Por Diego Borges; Por TechTudo


Nome: Thor: God of Thunder 
Gênero: Aventura
Distribuidora: Sega (distribuído no Brasil pela NC Games)
Plataformas: PSP, PS3, Xbox 360, Wii e DS 

Thor (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Após o lançamento do filme Thor: God of Thunder nos cinema de todo o mundo, os consoles da atual geração recebem o jogo oficial da Sega, que usufrui dos direitos adquiridos para produzir games baseados nos filmes de heróis da Marvel. Confira como ficou o resultado. 

A velha maldição dos jogos baseados em filmes 

Qualquer gamer, até o mais casual deles, sabe que praticamente todos os jogos baseados em filmes são verdadeiras decepções, mas ainda assim, empresas como a Sega investem nessa área. Existe um retorno, claro, para os fãs do herói, simpatizantes do filme e até mesmo crianças, que dificilmente se importam com gráficos, jogabilidade e outros quesitos. Porém com a maioria do público, o fracasso de criticas e vendas é quase certo. 

Falando sobre o game, Thor: God of Thunder possui um enredo com referências, mas não exatamente seguindo a risco o roteiro original do filme. Isso ajuda aqueles que ainda não viram o filme e não querem ser obrigados a ver algumas cenas importantes dentro do jogo, o que faria o filme perder a graça.   

Após criaturas do gelo invadirem Asgard, Thor inicia uma jornada em busca da salvação de seu reino. Pouco se explica durante a trajetória, o suficiente para percebermos que cada vez mais a trama foge do que é apresentado no filme. Mas durante a aventura, podemos perceber alguns elementos da história do personagem nos quadrinhos, para a alegria dos fãs do herói. 

Thor: God of Thunder (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Gráficos longe de um Oscar 

Convenhamos que ninguém esperava gráficos extraordinários no jogo. Por tudo que foi apresentado nos trailers que antecederam o lançamento, já poderíamos prever o que estava por vir, ou seja, percebemos cenários sem qualquer capricho, com elementos simples e muito similares, além de bugs de “estouro de polígonos” em diversos momentos. 

Os efeitos dos poderes de Thor também não são nada agradáveis. Seja no momento em que o personagem é congelado ou até na execução de alguns de seus golpes, como raios e outros movimentos especiais. Para completar, não há uma boa variedade de inimigos, ou seja, a sensacao é de que as mesmas criaturas estão sempre no seu caminho. A grande diferença fica por conta de cores e tamanho, fora isso, não é dificil confundir-se com seu inimigos.  

Thor (Foto: r) — Foto: TechTudo

Dublagem original 

Para aqueles que gostaram do filme, Thor: God of Thunder pode ser visto com outros olhos. A começar, por contar com a voz original do ator Chris Hemsworth, que interpreta o personagem. Outros elementos também estão agregados ao game, mas sem estragar a surpresa de quem não viu o filme.

Os efeitos sonoros também ajudam o game, sendo bem reproduzidos no áudio 5.1. Se por um lado os gráficos beiram a simplicidade, o áudio conta com uma trilha sonora interessante que reforça o clima de aventura do jogo. 

Thor: God of Thunder (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Feito para os menos experientes 

Thor pode não agradar os gamers mais exigentes, mas ao mesmo tempo ele torna-se ideal para quem busca diversão simples ou um game para jogadores mais jovens. A jogabilidade de Thor não exige combinações complexas de comandos, como segurar X, apertar Y, “C” para frente, etc. O jogo utiliza uma mecânica fácil, o que é uma característica dos jogos de aventuras. 

E por mais que o herói tenha uma boa variedade de golpes, não há uma complexidade em variar os movimentos. É necessário apenas escolher o elemental a ser utilizado, para que em seguida seja executado o poder relacionado. 

Thor, como muitos jogos da atual geração, oferece uma espécie de tutorial antes de executar determinada ação, evitando que o jogador menos experiente fique preso em determinado local sem saber como encontrar a solução naquele momento. 

Thor: God of Thunder (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

Outros pontos fracos de Thor 

Como era esperado, Thor: God of Thunder conta apenas com o modo campanha disponível no jogo, sem qualquer outro modo online ou cooperativo multiplayer. Diante disso, a vida útil do jogo fica extremamente limitada, fazendo com que o jogo seja um forte candidato a empoeirar na prateleira da sua casa. 

A inteligência artificial de seus inimigos também beira a simplicidade. Além de parecerem bobos e sem qualquer sincronismo, independente do modo em que esteja jogando o comportamento é sempre o mesmo. A única coisa que difere é o dano que varia do modo mais fácil ao mais difícil. 

Conclusão 

A simplicidade é percebida durante todo o game, seja nos gráficos pouco detalhados ou no enredo bem linear. A jogabilidade é limitada, agradando os jogadores mais casuais, que procuram apenas uma aventura descompromissada, e afastando os gamers acostumados com jogos repletos de combinações de movimentos. Thor: God of Thunder é tudo aquilo que esperávamos: apenas um jogo divertido, feito para os fãs empolgado com o filme do herói e seu martelo do poder. 

6

Gráficos
5
Jogabilidade
6
Diversão
6
Som
7

Prós

  • - Dublagem original.
  • - Variedade de movimentos.
  • - Jogabilidade simples.

Contras

  • - Gráficos mal acabados.
  • - Falta de modos de jogo.
  • - I.A. fraca.
  • - Enredo sem graça.

Mais do TechTudo