Por Fernando Cezar; Por TechTudo


Nome: Sonic Generations
Gênero: Aventura
Distribuidora: SEGA (Distribuído no Brasil pela NC Games)
Plataformas: PS3, Xbox 360, Windows, PC, Wii e Nintendo 3DS

Sonic Generations (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

O mascote da SEGA volta completando 20 anos de sucesso em Sonic Generations, uma aventura que mistura os antigos jogos da franquia com a modernidade dos consoles atuais.

Parabéns, Sonic!

Comemorando 20 anos,  a SEGA não poderia deixar os fãs do mascote mais famoso da empresa sem um jogo que marcasse a data. A empresa desenvolveu Sonic Generations, um jogo que mistura os elementos de todas as fases do herói, desde sua estréia no Master System até seus jogos mais recentes para Xbox 360 e PS3.

Com isso, temos uma incrível mescla de elementos, com cenários épicos das versões mais antigas voltando com gráficos renovados, e cenários de jogos mais recentes, adaptados a jogabilidade 2D em trajetos inéditos.

O resultado é um jogo que agradou muito durante a sua campanha promocional, mas que deixou uma enorme frustração no ar. Isso porque, apesar de mesclar todas as características da série, o foco maior ficou com os jogos mais recentes, que menos agrada aos fãs.

Sonic Generations (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Sonic gordinho ou Sonic moderno?

A história de Sonic Generations começa quando o vilão Time Eater surge no aniversário de Sonic, abrindo uma espécie de portal do tempo. O resultado é o encontro dos dois personagens, que precisam unir forças para destruir o vilão. Além da dupla de Sonics, outros personagens clássicos da série estão de volta, como Tails, Knucles e o vilão Eggman (ou Robotinik). Os cenários também agradam os fãs mais nostálgicos, pois não há como não abrir um sorriso diante de uma Green Hill Zone totalmente reformulada ou deixar de cantarolar a sua famosa trilha.

Mas Sonic Generations não vive só de nostalgia: as novidades aparecem no jogo, como a variedade de modos em cada cenário. A maioria consiste em corridas contra outros personagens, porém ainda existem outros modos. Vencendo esses desafios é possível desbloquear itens colecionáveis e, é claro, troféus e conquistas.

Sonic Generations será lançado também para PCs (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Gráficos (confusos e) renovados

Conforme foi dito acima, deparar-se com cenários clássico da era 16 bits totalmente reformulados, é algo a se admirar. O mais interessante é que as fases foram refeitas com gráficos mais nítidos, mas que deixam tudo muito idêntico ao passado da franquia. Entretanto, o que pode ser muito bom à primeira vista, com o passar do tempo torna-se um grande empecilho e uma verdadeira confusão visual.

Isso porque a SEGA optou por dar um tom 3D às antigas fases, deixando todas com um aspecto de profundidade interessante, com direito a troca de câmeras durante os loopings ou travessias em túneis submersos ou não.

Porém, essas modificações acabam gerando reclamações. A primeira em relação a quantidade de elementos na tela, deixando o jogador confuso, mesmo que boa parte do caminho já esteja mais do que decorada. Além disso, pros fãs mais nostálgicos, ter Sonic divergindo entre 2D e 3D é um tanto decepcionante.

Sonic Generations (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Aumente o som!

A trilha sonora de Sonic sempre foi um dos grandes atrativos da série. Ao lado de outras grandes franquias, como Mario e Zelda, a série deixou músicas em nossa cabeça desde os primeiros títulos para os antigos consoles da SEGA.

E se você tem boa memória ou simplesmente não fez questão de esquecê-las, anime-se pois os grandes sucessos estão de volta. E mesmo com uma leve remixada, a SEGA conseguiu agradar sem comprometer os sucesso que embalam as aventuras de Sonic.

Sonic Generations (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Jogabilidade controversa

Se o jogo mescla entre 2D e 3D, a jogabilidade mescla em ser eficiente e ineficaz. Quando o jogo utiliza a boa e velha mecânica 2D – conhecido popularmente como jogo de plataforma – tudo flui de maneira simples e eficaz. Sonic continua dando suas deslizadas e saltando praticamente na mesma altura dos jogos antigos.

Por muito pouco este mesmo modo não foi comprometido. Tudo porque em determinados momentos o ângulo da câmera acompanha Sonic em uma visão em terceira pessoa, porém, para felicidade de todos, essa mudança acontece exatamente em momentos em que você não controla o personagem.

Mas quando a jogabilidade foca na versão dos jogos mais recentes, o game falha. Primeiro porque a SEGA não se convence que os elementos dos jogos tradicionais não são compatíveis com esse tipo de jogo. Em outras palavras, é um tanto complicado correr com Sonic e ainda ter muito reflexo para acertar uma pequena plataforma, ou até mesmo um corrimão.

Sonic Generations (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Conclusão

Sonic Generations é um presente para todos os fãs do mascote da SEGA. Com a volta de cenários clássicos, agora em alta definição, o jogo encanta pela sua beleza visual, mesmo que ela afete na jogabilidade, confundindo o jogador em cenas mais rápidas. Porém, a SEGA insiste em “empurrar” a mecânica mais recente de Sonic, divergindo entre o 2D e o 3D, mas dando um foco maior na visão em terceira pessoa. Feliz aniversário, Sonic!

8

Gráficos
8
Jogabilidade
6
Diversão
9
Som
9

Prós

  • - Fases clássicas de volta.
  • - Trilha sonora que empolga.
  • - Variedade de modos de jogo.

Contras

  • - Foco maior no 3D
  • - Gráficos medianos
  • - Jogabilidade divide opiniões

Mais do TechTudo