Celulares

Por Bruno De Blasi

Xiaomi Mi 9 SE em review: celular marca retorno de chineses ao Brasil Xiaomi Mi 9 SE em review: celular marca retorno de chineses ao Brasil
Bruno De Blasi/TechTudo

O Xiaomi Mi 9 SE marca o retorno da Xiaomi ao Brasil. Edição mais simples do Mi 9, o celular chama a atenção do público ao oferecer ficha técnica com processador Snapdragon 712, memória RAM de 6 GB e armazenamento de 64 GB ou 128 GB. O modelo não abre mão de recursos que vêm se destacando em smartphones premium, como a câmera tripla e leitor de impressões digitais sob a tela. O telefone já está à venda na loja oficial da Xiaomi no Brasil pelo preço a partir de R$ 3.299.

Diante de tanta expectativa gerada em torno do retorno da marca chinesa ao Brasil, será que vale a pena comprar o Xiaomi Mi 9 SE? O TechTudo testou o smartphone e traz todos os detalhes para você.

Xiaomi Mi 9 SE: confira a análise do celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: confira a análise do celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: confira a análise do celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Tela com notch e pegada confortável

A construção do Xiaomi Mi 9 SE é, sem dúvidas, um dos pontos que mais chamam a atenção. O celular não tem tela pequena, mas o corpo dele é compacto e se encaixa muito bem nas mãos. Trata-se de um telefone ótimo para ser utilizado no dia a dia, pois é extremamente leve e confortável. Sinceramente, até sinto estranheza quando pego outro celular, mesmo que ele tenha display com o mesmo tamanho ou medidas próximas.

Outra característica muito bem-vinda é o notch em forma de gota, característica que vem ganhando força em smartphones intermediários como o Moto G7 Plus e o Galaxy A50. O recorte confere ao telefone bordas finas ao redor da tela, com exceção de uma pequena protuberância na parte inferior, e garante maior aproveitamento do display na porção frontal.

E já que estamos falando de tela, com tecnologia AMOLED, o display mede 5,97 polegadas e possui resolução Full HD+. O conjunto oferece, no geral, imagens bem definidas, marcadas pelas cores vivas e intensas. No sol, porém, mesmo com o brilho no máximo, o contrário acontece: o preto vira cinza e o restante perde tonalidade. Infelizmente, este é um problema bastante incômodo.

Xiaomi Mi 9 SE: notch em forma de gota marca presença em celular — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: notch em forma de gota marca presença em celular — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: notch em forma de gota marca presença em celular — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

A traseira segue o mesmo estilo que diversos celulares asiáticos vêm adotando na atualidade. O vidro é espelhado e, em certos ângulos de luz, as cores dão uma estética meio gradiente ou degradê. Seria o design perfeito se a câmera não tivesse um relevo tão sobressaltado, o que tende a tornar o smartphone mais frágil. Felizmente, o problema é facilmente contornado com a capinha que acompanha o telefone. A Xiaomi também inclui película para proteger a tela.

Xiaomi Mi 9 SE: celular está disponível nas opções preto e ocean blue — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: celular está disponível nas opções preto e ocean blue — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular está disponível nas opções preto e ocean blue — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Desempenho

Edição mais simples do Xiaomi Mi 9, o smartphone entra na categoria de intermediário. A ficha técnica do telefone é composta pelo processador Snapdragon 712 e memória RAM de 6 GB, conjunto no mesmo patamar do Galaxy A70.

Aapps de redes sociais (Instagram, Twitter e LinkedIn), produtividade (ProtonMail, Evernote, Wunderlist e Todoist) e entretenimento (Netflix e YouTube) apresentaram desempenho excepcional e não houve casos de travamentos. O mesmo resultado pode ser considerado ao tratar de jogos como PUBG e Subway Surfers com qualidade gráfica no máximo sem qualquer dificuldade.

Quanto ao armazenamento, o Xiaomi Mi 9 SE brasileiro está disponível em duas edições: 64 GB e 128 GB. O TechTudo testou a versão com a menor memória interna. Ela se mostrou suficiente para guardar uma vasta quantidade de fotos e músicas.

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui ficha técnica intermediária — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: celular possui ficha técnica intermediária — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui ficha técnica intermediária — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Câmera tripla

Comecemos pela câmera principal. São 48 megapixels com o recurso Quad Pixel, que reúne quatro pixels em um a fim de entregar imagens ricas em detalhes. De fato, esta promessa é cumprida, mas o sensor não é imune a críticas, já que as cores das fotos quase não possuem vivacidade e o contraste é fraco na maior parte das vezes.

Há ainda outras duas câmeras na porção traseira: uma de 8 megapixels (lente teleobjetiva, zoom de 2x e abertura de f/2.4) e outra com 13 MP (ultra wide de 123º e f/2.4). Em ambos os casos, as fotos em ambientes iluminados apresentam resultados próximos aos obtidos pelo sensor principal, mas com detalhes reduzidos.

Xiaomi Mi 9 SE: câmera principal possui resolução de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: câmera principal possui resolução de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera principal possui resolução de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera secundária oferece zoom de até 2x — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: câmera secundária oferece zoom de até 2x — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera secundária oferece zoom de até 2x — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui câmera com lente ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: celular possui câmera com lente ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui câmera com lente ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

À noite, a qualidade é perceptivelmente baixa. A granulação não chega a ser uma grande dor de cabeça, mas as fotos saem facilmente turvas ou borradas. Felizmente, o sensor principal de 48 megapixels é mais equilibrado, especialmente por conta da abertura de f/1.75, o que facilita a captação de luz do ambiente.

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera de 48 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera teleobjetiva — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera teleobjetiva — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera teleobjetiva — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: foto noturna com a câmera ultra wide — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

O Modo Retrato marca presença, mas passa por falhas. Tome como exemplo a foto abaixo, em que alguns pontos que deveriam estar em primeiro plano, como a barriga do boneco, encontram-se borrados. Já no lado direito há trechos que nem sequer estão desfocados.

Xiaomi Mi 9 SE: Modo Retrato apresenta falhas durante os testes do TechTudo — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: Modo Retrato apresenta falhas durante os testes do TechTudo — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: Modo Retrato apresenta falhas durante os testes do TechTudo — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

A câmera de selfies possui resolução de 20 megapixels com abertura de f/2.0. O sensor frontal tira fotos com resultado próximo da câmera traseira principal, mas tende a apresentar um pouco de ruído em ambientes com iluminação mais fraca.

Xiaomi Mi 9 SE: câmera de selfies é de 20 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: câmera de selfies é de 20 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera de selfies é de 20 megapixels — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera tripla marca presença em celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: câmera tripla marca presença em celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: câmera tripla marca presença em celular chinês — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Bateria para um dia inteiro

O Xiaomi Mi 9 SE é um celular cuja bateria dura um dia inteiro? Podemos dizer que depende do perfil do usuário. Em nossos testes com uso intenso, o smartphone permaneceu ligado por 14 horas seguidas. Ao longo desse período, foram utilizados apps de rede sociais e produtividade ao lado de streaming de música via Spotify por 3h45 e vídeo via Netflix por 50 minutos. Além disso, foi realizada uma ligação por 25 minutos acompanhada por uma partida de PUBG por 25 minutos.

A marca está no páreo de resultados de concorrentes como o Moto G7 Plus, Galaxy A80 e Motorola One Action, cujos testes entregaram autonomia de 15h30, 15h10 e 13h30, respectivamente, em condições próximas. Além disso, em nossa análise, o smartphone se aproximou de 24 horas longe das tomadas com uso moderado, mas não ultrapassou esta marca em momento algum.

Portanto, se você não desgruda do celular nem por um segundo, fica o aviso: carregador na mochila!

O celular possui sistema de recarga rápida. Durante os nossos testes, a bateria de 3.070 mAh foi de zero a 100% em uma hora e meia com o acessório original do smartphone.

Xiaomi Mi 9 SE: smartphone não possui saída dedicada para fone de ouvido — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: smartphone não possui saída dedicada para fone de ouvido — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: smartphone não possui saída dedicada para fone de ouvido — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Android 9 (Pie) de fábrica

O Xiaomi Mi 9 SE chega com o Android 9 (Pie) de fábrica e expectativa de atualização para o Android 10 nos próximos meses. Tal como os demais celulares da Xiaomi, o smartphone possui uma personalização própria do Android, a MIUI, com interface e recursos exclusivos da fabricante.

De cara, pode-se dizer que é uma personalização interessante. O MIUI 10 traz vários recursos pré-instalados, como um app de calendário, bloco de notas e navegador próprios. Há, ainda, um sistema de controle remoto que funciona desde televisão até aparelhos de ar condicionado e o Dual Apps, função que, diferentemente do Dual Messenger, da Samsung, permite duplicar qualquer app, não se limitando a mensageiros, como o WhatsApp.

Xiaomi Mi 9 SE: celular chega aos usuários com Android 9 (Pie) de fábrica — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: celular chega aos usuários com Android 9 (Pie) de fábrica — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular chega aos usuários com Android 9 (Pie) de fábrica — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Há, também, um sistema de navegação por gestos que se aproxima bastante da solução adotada no Huawei P30 Pro, que consiste em deslizar o dedos nas extremidades da tela. Dessa forma, para voltar, por exemplo, basta posicionar o dedo em um dos cantos das laterais e arrastar para o centro. Tudo de um jeito simples e prático.

O sistema, no entanto, requer um pouco de paciência para se acostumar com a interface e configurações. Um exemplo é o menu de apps, tradicional em celulares da Motorola e Samsung, por exemplo, que não existe no Xiaomi Mi 9 SE sem a instalação de um aplicativo para isso. Além disso, as configurações são completamente diferentes e chegam a ser até um pouco confusas.

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui recurso de controle remoto — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: celular possui recurso de controle remoto — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: celular possui recurso de controle remoto — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Seguindo os passos de celulares premium, como o Galaxy Note 10, o leitor de impressões digitais está posicionado sob a tela. O sensor raramente falhou – com exceção de quando eu machuquei o dedo – e é bem ágil. Resultado bastante diferente do Galaxy A80, que apresentou diversos problemas durante os testes.

Outro reflexo de smartphones premium que aparece no Mi 9 SE é a ausência de saída para fones de ouvido. Dessa forma, usuários que queiram utilizar o acessório devem lançar mão de opções via Bluetooth ou adaptador, por exemplo.

Vale lembrar que a Xiaomi envia apenas o adaptador na caixa do celular. O fone de ouvido deve ser adquirido separadamente.

Xiaomi Mi 9 SE: smartphone está disponível em edições com armazenamento de 64 GB e 128 GB — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo Xiaomi Mi 9 SE: smartphone está disponível em edições com armazenamento de 64 GB e 128 GB — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Xiaomi Mi 9 SE: smartphone está disponível em edições com armazenamento de 64 GB e 128 GB — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

E aí, vale a pena comprar o Xiaomi Mi 9 SE?

O retorno da Xiaomi ao Brasil é um dos eventos mais aguardados entre os consumidores. Depois de dois anos fora do país, a fabricante chinesa reafirma a sua presença no comércio nacional em parceria com a DL Eletrônicos, com o lançamento de telefones como o Pocophone F1, Mi 9 e o Redmi Note 7, telefone que já apareceu duas vezes em primeiro lugar no ranking de celulares mais buscados do mês, em julho e agosto, à frente de smartphones de Samsung e Motorola. E, obviamente, o Xiaomi Mi 9 SE surfa nessa onda, também.

Sem dúvidas, a construção do celular é uma das características que mais me chamaram a atenção durante a análise. Isto porque o Xiaomi Mi 9 SE não é somente um celular levinho, mas também confortável e com tela no tamanho ideal.

Os recursos adicionais são outra boa pedida. A começar pelo leitor de impressões digitais integrado à tela, cujo posicionamento mostra-se bem mais agradável do que as opções na traseira ou lateral. Há, também, algumas funções raras em concorrentes, como a possibilidade de transformar o celular em controle remoto.

O smartphone, no entanto, não está isento de críticas, como é o caso da câmera tripla. Além das fotos com quase nenhuma vivacidade, os resultados à noite são bastante desanimadores. O Modo Retrato também apresentou muitas falhas.

A tela sob a luz solar é outro incômodo. Claro que você ainda vai conseguir ler o que está sendo exibido, mas é uma experiência desagradável para um smartphone que ultrapassa a cifra de R$ 3.000. Além disso, se este problema aconteceu no inverno, imagine durante o verão.

O preço é mais um divisor de águas. O Xiaomi Mi 9 SE é um dos lançamentos mais recentes da fabricante chinesa no Brasil. O smartphone chegou ao país em julho de 2019 com preço sugerido de R$ 3.299 (64 GB) e R$ 3.699 (128 GB), valores próximos a celulares premium, com fichas técnicas superiores e câmeras de melhor qualidade, como o Galaxy S10 (cerca de R$ 3.200 no comércio eletrônico), segundo o Compare TechTudo.

Vale lembrar que o Xiaomi Mi 9 SE é comercializado a cifras mais baixas no chamado mercado cinza. Estas opções, no entanto, tendem a não possuir garantia oficial e homologação da Anatel, e podem trazer riscos ao consumidor. A Xiaomi detém 60% dos celulares contrabandeados no Brasil.

Xiaomi Mi 9 SE: saiba preço e ficha técnica do lançamento da Xiaomi

Xiaomi Mi 9 SE: saiba preço e ficha técnica do lançamento da Xiaomi

8

Xiaomi Mi 9 SE leva nota 8 em teste do TechTudo

Prós: bom desempenho, leitor de impressões digitais sob a tela e pegada confortável. Contra: Ausência de saída para fone de ouvido e tela de baixa qualidade em ambientes muito claros.
Design
8.5
Desempenho
9
Tela
7.5
Câmera
7
Bateria
8

Ficha técnica do Xiaomi Mi 9 SE

  • Tamanho da tela: 5,97 polegadas
  • Resolução da tela: Full HD+ (2340 x 1080 pixels)
  • Painel da tela: AMOLED
  • Formato: 19,5:9
  • Câmera principal: tripla, 48, 8 e 13 megapixels
  • Câmera frontal (selfie): 20 megapixels
  • Sistema: Android 9 (Pie)
  • Processador: Snapdragon 712
  • Memória RAM: 6 GB
  • Armazenamento (memória interna): 64 GB e 128 GB
  • Cartão de memória: sim, microSD
  • Capacidade da bateria: 3.070 mAh
  • Dual SIM: sim
  • Peso: 155 gramas
  • Cores: preto e Ocean Blue
  • Início das vendas no Brasil: julho de 2019
  • Preço de lançamento: a partir de R$ 3.299

Mais do TechTudo