Jogos de RPG

NOTA tt
8.0

Review Pier Solar and the Great Architects

Retrogame criado por brasileiros é um JRPG clássico para os amantes do gênero. Confira a análise do divertido game!

Dário Coutinho
por
em

Pier Solar and the Great Architects é a reimaginação da época áurea dos jogos de RPG para consoles 16bits. Lançado originalmente apenas para Mega Drive, em 2010, o jogo desenvolvido por brasileiros, chegou na Steam recentemente em uma versão em HD para PC. Mais bonito que na versão anterior, Pier Solar em HD traz várias melhorias gráficas, mas mantém a essência dos “16bits”. Confira nossa análise.

Splitplay: conheça os criadores do Steam dos jogos indies brasileiros

Campanha para versão HD no site Kickstarter arrecadou mais de US$ 200 mil dólares (Foto: Divulgação)Campanha para versão HD no site Kickstarter arrecadou mais de US$ 200 mil dólares (Foto: Divulgação)


Um clássico tardio

Pier Solar and the Great Architects foi um projeto que nasceu da nostalgia dos desenvolvedores pelo antigo console da Sega, o Mega Drive. Primeiramente o jogo foi pensado para Sega CD, mas depois foi portado para cartucho até ganhar uma versão final, a ser comercializada com caixa e tudo. O jogo também ganhou versão para Dreamcast.

O visual da versão HD está, obviamente, muito mais bonito que no Mega Drive e Dreamcast. Pier Solar possui ajustes para resoluções HD e superiores. Contudo, apenas algumas imagens e avatares ganharam contornos renovados. O visual dos sprites dos personagens ainda preserva aquela aparência de jogo console 16bits, o que nem de longe é algo negativo.

A trilha sonora também ganhou uma repaginada. Embora não tenha mais aquele som delicioso do sintetizador FM do Mega Drive, Pier Solar apresenta uma excelente trilha sonora com músicas cativantes que vão de temas alegres até músicas que acompanham perfeitamente os momentos mais dramáticos do jogo.

Desenvolvedores posam segurando cartuchos e manuais da versão de Pier Solar para Mega Drive (Foto: Reprodução / Kickstarter)Desenvolvedores posam segurando cartuchos e manuais da versão de Pier Solar para Mega Drive (Foto: Reprodução / Kickstarter)


A beleza dos antigos JRPGs

Pier Solar bebe direto da fonte de jogos de RPG japoneses como Chrono Trigger (SNES) e muitos outros. O game possui combates em turnos, história simples e personagens carismáticos. Logo nos minutos iniciais, é quase impossível não sentir o carisma do trio: Hoston, Alina e Edessot.

Ao saber da doença do seu pai Hoston parte para busca uma erva milagrosa. Distraído com seus problemas, ele encontra Alina que logo insiste para se juntar a ele nessa jornada. O terceiro integrante dessa parte inicial do jogo é Edessot, um jovem inventor. Após salvar seu pai da morte, Hoston mal pode acreditar no desafio que irá se descortinar a sua frente.

Os personagens são um dos principais destaques de Pier Solar. O traço usado nas cenas não jogáveis é muito bonito, e junto com a personalidade de cada um deles, os torna muito mais que simples “personagens”. Os diálogos são bastante originais e bem construídos. Falando nos diálogos, o jogo vem todo em português.

Pier Solar tem esse visual de anime dos anos 90, lembrando bastante Record of Lodoss War (Foto: Reprodução)Pier Solar tem esse visual de anime dos anos 90, lembrando bastante "Record of Lodoss War" (Foto: Reprodução)


Sistema de batalha clássico

Com todo esse ar de nostalgia, é praticamente óbvio que Pier Solar possui uma jogabilidade familiar aos gamers que jogam videogame há mais de 20 anos. O sistema de batalha do jogo é em turnos e com batalhas aleatórias. A visão do campo, para os combates, é muito semelhante aos jogos antigos de Final Fantasy. O único diferencial aqui é que o jogador pode montar sua party com até cinco personagens.

O sistema de combate é dividido em opções que rotacionam a medida que o jogador passeia sobre elas. Ao iniciar a batalha, a opções para: fugir, lutar ou deixar o jogo controlar seus personagens de forma automática. Essa última opção parece irrelevante, mas conforme você verá a seguir, há um motivo para ela existir.

Ao escolher lutar, o jogador pode decidir entre ataques físicos, magias, defesa, usar um item do inventário e “focar”. A opção “focar” permite usar magia e ataques mais poderosos, algo como “carregar” um golpe até que ele possa ser usado ao máximo. É uma opção interessante que rende uma variação na estratégia do jogo.

Os combates em turnos de Pier Solar parecem fáceis, só parecem (Foto: Divulgação)Os combates em turnos de Pier Solar parecem fáceis, só parecem (Foto: Divulgação)

Além da opção de “focar”, há algumas particularidades entre os personagens. Como em qualquer RPG clássico, alguns são melhores para curar, outros para ataques físicos e outros para magias. Mas há algumas novidades como inimigos que originam novos inimigos ainda durante as batalhas e inimigos voadores, que inicialmente só podem ser mortos por Alina.

O mundo para explorar em Pier Solar é vasto com mais de 500 cenários criados para o jogo. Para terminar o game, mesmo saltando todas as “side quests”, é preciso algo em torno de 50 horas. A quantidade e frequência das batalhas aleatórias é brutal e irá cansar boa parte dos jogadores. Até mesmo os veteranos de RPGs terão sua paciência testa a um nível próximo a jogos como Dragon Quest. A progressão dos personagens também é um pouco lenta, o que combinada com a quantidade grande de batalhas, justificam a inclusão da opção para que os personagens lutem automaticamente.

Como se trata de um jogo com foco no “retro”, não podemos salientar como “negativo” a quantidade de batalhas, falta de dicas ou a dificuldade para encontrar algum item para prosseguir, porque essas características podem ter sido incluídas de propósito. Contudo, em sua versão HD, o jogo poderia ter uma variedade maior de inimigos. Muitas batalhas são praticamente idênticas, onde o jogador enfrenta o mesmo grupo de monstros, na mesma quantidade.

Conclusão

Pier Solar and the Great Architects talvez é o título mais fácil de recomendar para retrogamers que buscam um bom JRPG. Todo em português e com ótimos gráficos, o jogo pode parecer convidativo, para novatos, mas só parece. Pier Solar é uma aventura extensa com um grau de dificuldade alto, exatamente o que os gamers das antigas procuram.


Quais os melhores RPGs para PC?
Opine no Fórum do TechTudo.

Nota TechTudo

NOTA tt
8.0
Gráficos
8
Jogabilidade
8
Diversão
8
Som
8

Prós

  • - Visual cativante
  • - Trilha sonora excelente
  • - Todo em português

Contras

  • - Evolução lenta dos personagens
  • - Muitos combates aleatórios
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares