Jogos de Esporte

Por Murilo Molina, para o TechTudo

Divulgação/Activision

Tony Hawk's Pro Skater 1+2 é o remaster dos dois primeiros games da clássica franquia de skate da Activision. Com lançamento para PlayStation 4 (PS4), Xbox One e PC (Windows), o título traz todas as pistas e skatistas das versões originais, além de boa parte da icônica trilha sonora. Uma boa surpresa foi a inclusão da música "Confisco", da banda brasileira Charlie Brown Jr.

Com novos atletas, playlist renovada e mais ajustes, a gameplay está ainda mais precisa e prazerosa. Outro destaque é o visual do game, que foi completamente remodelado para aproveitar o poder dos consoles e PCs atuais. No review a seguir, confira a análise completa com os prós e contras de Tony Hawk's Pro Skater 1+2.

Leia o review completo de Tony Hawk´s Pro Skater 1+2 no TechTudo — Foto: Reprodução/Murilo Molina

Quer comprar jogos, consoles e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Não é a primeira vez que a Activision tenta reviver os lançamentos originais da franquia do skatista californiano. Em 2012, foi lançado Tony Hawk's Pro Skater HD (PC e Xbox 360), que trazia o mesmo conjunto de pistas, mas errou feio na adaptação da jogabilidade, que não se parecia em nada com a que fez a fama da série.

De volta às origens

Após o fracasso com a versão remasterizada e mais recentemente com o Tony Hawk's Pro Skater 5, a Activision resolveu entregar o novo projeto de remaster às mãos da Neversoft, responsável pelos títulos originais. A ideia era recriar todas as pistas e clima dos games do PS1, mas com um ar mais moderno.

Assim surgiu Tony Hawk's Pro Skater 1+2, que segue exatamente a mesma estrutura dos dois primeiros games da série, em que o objetivo é cumprir uma lista de tarefas em diferentes pistas, jogando em sessões curtas de dois minutos. Pontuações altas, combinações de manobras e coleta de itens pelo mapa estão entre as missões mais comuns, separadas em 19 níveis diferentes, localizados nas mais diversas partes do mundo, incluindo Nova York, São Francisco e Miami.

Jogabilidade de Tony Hawk's Pro Skater 1+2 segue responsiva e veloz — Foto: Reprodução/Murilo Molina

Jogabilidade à moda antiga

Para corrigir os erros do passado, a Neversoft pôs como foco preservar ao máximo a jogabilidade original dos games, que, embora tenha sempre agradado aos jogadores, se perdeu nas tentativas de inovação das versões mais recentes. Agora, com um jogo que passa exatamente a mesma sensibilidade de controles e resposta rápida dos títulos originais, o resultado não poderia ser melhor.

Apesar da manutenção da gameplay original, o jogo incorpora alguns dos comandos e funções que fizeram sucesso em versões posteriores, como switches durante os manuais, wallplants (pular em uma parede e usar as mãos para se ejetar na direção contrária) e outras manobras. Além disso, para evitar conflitos com fãs mais puristas, há opção de desligar completamente essas inovações e limitar a gameplay aos comandos e física de Tony Hawk's Pro Skater 1 ou 2 (em que sequer existiam manuais).

Trilha sonora clássica e visual de primeira

Tony Hawk´s Pro Skater 1+2 conta com belos gráficos e efeitos visuais — Foto: Reprodução/Murilo Molina

A principal e mais aguardada mudança está na parte gráfica, completamente remodelada sob o poder dos consoles e computadores atuais. O resultado é dos melhores, com modelos de skatistas bastante realistas e repletos de detalhes, animações de movimentação e manobras mais fluídas. A desenvolvedora também caprichou nos mapas clássicos da franquia, que ganharam texturas em alta definição e efeitos visuais dignos de 2020.

A repaginação visual também passou pelos menus dos games, que abandonaram as telas originais dos jogos por uma nova versão mais moderna e intuitiva. Lá, é possível escolher entre as pistas de Pro Skater 1 ou 2, selecionar skatistas, opções de personalização, desafios e perfil do jogador, além do acesso às opções gerais.

Charlie Brown Jr, divide espaço com Goldfinger e Machine Gun Kelly na trilha sonora de Tony Hawk´s Pro Skater 1+2 — Foto: Reprodução/Murilo Molina

Um dos elementos mais memoráveis de toda a franquia, em principal nos dois primeiros jogos, a trilha sonora está praticamente intacta em Pro Skater 1+2. O lançamento traz várias das canções que marcaram época nas versões originais do game. "No Cigar", de Millencolin, "Superman", de Goldfinger, e a inusitada colaboração de Anthrax e Public Enemy em "Bring Tha Noize" estão presentes em toda a sua glória, dividindo espaço com novas faixas como "Bloody Valentine", do rapper Machine Gun Kelly, e "Confisco", da banda brasileira Charlie Brown Jr., inclusa graças ao apelo dos fãs brasileiros e a uma "forcinha" de Bob Burnquist.

Velhos e novos conhecidos

Assim como no segundo game da série, para jogar a campanha principal, é possível criar o seu próprio personagem, ou usar um dos skatistas do elenco de profissionais e ex-profissionais do jogo. No total são 21 skatistas, que vão dos experientes Tony Hawk, Bob Burquist, Eric Koston e Elissa Steamer (os modelos foram adaptados para refletir suas aparências atuais), até os recém-adicionados Nyjah Huston, Leo Baker e a brasileira Leticia Bufoni.

Cada personagem tem suas próprias características, como habilidade para saltos, altura dos ollies (pulo com o skate), manuais (equilibrar o skate em duas rodas) e corrimãos, além de manobras especiais. Isso ajuda a decidir o seu estilo de jogo, mas a verdade é que a escolha afeta muito pouco a jogabilidade, já que rapidamente é possível obter pontos de atributos e melhorar as habilidades do atleta selecionado.

Uma das principais novidades foi a inclusão de uma loja de roupas, vista em versões mais recentes dos games da série. Nela, os jogadores podem gastar o dinheiro obtido cumprindo objetivos em diversas peças de marcas famosas, como camisetas, bonés, tênis e até shapes para o skate. Vários dos itens são desbloqueados em níveis mais avançados, obrigando um certo avanço para liberar as roupas mais legais.

O ponto negativo fica para as opções de personalização dos skatistas criados, que só têm um estilo de corpo disponível (ou seja: nada de pesos, alturas ou formatos diferentes). A parte de penteados, barbas e rostos também é bastante limitada, especialmente quando comparada à variedade enorme de indumentária. Por fim, skatistas profissionais como Tony, Bob ou Nyjah não podem ter roupas ou acessórios alterados, e ficam limitados a três skins predefinidas que acompanham o jogo (uma padrão e outras duas a serem desbloqueadas em desafios).

Personalização de skatistas deixa a desejar em Tony Hawk´s Pro Skater 1+2 — Foto: Reprodução/Murilo Molina

Criando pistas e jogando online

Sucesso em Tony Hawk's Pro Skater 2, o editor de pistas está de volta, dessa vez ainda mais robusto e fácil de usar. Com criatividade e tempo para investir, é possível criar verdadeiras obras-primas no editor, usando centenas de objetos, rampas e corrimãos, além de peças especiais, como loops e saltos gigantes. E não para por aí: as pistas podem ser compartilhadas online com a comunidade de jogadores, dando a milhões de skatistas virtuais acesso ao nível personalizado.

Outra melhoria possibilitada pela evolução dos consoles é o novo modo online de Tony Hawk's Pro Skater 1+2, que, além de criar uma experiência divertida, estende a vida útil do game. As sessões contam com diversos jogadores online, que andam pelas pistas simultaneamente enquanto novos desafios são propostos – como corridas por pontuações altas ou realização de combos robustos, por exemplo.

Apesar de um ou outro problema de conexão (capazes de arruinar completamente uma manobra ou combo perfeito), o modo online aposta no simples, e é uma boa opção para testar suas habilidades contra jogadores mais experientes. A modalidade poderia se beneficiar de desafios mais longos e complexos, assim como algum sistema de rankeamento, para parear usuários com níveis de habilidade similares.

Modo online de Tony Hawk´s Pro Skater 1+2 é divertido, mas sofre com conexão — Foto: Reprodução/Murilo Molina

Conclusão

Com foco total em entregar um produto de qualidade, que faz jus ao legado da franquia Tony Hawk's Pro Skater, o remaster 1+2 da Neversoft cumpre o objetivo de forma brilhante, em um pacote recomendado para os antigos fãs que desejam matar a saudade dos clássicos, ou para novos jogadores que buscam uma introdução à série. O game é um exemplo a ser seguido quando o assunto são remasters de jogos antigos.

9.8

Cumpre seu objetivo de forma brilhante

O game traz belos gráficos e jogabilidade clássica com ótimos ajustes. Outros destaques positivos são elenco de skatistas recheado e a trilha sonora matadora. Por outro lado, o jogo deixa a desejar nas opções de personalização de personagens, além de ter problemas de conexão no modo online.
Gráficos
9
Jogabilidade
10
Diversão
10
Som
10
PS5: saiba tudo sobre o novo console

PS5: saiba tudo sobre o novo console

Qual é o melhor jogo de skate? Comente no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo