Jogos de aventura

NOTA tt
6.5

Review Werewolves Within

Lobisomem por uma noite

Felipe Vinha
por
em

Werewolves Within é uma ideia engenhosa para o uso de óculos de realidade virtual. Disponível para PC e PS4, usando o PlayStation VR, o jogo da Ubisoft leva o videogame a um novo nível – e seria um dos títulos mais obrigatórios desses acessórios, se não fosse por algumas limitações técnicas que ocorrem nas jogatinas. Confira nossa análise completa:

Óculos de realidade virtual: tudo que você precisa saber antes de comprar

Cuidado com o lobo mau

Werewolves Within se passa em um pequeno vilarejo medieval, onde o jogador assume um papel que pode mudar a cada partida. Explicando melhor: um grupo de pessoas se senta ao redor da fogueira para tentar descobrir que é, ou quem são, os lobisomens que ameaçam a vila. O problema é que todos estão bem disfarçados de “humanos”.

Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Quem achou a premissa familiar pode se lembrar do famoso jogo de tabuleiro e cartas Werewolf, onde o objetivo é exatamente o mesmo. Como um jogo clássico, ao longo dos anos ele ganhou diversas versões e variações, como “Cidade Dorme” ou “Copo D’água”. O funcionamento é exatamente este: um dos jogadores esconde ser o lobisomem por trás de sua carta de identidade e os outros na mesa precisam acertar quem é.

Com um visor de realidade virtual, elevamos isso a uma outra potência. Não é apenas jogar dentro de um ambiente que te envolve visualmente, mas também interagir com outras pessoas que não estão na mesma sala que você, em tempo real, por meio do chat de voz do headset do PS VR ou pela câmera do PlayStation – no caso da versão que testamos.

Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)

E assim se desenvolve a jogabilidade do game. Com base em dedução, perguntas e acusações, você deve descobrir quem é o lobo no seu grupo – pode haver mais de um – e acusá-lo com sucesso. É possível que você mesmo seja o lobo, então o ideal é se disfarçar e blefar bastante, para que não seja descoberto e que um aldeão seja acusado em seu lugar, na conclusão da partida.

O game é divertido e pega importantes pontos da versão original em cartas para o ambiente virtual. Os personagens reagem de acordo com a voz dos jogadores e mudam até mesmo de expressão, de acordo com o tom que é falado. Se é com surpresa, medo, sarcamos. Tudo é bem produzido nesse nível e olhar para o rosto dos personagens é um ponto chave na hora da descoberta, ou tentativa dela.

Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)

O jogo, porém, sofre com dois problemas: um deles é que seu único modo funciona apenas online. Não há qualquer outra forma de jogar Werewolves Within que não seja com outras cinco pessoas, pelo menos. Não há modo contra o computador para treino ou algo assim. Isso nos obriga a esperar que o grupo se forma online, o que é bem difícil.

Levamos cerca de meia hora esperando formar um grupo para começar a partida, contando ainda que o game tem seu multiplayer unido entre PC e PS4. Como é um jogo bem básico, não é comum que muitas pessoas estejam jogando-o ao mesmo tempo. O ideal seria juntar um grupo de amigos e combinar certo horário para poder jogar, mas quantos amigos que você conhece possui um visor de realidade virtual e compraram o game? Werewolves Within poderia ter outra solução ou modo de jogo.

Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)Werewolves Within (Foto: Divulgação/Ubisoft)

Os gráficos também não são os melhores. Apesar de limpos, são mal elaborados e não fazem frente contra outros jogos de realidade virtual disponíveis no PS VR ou qualquer outro óculos. Isso fica claro no modelo dos personagens e também no cenário que os cercam. Poderia ter sido feito um trabalho melhor por aqui. Ao menos há dublagem em português, mostrando que a Ubisoft ainda continua ativa com seu compromisso em localizar todos os jogos no Brasil.

Conclusão

Werewolves Within tem um pouco de oportunidade desperdiçada, o jogo tem conceito interessante de adaptar um antigo jogo de tabuleiro para o ambiente de realidade virtual, mas acaba limitado pelo seu único modo ser online, e digamos que não há muitos jogadores disponíveis na rede. O visual também não é dos melhores, apesar de não comprometer tanto.

Qual a sua opinião sobre o Oculus Rift? Opine no Fórum do TechTudo!

    Nota TechTudo

    NOTA tt
    6.5
    Gráficos
    6
    Jogabilidade
    7
    Diversão
    6
    Som
    7

    Prós

    • Conceito de interação interessante entre participantes
    • Ideia de adaptar jogo antigo para ambiente virtual muito boa

    Contras

    • Só tem modo online e não há muitos usuários disponíveis
    • Visual bem fraco no geral
    • Demoramos bastante para achar uma partida
    Seja o primeiro a comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

    recentes

    populares