Smartwatches

Por Thássius Veloso

Thássius Veloso/TechTudo

Usei o Realme Watch S por algumas semanas no meu cotidiano de trabalho e fitness. Depois deste período, posso te contar que o smartwatch com preço sugerido de R$ 699 entrega quase tudo que promete e tem grandes chances de se tornar uma excelente companhia. Ele é veloz, confiável e oferece uma bateria que dura muito: exatamente 13 dias.

A quem se destina este aparelho? Quem admira a Mi Band 6 (Xiaomi), mas está em busca de uma tela maior, só que não pretende desembolsar mais pelo Galaxy Watch Active 2 (Samsung). O relógio inteligente da Realme é uma excelente pedida em diversos cenários.

Realme Watch S visto de lado — Foto: Divulgação/Realme

Primeiro de tudo: quem é a Realme?

Muitos leitores e seguidores vieram me perguntar sobre a Realme, a empresa chinesa por trás deste equipamento. Ela é novata no mercado brasileiro, chegou há pouco tempo, e desde então corre para ocupar o espaço da LG – que está se retirando do setor de dispositivos móveis. Os executivos fazem questão de dizer que ela ocupa o top 5 de 14 países na categoria de celular.

Realme 8 Pro, um dos lançamentos recentes da Realme no Brasil — Foto: Divulgação/ Realme 8 Pro

Seria o Brasil o próximo território a ser conquistado? Algo a se acompanhar, mas fato é que o Watch S deixa uma boa primeira impressão. Falemos do relógio em si.

Um smartwatch com cara e cheiro de relógio

O Realme Watch S tem tela de 1,3 polegada e painel IPS LCD. O formato circular repete o convencional e foge da proposta do Apple Watch, que chegou a ser copiada por outras marcas, mas que continua sendo bastante característica da empresa da maçã. Ponto positivo para uma companhia que tenta conquistar as massas.

Realme Watch S reconhece 16 modalidades esportivas — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Ele é bem levinho, pesando apenas 48 gramas. O formato único em 47 milímetros se adequou bem ao meu pulso, que não é dos maiores. Resta a dúvida se os consumidores irão encontrar mais opções de pulseira para personalizá-lo – tipo de coisa que bomba entre os fãs da Mi Band, por exemplo.

O processo de inicialização do aparelho requer um QR Code que leva para um aplicativo da Realme Índia. Ainda não está claro por que isto acontece, mas seria bem-vindo repensar o primeiro contato com o aparelho para não afugentar os clientes brasileiros. A interface em português com alguns trechos em inglês é outro descuido da equipe que fez a localização.

Watch S no dia a dia

O aplicativo Realme Link sincroniza o Realme Watch S tanto com celular Android quanto com iPhone. Eu notei que ele funciona melhor no sistema do Google, mas que, em ambos os casos, alguns ajustes mais avançados são complicados demais de serem executados.

Existem muitas faces à disposição na loja oficial. Você pode optar por algo mais discreto ou esportivo, passando ainda por simpáticos mascotes. Nenhuma delas permite personalizações dos elementos que ficam na tela, o que é uma pena. A sincronização às vezes é vagarosa.

Loja da Realme tem dezenas de mostradores — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Por outro lado, uma vez que você configurou tudo, é só se esquecer que o relógio está ali. Ela vai te notificar sobre novas mensagens no WhatsApp e outros aplicativos de comunicação (mas não permite responder).

Todas as interações com o relógio ocorrem diretamente na tela sensível ao toque. Ele também conta com duas teclas físicas que executam algumas poucas funções, dentre as quais destaco a opção de voltar para o menu anterior.

O Realme Watch S não tem nenhum alto-falante, o que significa que você fica constantemente sentindo vibrações no seu braço. Talvez não seja um problema para outras pessoas, mas é o tipo de coisa que me incomoda, e por isso eu o mantive em Não Perturbe na maior parte do tempo.

Realme Watch S: formato circular deve agradar quem curte relógio tradicional — Foto: Divulgação/Realme

Aliás, aqui cabe uma bronca: o Watch S não consegue sincronizar o status do Não Perturbe com o smartphone. Ou seja, às vezes um deles está ativo e o outro não, o que resulta em notificações apitando em momentos inadequados. Na minha cabeça faz sentido que, ao selecionar o Não Perturbe – seja no smartwatch, seja no smartphone –, o ajuste passe a valer para ambos os dispositivos.

Apps nativos do Realme Watch S: medidor de sono, encontrar telefone, meditação e lembrete de tomar água — Foto: Divulgação/Realme

Existe pouco mais que meia dúzia de aplicativos instalados de fábrica no smartwatch, como o de respiração, de monitoramento do sono, de oxímetro e de controle remoto da câmera do celular. Esteja certo ou certa de que estas são as funções de que você precisa, pois não será possível trocá-las depois que comprar o aparelho.

Talvez alguns consumidores sintam falta de um assistente de voz.

Watch S na academia

Ficou claro que o objeto deste review não traz nenhum ganho de produtividade, exceto se o seu desejo for ler no pulso as notificações que chegam no smartphone. Por outro lado, o Realme Watch S se saiu muito bem como companheiro de vida fitness.

Não tem mistério nenhum. Você chega na academia, escolhe o tipo de treino e acompanha o desempenho diretamente na telinha. São apenas 16 modalidades: corrida ao ar livre, corrida interna, pedalada ao ar livre, caminhada, aeróbica, bicicleta coberta, bicicleta estacionária, elíptico, futebol, basquete, tênis de mesa, badminton, ioga, críquete, remo e treino de força. A Realme bem que poderia liberar uma atualização de sistema com mais esportes. Na Mi Band 6 são 30, por exemplo.

Sensores detectam frequência cardíaca e oxigenação do sangue — Foto: Divulgação/Realme

O medidor de batimentos cardíacos e o pedômetro auxiliam no cálculo do consumo de calorias durante as atividades. Alguns analistas se queixaram da qualidade dos mostradores, que seriam difíceis de ler, mas eu não percebi nada assim.

Minha experiência inicial com o gasto calórico detectado pelo Watch S não foi das melhores. Uma sessão de 20 minutos de elíptico deu 115 calorias no relógio contra 180 no aparelho da academia.

Resumo de atividade física e monitor de sono do Realme Watch S — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

É bem verdade que não há precisão científica nestas funções de smartwatches, mas estava discrepante demais. Depois de idas e vindas, eu percebi que o pulo do gato é deixar a pulseira bem rente ao punho. No começo pode incomodar um pouco, mas rapidamente você se acostuma e garante uma leitura correta dos indicadores.

Também senti falta de poder adicionar metas para treinos. Fucei toda a interface, mas não encontrei este ajuste. Se existe, deve estar oculto em algum canto de difícil acesso.

Os nadadores, surfistas e atletas de outras modalidades aquáticas vão sentir falta destes desportos. Nenhum deles está no Realme Watch S, apesar da resistência à água com certificação IP68.

Realme Watch S conta com IP68 — Foto: Divulgação/Realme

Praticamente não usei o monitor de oxigênio no sangue (SpO2). Ainda existem muitas dúvidas sobre mensurações de sensores deste tipo. Cabe lembrar que não se trata de instrumento médico e que, no contexto da Covid-19, o ideal é sempre procurar oxímetros com finalidade medicinal caso você esteja com alguma pulga atrás da orelha.

Tanto na academia quanto fora dela, o controle de mídia é sempre útil para controlar o volume da música que o smartphone está tocando nos fones de ouvido. Também dá para voltar ou pular para a faixa seguinte.

Bateria dura muito

A Realme promete 15 dias de autonomia de uso com a bateria de 390 mAh. Não chegou a tanto, mas bateu 13 dias ininterruptos numa rotina em que ele ficou no braço o tempo todo – inclusive para dormir.

Sabemos que as empresas às vezes exageram no marketing. Mesmo sem que a promessa se cumpra, é meu papel dizer que a duração está fenomenal para um aparelho que você provavelmente vai plugar na tomada antes deste prazo. Imagine só… recarregá-lo uma vez por semana já te dá uma bela margem de utilização.

Vale a pena comprar o Realme Watch S?

Não existe produto perfeito. Partindo deste pressuposto, a gente compreende que o Realme Watch S foca nos consumidores que sonham agora com seu primeiro smartwatch. Ele traz funções básicas que endereçam os principais desejos de quem já tem um smartphone no bolso e começa a pensar no próximo dispositivo inteligente para fins pessoais.

Há muitos pontos que mereceriam mais atenção da Realme. Tentei listar os principais nas linhas acima. Se você passou pelas críticas com o pensamento de “ah, eu não dou bola para isso, não”, saiba que esta é uma excelente opção para ti.

O Galaxy Watch Active 2 e o Huawei Watch GT 2 Pro são smartwatches robustos e confiáveis que estão aí para quem busca funções mais avançadas. Já o Apple Watch (Series 6 ou SE, você decide) continua sendo imbatível para quem vive imerso no mundo Apple.

Realme Watch S promete 15 dias, mas bateria dura 13 — Foto: Divulgação/Realme

Achou que tem recursos demais? A recém-lançada Mi Band 6 não chega a ser um relógio, mas custa menos e pode ser que você se adapte rapidamente a ela.

Para mim, o fundamental deste texto é te mostrar exatamente o que vai funcionar ou não caso você opte pelo Realme Watch S. Está ciente e quer encarar este novo dispositivo? Faça bom proveito!

Ficha técnica do Realme Watch S

  • Tela: 1,3 polegada
  • Resolução da tela: 360 x 360 pixels
  • Painel da tela: IPS LCD
  • Conectividade: Bluetooth 5.0
  • Sensores: acelerômetro, frequência cardíaca, fotossensibilidade e oxímetro
  • Cor: preta
  • Peso: 48 gramas
  • Sistema: proprietário
  • Lançamento internacional: novembro de 2020
  • Lançamento no Brasil: janeiro de 2021

Mais do TechTudo