Publicidade
Linux

Linux

Baixar
  • Downloads

    -

  • Tamanho do download

    -

  • Licença

    -

  • Idioma

    -

  • Desenvolvedor

    Linux Foundation

  • Lançamento

    -

  • Versão

    -

  • Requisitos mínimos

    -

Fórum

Você ficou com alguma dúvida? Visite o Fórum TechTudo e peça ajuda para a comunidade.

Linux: o núcleo dos sistemas operacionais de código aberto

O que é Linux? Linux, ou kernel Linux, funciona como o núcleo de um sistema operacional. Com isso, ele trabalha entre o hardware e a interface de usuário, fornecendo o alicerce para o desenvolvimento e execução de outros softwares, além de permitir controlar o hardware.

Distribuições e sistemas

O Linux oferece distribuições como Ubuntu e Debian. A primeira é indicada para notebook, desktops e servidores e a segunda, que utiliza o Kernel Linux ou Hurd em conjunto com outros aplicativos, busca oferece um sistema operacional completo e universal.

Assim, baseado nas distribuições, alguns sistemas operacionais como Linux Mint, Kurumi, Fedora, Madriva e Deepin se destacam.

O Mint é baseado no Ubuntu e no Debian e fornece versões com os principais desktops atuais (Cinnamon, MATE, KDE e Xfce). O Kurumin, por sua vez, foi projetado para ser mais compacto. O Fedora tem como padrão três versões de teste para validação e correção de defeitos, reportados através do sistema de correção de bugs e o Deepin apresenta sua própria central de softwares, capaz de realizar downloads (até mesmo simultâneos) de repositórios Ubuntu e pausá-los para retomada posterior.

No caso do Mandriva Linux, ele é uma fusão da distribuição francesa Mandrakelinux e da distribuição do Brasil Conectiva Linux.

O Linux Lite é um jeito grátis, fácil e mais leve para usar o Linux baseado em um sistema operacional que ajudar os usuários iniciantes no kernel.

História

O Linux foi criado por Linus Torvalds, um estudante do Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Helsinki na Finlândia, no ano de 1991. Depois de divulgar o projeto, ele contou com ajuda de vários programadores voluntários a partir da Usenet (uma antecessora da Internet), conseguiu melhorá-lo e o transformou em um dos maiores projetos de software livre do mundo.

A versão 1.0 do Linux foi lançada no dia 14 de março de 1994, a 2.0 em 09 de junho de 1996, a 2.2 em 26 de janeiro de 1999, a 2.4.0 em 04 de janeiro de 2001, a 2.6.0 em 18 de dezembro de 2003, a 3.0 em 22 de julho de 2011 e, finalmente, a versão 4.0 foi lançada em 12 de abril de 2015.

Com o passar do anos, o kernel Linux desenvolveu-se, agregou outros softwares e passou a ser entregue em um formato conhecido como distribuição. Agora, o kernel é entregue geralmente via mídia ótica ou download dentro de uma imagem ISO, com um instalador e os diversos programas que irão compor o sistema operacional a ser instalado.

Desde os primeiros anos de vida do kernel, o nome Linux também tem sido usado por muitas pessoas para nomear sistemas operacionais que utilizam esse núcleo. Contudo, o contrato de uso que o kernel usa e o torna um software livre está sendo questionado pela Free Software Foundation (FSF, Fundação para o Software Livre), a mesma entidade que criou a licença GNU General Public License.

Aplicativo simples de instalar traz o WhatsApp do celular para dentro do Ubuntu.
Descubra como instalar e usar o Shell Bash do Linux no Windows 10 e comece a explorá-lo.
Alternativas com bons recursos e acesso a interface gráfica para usar em diversas distribuições Linux.
Clientes independentes são a única alternativa para usuários de Linux que querem sincronizar o Google Drive.
App de mensagens libera código aberto da versão Linux no GitHub, com instruções para desenvolver.
Parceria inédita da Microsoft com a Canonical praticamente leva o Ubuntu Linux ao Windows.
Aprenda a baixar o pacote de fontes da Microsoft gratuitamente para usar no Linux em qualquer programa.
Aprenda a ativar o plugin web do Java no Chrome e no Firefox depois de ter baixado e instalado.
Aprenda a usar o Netflix no Linux pela forma oficial ou por meio de uma versão adaptada do Firefox.
Empresa especializada identificou o erro, que não foi usado por hackers até agora.

Em breve!

Estamos providenciando conteúdo dessa página, aguarde.