Jogos

NOTA tt
5.3

Review Xblaze Lost: Memories

Xblaze Lost: Memories vai decepcionar quem espera por um “game” de verdade.

Dário Coutinho
por
em

Xblaze Lost: Memories é o jogo para PlayStation 3 e PS Vita de um gênero pouco popular no Brasil: visual novel. Nesse estilo de game, a interação fica em segundo plano e a história é o centro das atenções. Apesar de algumas referências à série BlazBlue, Xblaze Lost: Memories não encanta por causa do desenrolar lento e falta de ritmo na narrativa. Veja a análise de mais um jogo com o traço da Arc System Works.

Veja o Review de BlazBlue Chrono Phantasma

Prequel de BlazBlue

Xblaze Lost: Memories é a sequência direta de XBlaze – Code: Embryo, lançado em 2013 para PS3 e PS Vita. Na realidade, os dois jogos são ambientados na mesma linha temporal na história, que se passa 150 anos antes do primeiro BlazBlue. Mesmo que haja claras referências à série de games de luta, Xblaze é um game totalmente diferente, pois foca na trama dos acontecimentos anteriores ao fim da humanidade.

XBlaze Lost: Memories é um Visual Novel com história que se passa antes dos jogos de BlazBlue (Foto: Divulgação / Arc System Works)XBlaze Lost: Memories é um Visual Novel com história que se passa antes dos jogos de BlazBlue (Foto: Divulgação / Arc System Works)

O game começa com uma garota chamada “Me”. Ela vive em uma pequena cidade, em paz, até que a irmã desaparece. O enredo se complica quando “Me” descobre que o pai pode estar por trás do desaparecimento. O mesmo homem que fez experiências científicas perigosas na mãe da protagonista.

As explicações dessa parte introdutória ficam para depois, pois tudo não passa de flashback de “Me”. Ao chegar no laboratório e confirmar os experimentos do pai, a cena é inundada pela Azure, energia dos poderes de BlazBlue.

Em Xblaze Lost: Memories acompanham a saga da personagem Me em busca de suas memórias (Foto: Divulgação / Arc System Works)Em Xblaze Lost: Memories acompanham a saga da personagem 'Me' em busca de suas memórias (Foto: Divulgação / Arc System Works)

Assim começa Xblaze Lost: Memories e o jogador deve recuperar as lembranças perdidas de “Me”. Para isso, é preciso passear pelo “Phantom Field”, encontrar os traços de memória e reviver as cenas com muitas animações.

Jogabilidade mínima

Por definição do gênero, um game no estilo Visual Novel não tem muita “intromissão do jogador”. E essa regra é seguida à risca em Xblaze Lost: Memories. Basicamente, a missão de quem tem o controle nas mãos é apenas assistir e (tentar) entender a história.

Ausência de elementos que façam o jogador tomar conta da ação é a parte mais decepcionante de XBlaze Lost: Memories (Foto: Divulgação / Arc System Works)Ausência de elementos que façam o jogador tomar conta da ação é a parte mais decepcionante de XBlaze Lost: Memories (Foto: Divulgação / Arc System Works)

A sensação é de estarmos assistindo a um anime extenso, pois as cenas em Xblaze Lost: Memories duram horas sem nenhuma pausa. Focadas apenas em diálogos muito longos, as cenas do jogo se tornam enfadonhas em curto espaço de tempo. 

O game é totalmente linear e há pouca margem para interação. Apenas a parte do “Phantom Field” dá ao jogador a possibilidade de caminhar com a personagem e escolher as memórias a serem revividas, tudo com visual retrô 16 bits. Há também alguns joguinhos de perguntas e respostas que rendem informações extras.

O jogo é repleto de personagem femininas com roupas curtas e cenas apelativas (Foto: Divulgação / Arc System Works)Xblaze Lost: Memories: o jogo é repleto de personagem femininas com roupas curtas e cenas apelativas (Foto: Divulgação / Arc System Works)

Mas infelizmente é apenas isso. É preciso entender que foco na história não significa escassez de opções para interação entre os personagens. Pelo contrário, não há alternativas para escolher diálogos e nem alterar respostas, por exemplo. Em Xblaze Lost: Memories, o jogador apenas assiste à história se desenrolar, de forma totalmente passiva.

Hermético até para os fãs de BlazBlue

Conhecida como uma das melhores franquias de luta 2D, BlazBlue é um festival de golpes, poderes e combos. Mas o game surpreende por possuir história densa e muito bem explicada pela Arc System Works.

O visual de Xblaze Lost: Memories segue o mesmo estilo de BlazBlue com personagens coloridos e traço apaixonante. Mesmo assim, Xblaze é bastante hermético e focado no público que gosta de jogos de Visual Novel. Os fãs de BlazBlue podem até reconhecer algumas referências, mas a jogabilidade de Xblaze decepciona.


Para concluir Xblaze Lost: Memories é necessário em torno de 10 horas. Depois disso, é possível ver episódios adicionais que explicam um pouco mais a história de cada personagem.

Há ainda DLCs com histórias paralelas, mas que não adicionam muito à narrativa principal. Esses conteúdos para extras servem apenas para satisfazer os fãs que gostam de cenas com conotação erótica, os populares “fan services”.

Conclusão

Para quem procura por um “jogo”, Xblaze Lost: Memories é decepcionante. Há pouca interação que justifique a compra deste visual novel. A não ser que você seja um grande fã de BlazBlue ou de games do gênero, Xblaze Lost: Memories poderia muito bem ser um DLC do próximo título da série BlazBlue.

Qual o melhor RPG dessa geração de consoles? Comente no Fórum do TechTudo. 

Nota TechTudo

NOTA tt
5.3
Gráficos
7
Jogabilidade
1
Diversão
6
Som
7

Prós

  • Dublagem em japonês
  • Enredo com implicações na série BlazBlue
  • Personagens com traço excelente

Contras

  • Cenas de animação longas e tediosas
  • Muito “fan service”
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares