Jogos de ação

NOTA tt
6.0

Review Splinter Cell Trilogy

Mais uma famosa franquia embarca na onda dos remakes em HD. A espionagem de Sam Fisher volta com os três primeiros títulos da franquia Splinter Cell, agora nos consoles da atual geração. Confira:

Fernando Cezar
por
em

Nome: Splinter Cell Trilogy HD
Gênero: Ação
Distribuidora: Ubisoft
Plataformas: Playstation 3 

Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)

Mais uma famosa franquia embarca na onda dos remakes em HD. A espionagem de Sam Fisher volta com os três primeiros títulos da franquia Splinter Cell, agora nos consoles da atual geração. Confira: 

A espionagem está de volta

A franquia de Sam Fischer foi uma das pioneiras no gênero que mistura muita espionagem com ações furtivas. Quando foi lançado para PC em 2002, o game era um dos mais elogiados naquele ano por apresentar um sistema que mesclava estratégia com movimentos rápidos, precisos e imperceptíveis, característicos dos filmes de espionagem.

Diante do sucesso da franquia, a Ubisoft viu uma oportunidade de empurrar mais um clássico em versão remasterizada para o PS3, assim como fez com sua outra franquia, Prince of Pérsia. Entretanto, enquanto as aventuras do príncipe mostraram um belo trabalho da produtora, em Splinter Cell não podemos dizer o mesmo.

O mais estranho disso tudo é que o jogo teve seu lançamento adiado por duas vezes, o que geralmente é feito pelas empresas que buscam corrigir alguns problemas antes de pôr o jogo no mercado. E a impressão que se tem é que o jogo foi feito as pressas e sem o mesmo capricho de outras edições remasterizadas. Veja como ficou cada versão:

Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)

Splinter Cell 

A primeira aventura de Sam Fisher é um convite aos fãs mais antigos relembrarem suas peripécias surdinas no controle do agente secreto. O jogo foi o primeiro a apresentar tantas opções ao jogador, seja nos controles – com inúmeras opções de comando - ou nos meios para se terminar uma missão. Para isso, o jogador contava com inúmeros botões em seu teclado (na versão para PC) cada um com uma respectiva função. A adaptação dessa jogabilidade para o Dual Shock 3 merece elogios.

Em sua versão HD, o jogo apresenta gráficos que não são tão impactantes quanto na primeira vez. Isso deve-se ao fato do jogo ter sido lançado em 2002 – quase dez anos atrás – em uma época em que gráficos granulados eram mais comuns do que qualquer outra coisa no mundo dos games. Além disso, o jogo ainda roda muito lento, na mesma velocidade de quando foi lançado.

Mas o que realmente não agrada é o fato da conversão não ter pelo menos tentado corrigir esses problemas. E para completar, o jogo continua escuro demais para o padrão das TVs e monitores do hoje em dia. Mesmo com uma boa aplicação do efeito 3D, o jogo assusta os gamers acostumados com gráficos de ponta dos jogos da atual geração.

Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)

Splinter Cell Pandora Tomorrow

O segundo titulo da franquia é apontado pelos fãs como um dos melhores da saga. O jogo manteve todos os elementos do primeiro titulo, em missões mais complexas e com mais ação do que o primeiro, que apresentava quase todas as tarefas para que fossem executadas de uma maneira furtiva.

Os gráficos continuam serrilhados demais sem qualquer trabalho mais aprofundado de aperfeiçoamento. Mas mesmo assim, vale a pena usar o efeito 3D do titulo, sendo de longe o que melhor se adaptou a essa tecnologia. Uma parcela desse sucesso deve-se aos cenários que são mais nítidos que o game anterior.

Entretanto, nem tudo são flores, e o jogo peca pelo fato de não possuir o modo multiplayer que ficou tão popular na época de seu lançamento. É de se lamentar a ausência deste modo justamente numa época em que o multiplayer online é quase obrigatório nos jogos atuais. 

Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)

Splinter Cell Chaos Theory

O terceiro titulo da franquia é o que ficou melhor adaptado para essa conversão HD. As modificações desta versão para a original são mais nítidas do que os outros dois títulos, porém, curiosamente o efeito 3D de Chaos Theory deixa a desejar, pois causa mais incomodo ao jogador do que sensação de profundidade.

A jogabilidade também é mais precisa, dando uma sensação quase imperceptível ao jogador de que o game roda mais rápido nesta versão. Os movimentos de Fisher também são mais sensíveis ao Dual Shock 3 do que aquela movimentação dura, característica dos jogos que utilizavam os teclados alguns anos atrás.

A única coisa que incomoda é o fato dos menus ainda estarem com cara de jogos da geração passada. Acreditem, uma modificação simples resolveria todo o problema e não daria muito trabalho para entregar o produto completo dentro do prazo. Mas parece que o único trabalho que a Ubisoft quis realizar nestes menus, foi o de retirar as agradáveis partidas multiplayers.

Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)Splinter Cell Trilogy HD (Foto: Divulgação)

Conclusão  

Splinter Cell trilogy HD embarcou na onda dos clássicos em versões remasterizadas, mas acabou se afogando em seu trajeto rumo ao sucesso. Com uma conversão fraca dos primeiros títulos da franquia, o jogo agrada apenas aqueles que são muito fãs da série e que não se importam nem um pouco em se deparar com gráficos escuros e granulados. E se não bastasse, ainda precisam se contentar com a ausência do modo multiplayer, dando um passo para trás em uma geração acostumada a partidas e outras interações online. 

 

Nota TechTudo

NOTA tt
6.0
Gráficos
5
Jogabilidade
6
Diversão
7
Som
7

Prós

  • - A volta de Sam Fischer
  • - Efeito 3D

Contras

  • - Controles lentos
  • - Gráficos serrilhados
  • - Sem multiplayer
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares