Publicidade

Por Renato Carvalho; Por TechTudo

TechTudo

Ryse: Son of Rome é um jogo extremamente linear, com uma qualidade gráfica de nova geração, mas com um enredo que fica devendo do início ao fim. Com uma jogabilidade que pouco acrescenta aos jogos do gênero, o título repete sua fórmula durante toda a jornada de Marius, fazendo com que o gameplay pareça repetitivo. Confira o review abaixo.

Ryse: Son of Rome (Foto: Divulgação) (Foto: Ryse: Son of Rome (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

A história de Ryse: Son of Rome é baseada na jornada de Marius Titus, um soldado romano que aos poucos descobre quem é o seu verdadeiro inimigo. Embora a caracterização do personagem e o potencial gráfico do Xbox One contribuam para uma atmosfera extremamente real, todas as passagens parecem aceleradas, como se o jogo estivesse correndo o tempo todo para chegar ao final.

Embora as referências entre Dâmocles e Marius apareçam constantemente de forma gritante, a relação entre os personagens é um dos pontos altos do jogo. Enquanto a história patina em momentos lineares demais antes do protagonista ser deixado para trás, como Dâmocles tudo parece mais grandioso, oferecendo um objetivo real ao personagem e ampliando a atmosfera da Roma antiga.

Ryse traz gráficos impressionantes. (Foto: Divulgação) (Foto: Ryse traz gráficos impressionantes. (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

Ryse parece ter sido desenvolvido unicamente para apresentar o potencial gráfico do Xbox One. As cenas de guerra são apoteóticas, com conflitos grandiosos, centenas de personagens na tela e muito sangue. As reações distintas de cada personagem gritam o poder de processamento do novo console, deixando até mesmo o usuário mais descrente entusiasmado com os jogos que serão lançados em breve.

A modelagem dos personagens é incrível. A riqueza de detalhes das roupas e acessórios dos soldados e rebeldes impressiona. Tudo parece extremamente real. Da movimentação nas lutas ao vento que balança as bandeiras destruídas, a sensação é de estar realmente observando uma cidade em guerra.

Ryse traz diferentes tipos de jogabilidade. (Foto: Reprodução) (Foto: Ryse traz diferentes tipos de jogabilidade. (Foto: Reprodução)) — Foto: TechTudo

A câmera do jogo trabalha para que o jogador fique impressionado com os detalhes. A tela constantemente fica mais próxima do rosto dos protagonistas em diálogos, revelando em closes incomuns em produções do gênero o impressionante trabalho da desenvolvedora.

Os cenários estão marcantes, com reconstruções épicas e uma atmosfera única. O cuidado da Crytek em oferecer uma experiência singular reflete nos detalhes das grandiosas construções aos pequenos vilarejos, com bancas de frutas espalhadas pelos corredores e casas humildes.

Embora o potencial gráfico do console seja explorado de maneira satisfatória, a variedade de skins de inimigos é um dos pontos fracos do jogo. Durante toda a jornada o jogador não enfrenta mais de 10 modelos de inimigos diferentes, lutando contra rebeldes aleatórios, homens grandes e barbudos, rebeldes com duas espadas, homens com cabeça de chifre e pretorianos.

Ryse: Son of Rome traz finalizações cinematográficas. (Foto: Divulgação) (Foto: Ryse: Son of Rome traz finalizações cinematográficas. (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

A jogabilidade do game funciona perfeitamente na proposta, porém sua abordagem está muito linear. Conforme o andamento da campanha os jogadores executarão o mesmo movimento diversas vezes, trazendo uma sensação de repetição desnecessária para um game tão grandioso.

Se as formas de ataque variam bem, as defesas de Mario ficam devendo. O protagonista poderia variar o formato de esquiva assim como faz com os momentos ofensivos, porém o que se vê é o contato do escudo com a espada sempre que o jogador deseja repelir o golpe do adversário. Games como Batman: Arkham City trabalham este sistema de uma forma mais elaborada.

Jogadores que gostam de explorar os cenários poderão ficar frustrados com as limitações impostas pelo game. Em diversas situações o protagonista não consegue pular estruturas pequenas, além de esbarrar algumas vezes em paredes invisíveis.

Modo multiplayer traz arenas em co-op. (Foto: Divulgação) (Foto: Modo multiplayer traz arenas em co-op. (Foto: Divulgação)) — Foto: TechTudo

O sistema de Quick Time Event é extremamente básico. Se não fossem os gráficos incríveis o jogo seria trágico, como um sistema de execução automático e uma recompensa pobre para os que executam as sequências com maestria. Em poucos duelos os jogadores menos habilidosos se transformam em uma espécie de Gannicus sem nenhum esforço.

Extremamente funcional, o comando de voz utilizado no game com o auxílio do Kinect é mais um recurso para o portfólio da Microsoft. Com suporte para o português, é extremamente satisfatória a experiência de mandar os arqueiros dispararem enquanto observa as hordas de inimigos caindo com as flechas.

Os jogadores mais habilidosos ficarão imbatíveis após poucas horas de gameplay, pois o nível de dificuldade cresce pouco no decorrer da jornada, explorando sempre a mesma tática de esquiva, defesa e contra-ataque.

Tema Ryse: Son of Rome para Windows (Foto: Reprodução/Tema Ryse: Son of Rome para Windows) — Foto: TechTudo

O multiplayer traz poucas opções. Os jogadores podem participar apenas de partidas em Co-op com outros usuários. O sistema de evolução do personagem é lento, porém recompensador, pois recursos avançados são decisivos em duelos contra vários inimigos ao mesmo tempo.

Fica a sensação de que faltou o consagrado modo DeathMatch, com jogadores de diversas partes do mundo duelando em um Coliseu histórico, cercados por gladiadores habilidosos e pela atmosfera da arena mais famosa da humanidade.

Ryse: Son of Rome é um game divertido, porém acelerado demais e com uma evolução extremamente linear. Os gráficos belíssimos sustentam bem a proposta, apesar da pouca variedade dos inimigos, tornando o título um ótimo primeiro passo na nova geração. Prepare-se para ficar impressionado com a dublagem de alto nível e com os cenários grandiosos.

Já jogou Ryse: Son of Rome? Deixe seus comentários no Fórum do TechTudo.

8.5

Gráficos
10
Jogabilidade
8
Diversão
8
Som
8

Prós

  • - Gráficos incríveis
  • - Dublagem acima da média
  • - Comandos de voz funcionais

Contras

  • - Jogabilidade muito linear
  • - Jogo curto
  • - Multiplayer com poucas variáveis

Mais do TechTudo