a se destacar. Com movimentos lentos e uma mira bem imprecisa, o jogo peca no quesito agilidade em atacar seus inimigos que surgem repentinamente ou até mesmo realizar qualquer outro movimento mais rápido. 

O jogo também peca por não possuir um botão de pulo, algo que tornou-se obrigatório nos jogos em primeira pessoa da atual geração. Esse movimento torna-se necessário em algum ambientes, principalmente em relevos acidentados, mas que graças a ausência deste o personagem precisar dar volta em determinados locais apenas para subir uma simples elevação.  

Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)

Ambiente amplo e simples  

Outra grande decepção no título é referente aos seus gráficos simples. Por mais que o cenário seja atrativo por possibilitar uma ampla movimentação, eles pecam em apresentar poucos detalhes. Grande parte desses cenários acabam tornando-se similares, deixando o jogador até mesmo confuso diante de sua exata localização.

As sombras também merecem o destaque negativo, deixando o belo trabalho de iluminação do ambiente externo como coadjuvante, graças as granulações grotescas dos desenhos. Em outras palavras, o reflexo dos personagens se resume a um conjunto de polígonos, parecendo com bonecos do game Minecraft

Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)Operation Flashpoint: Red River (Foto: Divulgação)

Sistema de evolução salva 

O sistema de evolução dos personagens em Operation Flashpoint: Red River é considerado bem atraente, contando com armas, munições e outros itens a serem desbloqueados conforme a sua evolução no game.

Porém, a falta de modos de jogo acabam ofuscando esse sistema, uma vez que o jogo é finalizado, dificilmente você irá tentar jogar o modo campanha inteiro novamente, principalmente com a ajuda robótica dos aliados controlados pelo jogo.

Conclusão 

Se você procura um título pra desfrutar com os amigos online ou via multiplayer local, Operation Flashpoint: Red River é uma boa pedida para os gamers menos exigentes. Apesar de operar muito bem as estratégias de um campo de batalha de verdade, o game peca pelos gráficos simples, inteligência artificial bem fraca (tanto de seus aliados como de seus inimigos)  e jogabilidade dura.  

Nota TechTudo

NOTA tt
6.0
Gráficos
5
Jogabilidade
6
Diversão
7
Som
6

Prós

  • - Estratégias funcionais.
  • - Sistema de evolução interessante.
  • - Cenários enormes.

Contras

  • - Modo campanha chato.
  • - Inteligência artificial fraca.
  • - Gráficos simples.
  • - Jogabilidade dura.
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Jorge Inacio
    2012-09-26T13:19:30

    Há alguns bons anos, quando joguei o primeiro Flaspoint no PC, adorei o game, principalemte o modo "on-line", o fato de ser mais estratégico do que mata-mata como ocorre COD e outros, atraiu muito mais minha atenção. É uma série que tem tudo para fazer sucesso desde que corrija problemas básicos como os citados na matéria. Saudades das noites jogadas "on-line" do bom e velho OFP.....