Por Thiago Barros; Por TechTudo


Warframe é um game gratuito pra PlayStation 4 e PC que mistura ninjas futuristas, alienígenas e armas super tecnológicas. Some tudo isso à batalhas épicas pelos planetas do Sistema Solar e você terá um free-to-play que agrada aos fãs do gênero - e seus respectivios bolsos. Confira:

Warframe é grátis e bem divertido (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Acelerado ou cadenciado, online ou offline: você escolhe

Desenvolvido pela Digital Extremes, Warframe coloca o jogador no papel de ninjas Tenno, em uma guerra com “alienígenas” que são clones humanos militarizados, os Grineer. Se não bastasse, ainda é preciso confrotar um outro grupo corporativo, a Corpus, e os Infectados, vítimas de um vírus mortal. Para enfrentar tudo isso, eles contam com armaduras e habilidades especiais: os Warframes.

Suas escolhas definem bastante sobre a experiência que você terá com o game. Na sua primeira vez, um rápido tutorial tenta esclarecer como funciona o mecanismo do game. Depois é preciso realizar, de cara, uma escolha: o ninja que deseja, já que cada um conta com Warframes diferentes, ou seja, um tipo de armadura especial que lhe dá poderes específicos.

Tutorial no início ensina comandos básicos (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Ainda no tutorial, um pouco da história do game será contada, e o usuário será redirecionado para um menu com os planetas do sistema solar, onde acontecem as missões. Ali, você também pode customizar tudo. Jogar em grupo na Internet, com desconhecidos, restringir a amigos ou até mesmo ir pra guerra sozinho.

Esta liberdade é interessante e gera duas experiências bem diferentes. O co-op dá mais clima aos tiroteios, explosões e ação. Já no offline, é mais adequado tentar utilizar a inteligência e evitar ser detectado por hordas de inimigos, para lidar com eles aos poucos, mantendo seu nível de energia sempre alto.

Aliás, a sua vida não regenera em Warframe. Você tem um escudo protetor – que aguenta um determinado número de dano, e depois não lhe protege mais. Este escudo, sim, pode ser regenerado. Mas se você perdê-lo, e começar a perder vida, ela não será recarregada e você ficará mais vulnerável.

Usuário pode jogar single ou multiplayer (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Missões são variadas, mas cenários se repetem

Em termos de gameplay em si, a coisa é simples. Sai um grupo (ou uma pessoa só) no cenário futurista da vez, que é gerado randomicamente a cada nível, com um objetivo no menu a ser cumprido. Ao todo, são 10 tipos de missões (como assassinar, capturar, etc) que acabam se repetindo, pois há uma série de tarefas a serem feitas em cada planeta.

Mesmo assim, a diversão é grande. Pode ser um pouco repetitivo, mas não chega a ser um defeito – ao contrário dos cenários, que, em muitos casos, parecem ser sempre um local só. Até porque, visualmente, o jogo é até bem feito, especialmente por ser grátuito, mas nada deslumbrante como se espera de um game de PS4.

Cenários são bem parecidos (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Porém, se por um lado eles se parecem em termos de estrutura visual, os labirintos e ações necessárias, além de inimigos, variam com certa frequência. Assim, o game dá uma certa imprevisibilidade para o usuário, e seu nível de dificuldade vai subindo com o passar do tempo de maneira bastante agradável, sem exageros – para pouco ou muito.

Warframe é muito divertido com amigos (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Introdução deixa a desejar, e enredo é bem morno

O único ponto em que Warframe peca de verdade é no quesito história. O enredo é bem morno, e a introdução feita no tutorial inicial não é muito boa. Explica mais os comandos, a mecânica do jogo, mas pouca coisa da história. Basicamente, sabe-se que você é um ninja cheio de poderes especiais que tem que tomar controle dos planetas.

Obviamente, para o estilo de jogo do Warframe, que é um shooter em terceira pessoa, nada importa mais do que o gameplay, a boa conexão ao multiplayer e a variedade das armas e missões, além da diversão e do quão frenético ele é no ritmo de disparos e de enfrentamentos com os inimigos. E, nisso, o Warframe agrada.

Visual não é estonteante, mas não deixa a desejar (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Personalizações e compra de conteúdo online

O Warframe tem um sistema bem interessante de conteúdo extra para os personagens. E tudo pode ser comprado utilizando pontos do jogo ou dinheiro real. Há Warframes (as armaduras com poderes), armas e boosts em geral para serem adquiridos. Vale a pena jogar bastante e gastar seus pontos em evoluções para o personagem.

Sobre gastar dinheiro, vai do nível de interesse de cada um no game. Vale lembrar que o Warframe é gratuito, então você pode pensar que o dinheiro que está gastando em mais conteúdo para seu personagem é como se estivesse pagando o valor do título, caso ele fosse vendido normalmente. Mas isso não é preciso para aproveitar bem o jogo.

No geral, o game oferece uma experiência variada, divertida e empolgante, ainda mais para quem joga o multiplayer. O sistema de armas, miras e disparos é eficiente. Além disso, mover-se pelos cenários é simples, e as interações via headset são interessantes. Para completar, os menus têm informações em português e os comandos são bem intuitivos. Vale conferir!

É possível comprar várias armas no jogo (Foto: Thiago Barros/TechTudo) — Foto: TechTudo

Conclusão:

Warframe é o títpico game que vale o download. Para começar, ele é gratuito. E, para um jogo free-to-play, conta com gráficos de qualidade e, principalmente, mostra eficiência na jogabilidade e na diversão. Há ainda um ponto importante: o jogo está em fase de desenvolvimento e recebe atualizações o tempo todo. Vale pelo menos baixar e testar. Afinal, você não pagará nada por isso e, portanto, não tem nada a perder.

8

Gráficos
7
Jogabilidade
8
Diversão
9
Som
8

Prós

  • - Gratuito
  • - Dificuldade balanceada
  • - Variedade de missões
  • - Menus e legendas em português

Contras

  • - Visual não empolga
  • - Enredo simples
  • - Cenários um pouco repetitivos

Mais do TechTudo